Matérias » Personagem

Homens, mulheres e ménage à trois: a agitada vida sexual de Janis Joplin

Considerada a Rainha do Rock, a mulher se descrevia como "simplesmente sexual"

Isabela Barreiros Publicado em 10/05/2020, às 10h00

A icônica Janis Joplin, Rainha do Rock
A icônica Janis Joplin, Rainha do Rock - Wikimedia Commons

Voz potente e uma personalidade cativante — essas são as maiores marcas de Janis Joplin, que chegou a ser considerada a Rainha do Rock. Mas outros aspectos sobre a icônica artista também são importantes para entender seu legado nos dias de hoje. O estilo de vida e a sexualidade da cantora são dois deles.

A vida íntima de Janis era altamente sexual. Ela chegou até mesmo a declarar que era “simplesmente sexual”, um rótulo que combina muito bem com o que se sabe sobre a intimidade da cantora. Pelas contas dela própria, foram mais de 2 mil homens e centenas de mulheres em sua cama.

A “onívora sexual” chegou a narrar publicamente uma de suas histórias curiosas relacionadas a sua vida sexual. Uma vez, ela estava em uma viagem de trem, que terminou em frustração. Ela tinha conseguido fazer sexo com apenas 65 homens dos 365 homens que estavam a bordo com ela.

Ron "Pigpen" McKernan e Janis Joplin / Crédito: Divulgação

 

Vinda de uma pequena cidade do Texas, Port Arthur, a menina desde sempre soube que era diferente. O conservadorismo de seu distrito natal não acuou a futura cantora: na verdade, pode-se dizer que o exato oposto aconteceu em sua trajetória, marcada por liberdade e excentricidade.

Ela tinha um apetite insaciável. Teve relacionamentos longos e curtos com diversas personalidades importantes. Mas também dormiu com marinheiros, fãs e qualquer um que ela tivesse vontade. Alguns desses namoros são lembrados até os dias de hoje, tanto pela pessoa que foi envolvida com a atriz, falecida em outubro de 1970, quanto pelo público, que guarda até hoje a memória de uma das mais importantes figuras da história da música.

A crítica musical Holly George-Warren explorou muito na biografia Janis: Her Life and Music (2019) (Janis: Sua Vida e Música, em tradução livre) esse relevante lado da cantora. Considerando a mulher uma onívora sexual, a listagem de relações amorosas — e estritamente sexuais — foram listadas pela escritora.

Country Joe McDonald e Janis Joplin / Crédito: Divulgação

 

Muitos de seus amantes também eram artistas. O mundo da música envolvia seus membros romanticamente e de todas as maneiras possíveis. Entre eles, estavam Ron "Pigpen" McKernan, fundador da banda Grateful Dead e Country Joe McDonald, da Country Joe & the Fish, por exemplo. O último até mesmo compôs uma música para ela, chamada Janis.

Ela provavelmente ficou noiva duas vezes: em 1965, com Peter de Blanc, que trabalhava em Nova York na empresa de tecnologia IBM, e com o romancista Seth Morgan, de julho 1970 até o fim da sua vida, em outubro, apenas poucos meses depois.

Além de se relacionar com homens, Janis também teve namoros marcantes com mulheres. A primeira moça que aparece na lista de relações da cantora é Jae Whitaker. As duas ficaram juntas até que Whitaker se cansou do uso contínuo de drogas pesadas da artista. Ela também traía a namorada, tendo diversas relações sexuais com outras pessoas. O nome de Whitaker apareceu na história de Janis pela primeira vez na biografia escrita por Alice Echols, Scars of Sweet Paradise (1999) (Cicatrizes de um doce paraíso, em tradução livre).

O relacionamento da Rainha do Rock com Peggy Caserta provavelmente é o mais famoso quando se fala de sua vida íntima. No começo, a amizade das duas era apenas platônica, mas acabou se desenvolvendo em uma história que faz parte da vida de Caserta até os dias de hoje.

Peggy Caserta e Janis Joplin / Crédito: Divulgação

 

As duas faziam de tudo juntas: de heroína a ménage à trois. Uma história contada no livro da mulher que cuidava de uma butique quando conheceu Janis, Going Down With Janis (1973) é o encontro das duas com Seth Morgan no quarto da cantora. Esse foi um dos ménages dos quais a artista participou, em 1970.

Caserta, no entanto, afirma hoje que não acredita que a namorada era lésbica. "Ela era selvagem. Eu sou gay, tenho uma namorada. Mas Janis jamais faria algo que seus pais não aprovariam, além de cantar. Ela sempre disse que se casaria", declarou em uma entrevista. Janis provavelmente se encaixaria melhor no termo bissexual, devido aos seus relacionamentos com ambos os gêneros.


+Saiba mais sobre Janis Joplin através das obras abaixo, disponíveis na Amazon:

Com amor, Janis, de Laura Joplin (2019) - https://amzn.to/3djSlXv

Janis: Her Life and Music, de Holly George-Warren (2019) - https://amzn.to/2yqNdBZ

Janis Joplin: Eine Biografie, de Ingeborg Schober (eBook) (2015) - https://amzn.to/2L13IYi

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W