Matérias » Egito Antigo

O peido que desafiou o faraó: a insólita queda de Apriés

Em um episódio relatado por Heródoto, o soberano foi substituído e traído pelo seu general durante revoltas populares

Victória Gearini Publicado em 01/01/2020, às 18h00

Amásis (570 a.C - 525 a.C.)
Amásis (570 a.C - 525 a.C.) - Wikimedia Commons

O faraó Apriés governou o Egito na Época Baixa e pertenceu a 26ª dinastia egípcia, entre 589 a.C. e 570 a.C.. Por mais de 20 anos, o governante reinou sobre a região com uma autoconfiança inabalável. Apriés apoiou a população da Síria-Palestina contra os Babilônios. Quando seus inimigos apossaram-se de Jerusalém, sob o controle de Nabucodonosor II, muitos judeus foram presos, mas outros conseguiram migrar para Elephantine, onde encontraram um novo lar.

Em 570 a.C. o soberano foi informado sobre a situação na Líbia. Os gregos haviam invadido Cirene (cidade-estado no norte da África), ao saber deste fato, o faraó declarou seu apoio ao líder da região e enviou um exército até a cidade.

Crédito: Pixabay

 

Os soldados de Apriés foram superados na batalha e as perdas foram significativas. Após a derrota, as famílias que perderam alguns entes queridos e sobreviventes montaram uma rebelião contra o faraó. Diante do tumulto, ele enviou o general Amásis para apaziguar a situação e o mandou dizer à população que estava descontente com a falta de lealdade.

Embora tenha permanecido leal por um tempo, Amásis foi eleito pelo exército como o novo rei do Egito. Quando Apriés descobriu o que estava acontecendo, enviou Patarbemis até Amásis para convencê-lo a se entregar como traidor.

Crédito: Pixabay

 

Segundo o geógrafo e historiador grego, Heródoto (485 a.C.– 425 a.C.), Patarbemis entregou a mensagem para Amásis, que enquanto estava sob o seu cavalo, levantou suas nádegas da sela e soltou um peido: "Você pode enviar essa mensagem de volta ao rei!". O forte odor foi acompanhado da promessa de que ele retornaria, mas acompanhado de amigos, com o intuito de confrontar Apriés.

Ao voltar sem o inimigo do faraó, Patarbemis teve seu nariz e suas orelhas arrancadas. O fato desencadeou uma indignação coletiva, pois o mensageiro era muito querido e respeitado por todos, o que aumentou a força e popularidade de Amásis.  

Ambos os exércitos se encontraram no campo de batalha em Momemphis, que concretizou a queda de Apriés. Amásis logo ocupou a cidade de Saís, capital do Egito e assumiu o reinando no final de 570 a.C. governando até aproximadamente 525 a.C. 

Amásis (570 a.C - 525 a.C.) / Crédito: Wikimedia Commons

 

Amásis manteve Apriés como prisioneiro, em forma de respeito, mas seus súditos exigiram o sangue do antigo rei egípcio. O atual soberano o entregou ao povo — que o executou. No entanto, Apriés teria sido sepultado em Sais (capital do Egito) com todas as honras de um faraó.

Pesquisadores apontam que Amásis tinha o hábito de beber diariamente e que ele tinha uma linguagem comum, sendo inapropriado para o cargo. O atual soberano teria ainda mandado para área pública uma bacia para vômitos e para lavar os pés. Mais tarde revelou que não se tratava de uma reverência aos deuses, como muitos acreditava, mas sim uma metáfora.


+Saiba mais sobre o Egito:

1. As Dinastias do Antigo Egito:A História e o Legado dos Faraós desde o Início da Civilização Egípcia até a Ascensão de Roma (Edição Inglês), de Charles River Editors (2019) - https://amzn.to/2SEf0H1

2. Egito, de Khaled Emam (2019) - https://amzn.to/2MsIzqU

3. O Egito Antes dos Faraós: E Suas Misteriosas Origens Pré-Históricas, de Edward F. Malkowski (2010) - https://amzn.to/2ZqYqeK

4. Tutankhamon E A Maldição Dos Faraós, de John Maitland (2005) - https://amzn.to/351b0CC

5. A Maldição do tesouro do faraó, de Sérsi Bardari (2015) - https://amzn.to/2t3POib

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.