Matérias » Religião

Afinal, Jesus Cristo era casado?

A ideia é sustentada por alguns historiadores, mas o debate ainda é alvo de muita controvérsia

Redação Publicado em 24/12/2019, às 13h00

Pintura de Jesus aparecendo para Maria Madalena
Pintura de Jesus aparecendo para Maria Madalena - Getty images

Não é invenção de Dan Brown. Já no século 1, os gnósticos, que adotavam uma interpretação do cristianismo posteriormente banida, pareciam acreditar nisso. O apócrifo gnóstico Evangelho de Filipe descreve Maria Madalena como esposa ou amante de Jesus. Na Idade Média, os cátaros, que rejeitavam a divindade de Cristo e achavam que o Deus do Velho Testamento era Satã, também tinham essa opinião.

Dan Brown se inspirou no trabalho do jornalista Donovan Joyce, O Pergaminho de Jesus, de 1972, para criar seu thriller. Joyce afirmava ter lido um pergaminho secreto do ano 73, escrito por Jesus em pessoa. Não só ele havia sobrevivido como se casara com Madalena, tivera um filho e testemunhara a Guerra Judaico-Romana de 66 a 74. O manuscrito, porém, teria sido perdido e contrabandeado para a União Soviética pelo Dr. Grosset, um arqueólogo israelense corrupto.

Joyce não foi levado a sério como historiador. Mas ao menos um acadêmico defende a ideia do Jesus casado: James Tabor, da Universidade do Texas, autor de A Dinastia de Jesus.

Não seria vergonha alguma uma figura religiosa do tempo de Jesus ser casada - isso era praticamente obrigatório para os rabinos, que cumpriam a ordem do crescei e multiplicai-vos (Gênesis 1:28). Mas a interpretação oficial vem de um fato simples: nenhum evangelho - nem mesmo o apócrifo Evangelho de Maria - menciona o casamento de Cristo. E o importante discípulo Pedro, que chegou a ser chamado de primeiro papa, foi retratado como casado (Lucas 4:38).

Tabor, acusado de fazer polêmica pela polêmica, nunca se arrependeu. Afirma que, desde o lançamento do livro, ficou ainda mais convicto de que Jesus era casado.

Aqui vai a explicação: "Às vezes o silêncio fala", diz ele. "Estou convencido de que, nesse caso, o silêncio não quer dizer que Jesus era solteiro. Os autores dos evangelhos, escritos muitas décadas após a vida dele, ou não sabiam da esposa e filho ou, mais provavelmente, por razões teológicas, decidiram suprimir a informação. O Jesus desses evangelhos era o divino Filho de Deus, ascendido aos céus, e qualquer ligação mundana e sexual a uma mulher mortal seria inconcebível."    


+Saiba mais sobre a trajetória de Cristo através de importantes obras 

As parábolas de Jesus comentadas por John Macarthur: Os mistérios do Reino de Deus revelados nas histórias contadas pelo Salvador, John Macarthur, 2016 - https://amzn.to/2OBgJJt
 
Como Jesus se tornou Deus, Bart D. Ehrman (Kindle) - https://amzn.to/2QGQPX9
 
Jesus, o homem mais amado da História: A vida daquele que ensinou a humanidade a amar e dividiu a História em antes e depois, Rodrigo Alvarez, 2018 - https://amzn.to/2DbcNJS
 
JesusCopy: A revolução das cópias de Jesus, Douglas Gonçalves, 2016 - https://amzn.to/33g9Y4N
 

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.