Matérias » Estados Unidos

A falência dos Vanderbilt: Como uma das mais ricas famílias dos Estados Unidos quebrou

A fortuna da família já chegou a ser maior até que o tesouro nacional americano, mas com o passar do tempo eles não conseguiram administrar seus bens

Caio Tortamano Publicado em 01/05/2020, às 10h30

Cornelius Vanderbilt
Cornelius Vanderbilt - Wikimedia Commons

A promessa do sonho americano não é algo recente, e data da própria fundação do país, em 1776. Procurando um lugar para enriquecer, a família Vanderbilt foi dos Países Baixos para a América e, Commodore Vanderbilt realizou o cobiçado desejo, se tornando um dos homens mais ricos do país.

Com um empréstimo de 100 dólares de seus pais, começou a transportar cargas pela baía de Nova York com seu barco, que não muito tempo depois ampliou para uma frota. Os transportes marítimos foram intensificados com a guerra contra o Reino Unido, e sua fortuna aumentou ainda mais.

Aparentemente, Comodoro pressentiu que sua fortuna um dia iria sumir nas mãos de seus filhos. William e Cornelius II não eram de confiança de seu pai, o homônimo foi enviado para um hospital psiquiátrico ainda na juventude.

Já William era considerado um tolo por seu pai, e viveu um bom tempo na fazenda da família em Staten Island, conseguindo ampliar seus negócios. Com isso, ele foi o herdeiro da companhia e responsável por dobrar a riqueza dos Vanderbilt.

William Henry Vanderbilt ampliou os negócios da família e começou a investir em estradas de ferro. A fortuna dos holandeses, que já era maior que o tesouro nacional americano, dobrou de tamanho, ultrapassando 200 milhões de dólares.

William Henry Vanderbilt foi um dos grandes nomes do ramo das ferrovias / Crédito: Getty Images

 

Após a sua morte, William dividiu o dinheiro entre seus 8 filhos, e a companhia foi herdada pelos dois filhos mais velhos, Cornelius Vanderbilt II e William Kissam Vanderbilt. A partir desse momento a promissora história da família começou a mudar drasticamente.

Com mais interesse em gastar do que propriamente ampliar a fortuna da família, os Vanderbilt se acostumaram com uma vida de aparências e riqueza. Como forma de construir uma imagem poderosa na alta classe nova iorquina, diversas festas eram dadas nas inúmeras propriedades luxuosas da família na costa leste.

A esposa de William Kissam, Alva, sediou em sua mansão um evento conhecido como o Baile Vanderbilt, em 1883. A festa fantasia foi considerada na época pelo New York Times como um verdadeiro conto de fadas, com grandiosos vestidos, joias espetaculares e outros excessos. A festa custou cerca de 6 milhões de dólares na cotação atual, dinheiro vindo diretamente da fortuna da família.

Porém, as gastanças vieram a coincidir justamente quando os negócios não iam bem como anteriormente. Na década de 1930, os transportes por navios deram lugar aos carros, barcas e caminhões.

Buscando compensar essas perdas, a família Vanderbilt começou a vender ações das suas estradas de ferro. Porém, o que eles não contavam era que grande parte da empresa seria comprada pela concorrência, que se uniu para lentamente levar os antigos líderes de vendas à falência.

Mesmo assim, eles conseguiam se sustentar com a sua fortuna histórica. E mesmo com o iminente fim do dinheiro, o nome Vanderbilt buscava se firmar por meio de ações filantrópicas em auxílio à população do estado de Nova York.

O próprio Cornelius doou um milhão de dólares para a construção da Vanderbilt University, em Nashville, no Tennesse. Já William Henry tinha uma ampla coleção de artes, e a paixão se refletiu em seus filhos. A família financiou galerias de artes e museus, inclusive financiando um cinema a céu aberto na cidade de Hyde Park.

Nem mesmo as boas ações da família os salvaram do óbvio, e a fortuna desapareceu rapidamente. Dentro de trinta anos após a morte de Cornelius Vanderbilt , — em 1877 — conhecido como Comodoro, nenhum membro da família estava entre os mais ricos dos Estados Unidos. Em uma reunião familiar de 1973, entre os 120 presentes na confraternização chegava, nenhum sequer chegava a ser milionário.

Anderson Cooper / Crédito: Getty Images

 

O mais notório descendente ainda vivo da família é Anderson Cooper, âncora do canal televisivo CNN. Filho de Gloria Vanderbilt (uma das únicas da família a se sustentar por conta própria, sendo uma estilista e atriz reconhecida), Cooper não terá direito a nenhuma herança.

Ao que parece, ele está muito bem com isso e já afirmou publicamente não se preocupar com a situação devido ao seu ótimo salário na emissora.


+ Saiba mais sobre Vanderbilt através das obras abaixo:

Robber Barons: The Lives and Careers of John D. Rockefeller, J.P. Morgan, Andrew Carnegie, and Cornelius Vanderbilt, Charles River Editor (2017) - https://amzn.to/2NJA63j

The First Tycoon: The Epic Life of Cornelius Vanderbilt, T. J. Stiles (2010) - https://amzn.to/2ugIWPe

America’s Most Notorious Robber Barons: Jay Gould, Andrew Carnegie, and Cornelius Vanderbilt (English Edition), Edward Schultz (ebook) - https://amzn.to/2sEbdi2

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W