Matérias » Primeira Guerra

Quem foi Roland Garros, o homem que deu nome a um dos maiores torneios de tênis?

Ele batizou um torneio de tênis, mas gostava mesmo é de aviação

Bruno Vieira Feijó Publicado em 18/02/2019, às 14h00

Roland Garros
Wikimedia Commons

O francês que dá nome a um dos torneios de tênis mais famosos do mundo estudou música e por pouco não se tornou um exímio pianista de orquestra. Mas, como acontecia com vários intelectuais do começo do século 20, Roland Garros (1888-1918) também era adepto de diversos esportes, como ciclismo, hóquei, rúgbi e tênis. No entanto, não era um tenista profissional. Sua verdadeira vocação era voar.

Apaixonado por shows aéreos, ele encomendou seu primeiro modelo ao brasileiro Santos Dumont. Logo já fazia piruetas pelo ar e colecionava recordes de altitude e velocidade. O feito mais notável foi em 1913, ao atravessar o mar Mediterrâneo em 7 horas e 53 minutos - um tempo espantoso para a época.

Na Primeira Guerra, ele inovou ao colocar uma metralhadora em seu Morane Tipo L. Nascia o avião de caça. "Os tripulantes até levavam armas, mas a eficiência era mínima. Garros criou uma plataforma de tiro muito precisa", diz Henrique Lins de Barros, historiador da técnica do voo do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas. Mas, em 1915, um atirador alemão acertou Garros e forçou-o a aterrissar.

Escapou em 1918 e voltou ao front, apenas para morrer a cinco semanas do fim da guerra. Esse gesto fez com que o nome de Roland Garros batizasse o campeonato de tênis, iniciado em 1928.