Matérias » Crimes

Há 82 anos, Ted Cole e Ralph Roe realizavam a mirabolante fuga de Alcatraz

A dupla de criminosos aproveitou um fator da natureza para desaparecerem para sempre, descredibilizando a penitenciária mais segura dos EUA

André Nogueira Publicado em 16/12/2019, às 07h00 - Atualizado às 07h44

Ilha de Alcatraz, na Califórnia
Ilha de Alcatraz, na Califórnia - Getty Images

Theodore Cole e Ralph Roe foram dois assaltantes de bancos que, depois de tentativas de fuga da Prisão de McAlester, em Oklahoma, foram encarcerados em Alcatraz. Isso ocorreu em 1936, quando foram encaminhados para a Baía de São Francisco por roubo e, no caso de Cole, por sequestro. Porém, essa dupla de fugitivos ficaria famosa com o mirabolante método com que destruíram a credibilidade de Alcatraz após conseguirem sair da penitenciária de segurança máxima.

Tudo começou em 16 de dezembro de 1937, quando a região da cadeia foi devastada por um nevoeiro que impediu o tráfico de embarcações e a visibilidade da Ilha de Alcatraz. A dupla de criminosos trabalhava numa sessão de corte de pneus na ala norte da prisão quando perceberam o caso e viram uma oportunidade.

Ted Cole / Crédito: Wikimedia Commons

 

O mais bizarro dessa história é que não se sabe ao certo como tudo aconteceu. A situação de fuga só foi acusada após uma contagem de rotina que ocorreu à 13h30min daquele dia, onde se identificou a ausência de dois prisioneiros. Quando investigado o setor onde eles trabalhavam, descobriu-se que a janela da lojinha onde se vendiam os pneus tinha um buraco consideravelmente pequeno, que conduzia a janela até um portão de arame nos limites da penitenciária.

O último rastro de Cole e Roe foi uma marca de arrasto na praia, após a queda de seis metros do portão. Depois disso, não se sabe o caminho seguido pelos fugitivos. Foi realizada uma busca extensiva nos arredores da ilha, mas não se encontrou ninguém.

Porém, descobriu-se que aquela fuga fora planejada com boa antecedência, pois as barras da janela usada foram cortadas com uma lâmina de serra durante um bom período de dias, em que o corte era disfarçado com uma espécie de graxa aplicada em cima.

Ralph Roe / Crédito: Wikimedia Commons

 

O que se presume é que a dupla fugiu pela água, sem deixar grandes registros. Com isso, Roe e Cole nunca mais foram avistados. Muitos concluíram que eles se afogaram na tentativa de travessia. Seus corpos seriam levados diretamente para o Oceano Pacífico, de acordo com o fluxo das marés daquela baía traiçoeira.  

Mesmo com essa alegação, o FBI manteve a investigação do paradeiro dos fugitivos. Qualquer fofoca ou alegação popular era encaminhada para o escritório, o que criou um compilado de afirmações sem averiguação completa.

Os relatos e as teorias foram diversos, que passavam desde relatórios que afirmavam que eles estavam morando na América do Sul até alegações de que eles foram vistos pegando estrada para o interior do país. Há ainda aqueles que alegam que sofreram com crimes posteriores à fuga por parte de Cole e Roe, como assaltos e tentativas de assassinato.


+ Saiba mais sobre Alcatraz pelas obras abaixo: 

1. Inside Alcatraz: My Time on the Rock - https://amzn.to/2PO8MRI

2. Alcatraz: A Definitive History of the Penitentiary Years - https://amzn.to/2Pr7H3c

3. Alcatraz: The Surprising History of America's Most Notorious Prison - https://amzn.to/36Jrpgf

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.