Matérias » Personagem

De Marechal Deodoro a Pinochet: Os 10 maiores vira-casacas da História

Ao mudarem de lado, eles mudaram o percurso dos acontecimentos históricos

Redação Publicado em 09/11/2019, às 08h00

Augusto Pinochet, general do exército e ditador do Chile de 1973 a 1990
Augusto Pinochet, general do exército e ditador do Chile de 1973 a 1990 - Getty Images

A maior parte dessa lista não é flor que se cheire. Mas lembremos que trair pode ser uma virtude: o que dizer de Claus von Stauffenberg e seus parceiros, que tentaram dar cabo a Adolf Hitler e só não estão na lista porque não conseguiram?

Confira aqueles que, ao virarem casaca, viraram o rumo da História.

10. James Joseph Dresnok

Crédito: Divulgação

 

A quem traiu: os EUA

Quando: 1962

Servindo na Zona Desmilitarizada da Coreia, ouviu notícias de que sua mulher o estava traindo, ao mesmo tempo em que era acusado de forjar documentos. Decidiu mudar de lado, atravessou um campo minado e se juntou aos norte-coreanos. Com eles, faria filmes de propaganda, interpretando vilões americanos. E chegaria a torturar compatriotas.

9. Augusto Pinochet

Caption

 

A quem traiu: Salvador Allende

Quando: 1973

Allende, primeiro presidente assumidamente marxista eleito na América Latina, governou por quase três anos em meio a um turbilhão político. Quando, nessa situação, o general Carlos Prats renunciou ao cargo de Comandante do Exército, ele próprio nomeou Pinochet. Até o dia do golpe, o general e futuro ditador dizia ao presidente que estava tudo em ordem. Não estava.

8. Christiaan Snouck Hurgronje

Crédito: Wikimedia Commons

 

A quem traiu: o mundo islâmico

Quando: 1898

O antropólogo holandês fingiu ter se convertido ao Islã para poder ir a Meca e relatar aos europeus o que vira. Depois, voltou sua atenção aos islâmicos da Ásia, a quem os holandeses buscavam conquistar. Em 1898, tornou-se consultor do general J. B. van Heutsz durante a Guerra de Achém, contra os indonésios. Com sua ajuda, até 100 mil companheiros de fé foram massacrados.

7. Efialtes

Crédito: Reprodução

A quem traiu: a Grécia

Quando: 480 a.C.

Retratado como um monstro no filme 300, era no máximo um monstro moral. Ele mostrou aos persas um caminho secreto, permitindo que eles contornassem o desfiladeiro onde os espartanos – e um contingente muito maior de outros gregos – resistiam. No final das contas, ele só ajudaria a criar a lenda dos 300, que inflou o moral grego. E nunca foi pago. 

6. Marechal Deodoro

Caption

 

Quem traiu: D. Pedro II

Quando: 1889

Membro do Partido Conservador e amigo pessoal do imperador, dizia que estaria a seu lado até a sepultura. Mudou de ideia ao receber a notícia, falsa, de que havia uma ordem de prisão contra ele. E a verdadeira, de que um desafeto seu seria o novo primeiro-ministro. Aí o marechal bradou: “Viva a República!”

5. Mir Jafar

Encontro de Mir Jafar com o oficial britânico Robert Clive /  Crédito: Wikimedia Commons

A quem traiu: a Índia

Quando: 1757

Jafar era um dos oficiais do nababo (governador local) de Bengala, parte do Império Mogol. A Companhia das Índias Orientais o convenceu de que ele poderia ser o próximo nababo caso se juntasse a eles. Assim, na Batalha de Plassey, as forças sob seu comando não fizeram nada. A derrota – e a instalação de Jafar como uma marionete – marca o início do domínio britânico na Índia.

4. David Greenglass

 Crédito: Wikimedia Commons

 

A quem traiu: os EUA e sua família

Quando: 1944-1950

Engenheiro envolvido no Projeto Manhattan, entregou segredos nucleares para sua irmã e seu cunhado, Ethel e Julius Rosenberg, que os repassaram aos soviéticos. Como os parentes, era apenas um entre muitos espiões atômicos. A razão de estar na lista é que seu depoimento levou os dois à cadeira elétrica. Traiu tanto o país quanto a família e pegou só oito anos de prisão.

3. Marco Júnio Bruto

 Crédito: Wikimedia Commons

 

A quem traiu: Júlio César

Quando: 44 a.C.

Mais de 2 milênios depois, seu nome ainda é adjetivo para violência injustificada. Mas ele e outros 60 senadores viam muita justificativa no que fizeram: matar o homem que estava matando a República. De nada adiantou: o assassinato só acirrou ainda mais a crise política, e os aliados de César venceriam transformando Roma em uma monarquia.

2. Malinche

 Crédito: Wikimedia Commons

A quem traiu: os Astecas

Quando: 1519

Sejamos justos: não foi exatamente uma escolha. Malinalli era uma escrava nahua (asteca) entre os maias, dada de presente a Hernan Cortéz em 1519. Servindo de intérprete e amante do conquistador espanhol, seria uma peça fundamental na destruição do Império Asteca. No México, seu nome hoje é sinônimo de “entreguista”.

1. Judas Iscariotes

 Crédito: Wikimedia Commons

 

A quem traiu: Jesus Cristo

Quando: 33

É o personagem mais odiado do cristianismo, mas há que se fazer uma pergunta incômoda: existiria cristianismo sem seu beijo que levou à crucificação? É difícil imaginar como. Alguns evangelhos apócrifos chegaram até mesmo a dizer que havia um acordo entre os dois, para que Jesus cumprisse seu trágico destino.


Saiba mais sobre os nomes citados na lista 

Augusto Pinochet: The Life and Legacy of Chile’s Controversial Dictator, Charles River Editors, 2016 -  https://amzn.to/36Mc4ws

Judas Iscariotes e Outras Histórias, Leonid Andreiév, Aurora F. Bermardini, 2004 - https://amzn.to/34S7dbt

Malinche, Laura Esquiavel, 2007 - https://amzn.to/2qESHEP

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.