Matérias » EUA

Irmãs Sutherland: Cabelos de Rapunzel e tragédia anunciada

Com fios que mediam 1 metro, sete irmãs se tornaram celebridades. Entretanto, a fama trouxe graves consequências

Thiago Lincolins Publicado em 12/10/2019, às 08h00

None
- Crédito: Reprodução

Realizando shows no Condado de Niagara, EUA, sete irmãs pareciam não entreter o público que pagava pelo ingresso. Incomodado com o sucesso inexistente de suas filhas, o pai, Fletcher Sutherland encontrou uma maneira insólita de reverter a situação. Em 1867, Sarah, Victoria, Isabella, Graça, Naomi, Dora e Mary Sutherland se tornariam celebridades por um detalhe incomum: os enormes cabelos.

A fixação com as enormes madeixas começou com a mãe das meninas, que as impedia de cortar o cabelo. Antes de dormir, por exemplo, um óleo era aplicado para que os fios ficassem cada vez mais fortes e grossos. Quando a esposa de Fletcher morreu em 1867, as meninas não conseguiram se livrar do enorme cabelo. O pai encontrou uma oportunidade de ganhar dinheiro.

Ao promover as próprias filhas como “As Sete Maravilhas do Mundo”, agentes de circos ficaram obcecados com o tamanho dos fios. Em 1882, as meninas foram parar no notório palco do espetáculo The Greatest Show on Earth (O Maior Espetáculo da Terra) promovido pela companhia de circo Ringling.

Os cabelos mediam 1 metro / Crédito: Reprodução

 

Usando vestidos brancos e apresentando músicas da Igreja - que ao mesmo tempo se misturavam com história - as irmãs encantavam a plateia com um grande final: quando soltaram as tranças, que prendiam os cabelos, o público foi surpreendido com os enormes fios. De imediato, ganharam o status de deusas e se tornaram referência de beleza da época.

Mas não acabaria ali. O pai das meninas teve a grande ideia de patentear e vender um tônico para crescimento de cabelo, feito com a fórmula que a esposa aplicou no óleo anteriormente. O produto se tornou uma febre entre as mulheres ricas.  

Os cabelos deveriam permanecer intactos / Crédito: Reprodução

 

As irmãs, que já tinham dinheiro, se tornaram as mulheres mais ricas do século. Em 1884 o produto rendeu um total de US$ 90 mil. O valor cresceu ainda mais em 1890, quando elas venderam o total de US$ 3 milhões apenas com o tônico.

Entretanto, a fama conquistada não duraria muito tempo. Quando o pai morreu em 1888, as sete irmãs voltaram para a zona rural onde nasceram e construíram uma luxuosa mansão com 14 quartos. Elas possuíam um guarda-roupa completo - com roupas feitas sob medida -, carruagens, animais de estimação e até mesmo uma criada pessoal para cada uma.

Crédito: Reprodução

 

Quando Noami morreu, as irmãs ficaram devastadas. Com festas dadas diariamente, o álcool e outras drogas faziam parte da rotina das mulheres. Com o dinheiro e a fama, muitos rapazes tentaram se aproximar das irmãs. Um deles era Frederick Castlemaine, que flertava com Dora, mas acabou se casando com Isabella.

Após um tempo sem tragédias na família, Castlemaine cometeu suicídio. Desorientadas com a perda, o corpo do rapaz foi levado para a mansão e colocado num caixão de vidro. O episódio só foi revertido quando o departamento de saúde interviu para que o cadáver fosse enterrado. Mas o caos pioraria.

Quando Victoria, aos 50 anos, se casou com um rapaz de 19 anos, as irmãs a expulsaram de casa. Ela morreria sozinha em 1902. O futuro acabou sendo o mesmo para Isabella e Sarah.

Crédito: Reprodução

 

O destino foi cruel com as três irmãs que sobreviveram. Isso porque em 1920, o cabelo curto entrou em ascensão e o público não se interessava mais pelas longas madeixas de Grace, Dora e Mary.

Elas até tentaram carreira em Hollywood, no entanto, a viagem acabou em tragédia quando Dora foi atropelada por um carro e faleceu. Para Mary e Dora só sobrou a insanidade e a morte.