Matérias » Personagem

A insólita saga de William McKinley, o homem que virou presidente dos EUA sem sair de casa

Em uma campanha presidencial, no mínimo, peculiar, McKinley discursou para milhares de eleitores em seu próprio jardim

Joseane Pereira Publicado em 16/10/2020, às 11h00

Cartaz de campanha de William McKinley,
Cartaz de campanha de William McKinley, - Wikimedia Commons

Um consenso entre candidatos a cargos políticos é que fazer campanha dá trabalho. Para escalar a presidência é necessário estar próximo da população, discursando com convicção no maior número de locais possível. Mas não foi assim para todos: em 1896, o futuro presidente William McKinley e sua equipe elaboraram uma estratégia que lhe permitia concorrer ao cargo sem sair de sua casa em Canton, Ohio.

A campanha

Após seu adversário William Jennings Bryan, um democrata de Nebraska, ter anunciado seus planos de viajar de trem pelo país, McKinley e seus conselheiros precisaram elaborar planos eficazes. Quando seu gerente de campanha Mark Hanna o aconselhou a também investir na via férrea, ele respondeu: “De jeito nenhum. É melhor colocar um trapézio no gramado da frente do que competir contra Bryan no trem. Eu ficarei aqui e farei o que deve ser feito”.

William McKinley, presidente dos EUA / Crédito: Wikimedia Commons

 

Entre as inspirações para fazer campanha em casa estava o exemplo de Benjamin Harrison, que durante a campanha presidencial de 1888 se encontrou com eleitores em sua casa em Indianápolis. Também a lembrança de apoiadores reunidos no gramado de McKinley para comemorar sua indicação à presidência, em junho daquele ano, foi um incentivo à empreitada.

Casa de McKinley em Canton, Ohio / Crédito: Reprodução

 

A decisão estava tomada: ao invés de viajar entre um estado e outro, McKinley faria com que os eleitores fossem até ele. E deu certo. Trens lotados com pessoas partiam de toda parte ao seu encontro, e entre os apoiadores estavam clubes de mulheres, cultivadores de abóboras e grupos excêntricos.

Em contraste com o show que era a campanha ferroviária de Bryan, a relação de McKinley com seus eleitores era hospitaleira e familiar. Ele aparecia de manhã fazendo muitos discursos e convidava os apoiadores a visitarem sua casa, enquanto a equipe de campanha distribuía panfletos. Cerca de 750 mil pessoas foram visitá-lo em sua residência.

Derrotando Bryan em 1896, William McKinley se tornou o 25º Presidente dos Estados Unidos, marcando a história do país com uma campanha, no mínimo, curiosa.


+Saiba mais sobre os Estados Unidos por meio das obras disponíveis na Amazon

 Uma breve história dos Estados Unidos, James West Davidson (2016) - https://amzn.to/2SWvTeX

A história não contada dos EUA, Peter Kuznick (2015) - https://amzn.to/343GMSx

Estados Unidos: A formação da nação, Leandro Karnal (2001) - https://amzn.to/31deBhU

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du