Matérias » Personagem

Paraíso perdido: Há 14 anos, o 'colapso' de Britney Spears se tornava um dos casos mais insanos da História

Por trás da decisão de raspar a cabeça existia uma jovem incomodada com o controle profissional e até mesmo pessoal

Thiago Lincolins Publicado em 24/01/2021, às 10h00

O momento em que Spears raspa a cabeça
O momento em que Spears raspa a cabeça - Divulgação/MBF-AlphaX/X17 Online

Em 16 de fevereiro de 2007, Britney Spears tomou os destaques dos noticiários. Contudo, não se tratava do sucesso comercial de suas músicas nas principais paradas musicais do mundo. Naquele dia, a cantora foi flagrada raspando a cabeça.

Dias depois, especificamente em 21 de fevereiro, o assédio dos paparazzi também incomodou a artista, que ao ser atacada com flashes abusivos pegou um guarda-chuva e ‘atacou’ um dos profissionais.

Foi suficiente para mídia decretar aquele momento como ‘o colapso de Spears’. A artista, que estava no auge da carreira após o sucesso estrondoso de músicas como Baby One More Time, Oops!... I Did It Again e Toxic, caiu num poço sem fundo.

Cena do clipe de Toxic /Crédito: Divulgação/Youtube

 

Os desdobramentos daquele ano resultaram em danos que já duram anos para a eterna Princesa do Pop. Contudo, o episódio que ficou eternizado nos maiores escândalos da história da música tem raízes distantes do exato momento em que Spears raspa a cabeça com uma máquina.

O caos 

Vale ressaltar que em 2004 a vida de Britney já era tumultuada. Em 2004, a American Dream teve um casamento insólito com Jason Allen Alexander, um velho amigo após uma noite de festa na famosa Las Vegas. Em 55 horas, a união foi cancelada juridicamente. Contudo, as coisas ficariam piores para a artista quando optou por ser casar com kevin Federline.

Com Kevin, Spears teve dois lindos filhos. Trata-se Sean e Jayden. A artista concebeu as crianças em 2005 e 2006 (respectivamente). Entretanto, o conto de fadas virou pesadelo. Passando por mais um divórcio, a carreira da loira foi tomada pelo caos.

Após o processo de separação, Britney viveu como qualquer outra pessoa após o término de um relacionamento: foi em festas, procurou conhecer novas pessoas, bebeu, se divertiu. Todavia, um detalhe a impedia de viver assim: era uma das cantoras mais bem sucedidas da época.

Marca lucrativa

Logo, um clique bebendo se tornava fortuna para os fotógrafos. E foi justamente assim que o ‘colapso’ de Spears tomou vida. Com festas frequentes, rumores de uso de drogas e registros polêmicos (incluindo a famosa foto sem calcinha após uma noitada com Paris Hilton), a cantora acabou sendo internada numa clínica de reabilitação, contudo, sua estadia foi curta. Depois de um dia já estava ‘livre’, mas o que a esperava do lado de fora era ainda pior.

As coisas ficaram ainda mais complicadas profissionalmente quando Britney teve uma apresentação confirmada no Vídeo Music Awards. A cantora que já havia brilhado naquele palco ao segurar uma píton despertou risadas da plateia ao aparecer com uma peruca barata enquanto apresentava passos básicos e totalmente fora de ritmo com os bailarinos.

Bastidores

O famoso dia descrito no começo da reportagem já fora marcado por um episódio que abalou a cantora. Britney Spears: Breaking Point, lançado pelo Channel 5, explica que nas horas anteriores ao ato de raspar a cabeça Britney tentou ver as crianças que estavam com o ex-marido.

Sem autorização e considerada ‘mentalmente incapacitada’ a artista foi tomada pela raiva, resultando no episódio que levou a artista para o fundo do poço. Após o momento, ela se dirigiu até um estúdio de tatuagem. O momento foi lembrado por Emily Wynne-Hughes que tatuou Spears. “Percebi que ela estava careca. Lembro de perguntar: por que você raspou a cabeça?’. Ela respondeu: sabe, eu só não quero que ninguém, ninguém, encoste na minha cabeça. Não quero ninguém encostando nele! Estou cansada de pessoas encostando no meu cabelo”, relatou Emily no documentário.

Pressão familiar

Naquela época, Britney já era uma das marcas mais rentáveis do mundo, afinal trabalhava desde quando era uma criança. Com o sucesso estrondoso, acabou sendo controlada na maior parte do tempo pelos empresários. 

Ou seja, a resposta dada a Wynne-Hughes pode resumir como ela se sentia naquela época: cansada do controle das pessoas que estavam ao seu redor. Entretanto, aquele acesso de fúria teve consequências diretas na vida pessoal e profissional de uma das cantoras mais famosas do século 21.

Isso porque além de ter se submetido a voltar para uma clínica de reabilitação, Britney perdeu a guarda das crianças (que passaram a viver com o ex-companheiro) e passou a ter a fortuna e carreira controlada pelo pai, através de uma tutela. Já o contato com os filhos fora regularizado pela lei e teria que ser monitorado por James.

Anos após o período de turbulência, Britney comentou o episódio em entrevista ao jornal Yediot Ahronot. “Minha vida era controlada por muita gente e isso não me deixar ser eu mesma. Eu estava perdida e não sabia o que fazer comigo mesma. Eu estava tentando agradar todo mundo perto de mim porque esta é quem eu sou por dentro. Tem momento que eu olho para trás e penso ‘onde eu estava com a cabeça?”, desabafou a artista. “Eu deveria ter me dado mais pausas e ter me responsabilizado pela minha saúde mental.

Cena deletada do clipe original de Make Me (2016) /Divulgação Britney Spears

 

Atualmente, Spears ainda vive sob o controle abusivo da tutela. 14 após o 'colapso', Britney não frequenta baladas, não é vista bebendo e só choca internautas quando aparece dançando em casa através de vídeos publicados no Instagram, contudo, sua vida pessoal e profissional continua sendo monitorada pelo pai através de uma decisão que a impede até mesmo de engravidar. 

Entenda o caso!