Matérias » Arqueologia

A incrível reconstrução facial de São Valentim

O santo padroeiro dos namorados teve o rosto atribuído pelo designer brasileiro Cícero Moraes em 2018 e mostrou feições diferentes do esperado

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 21/08/2021, às 08h00

Reconstrução facial de São Valentim
Reconstrução facial de São Valentim - Cícero Moraes

Como relata a BBC, São Valentim provavelmente foi um bispo que viveu durante o terceiro século da Era Cristã, um mártir cristão da Roma Antiga. Hoje em dia, ele é conhecido por sua data comemorativa, o 'Dia dos Namorados', celebrado em 14 de fevereiro.

Embora seja um santo reconhecido tanto pela Igreja Católica quanto algumas Igrejas Orientais, pouco se sabe sobre sua história. No entanto, historiadores apontam que ele foi assassinado pelo imperador romano Cláudio II após ajudar soldados a se casarem com suas parceiras ilegalmente, via Daily Mail.

Pensando na importância do santo, um projeto realizado em 2018 teve como objetivo dar rosto a essa notável figura histórica e foi idealizado pelo Museu de Antropologia da Universidade de Pádua em parceria com o grupo de pesquisas arqueológicas Arc-Team, além da Igreja de São Jorge em Monselice.

Processo da reconstrução facial de São Valentim / Crédito: Cícero Moraes

 

Para desenvolver a reconstrução facial de São Valentim, os pesquisadores usaram como base os restos mortais atribuídos ao religioso. Em uma tumba armazenada na Igreja de São Jorge, na província de Pádua, na Itália, estava o crânio que teria sido do santo.

Depois de identificar o que seria usado para o projeto, os arqueólogos da Universidade de Pádua obtiveram imagens em alta resolução do crânio.

Com esse material em mãos, o designer brasileiro Cícero Moraes, especializado em reconstrução facial forense, foi responsável, então, por desenvolver a face da figura histórica.

“Comecei a modelar os principais músculos do crânio, depois disso colocamos marcadores de profundidade do tecido para saber como o rosto era formado em diferentes regiões”, explicou. “Depois, fiz esculturas digitais sobre os músculos e marcadores de profundidade do tecido. Para terminar, coloquei o cabelo e a roupa”.

O rosto do santo

Reconstrução facial do santo católico / Crédito: Cícero Moraes

 

O santo padroeiro dos namorados apareceu relativamente jovem na reconstrução facial em 3D, comparado com as representações que já existem de sua figura. Ele não tinha um rosto delicado, mas sim feições mais rústicas.

“São Valentim é uma história que foi ampliada ao longo do tempo e pode ser uma lenda feita por mais de uma pessoa. Neste caso, o homem reconstruído é jovem”, diz Moraes. 

O resultado explicita a hipótese apontada por Cícero: o santo provavelmente foi mais de uma pessoa. Pelo menos três, como explica o designer, o que faz com que a face seja diferente do esperado devido a algumas imagens já conhecidas do santo.

"A Igreja Católica é um pouco caótica nesse sentido. Mas há muitos homônimos. E, pelo que se sabe, a figura protetora dos namorados é a mescla de três desses santos", afirma o especialista.

"Um deles, eu mesmo havia 'reconstruído' no ano passado. O terceiro eu também adoraria fazer, mas parece que ele morreu em uma missão na África e não se sabe sobre seu sepultamento”, completa.

No caso do crânio guardado na Igreja de São Jorge em Monselice, os pesquisadores realizaram uma datação por radiocarbono e chegaram à conclusão de que os restos mortais remontavam ao mesmo período histórico da lenda de São Valentim

“Os especialistas tiveram contato direto com [o] crânio e fizeram o teste do carbono 14. Foi um jovem que viveu mais ou menos entre os anos 119 e 338”, disse Moraes. São Valentim teria nascido em 226 d.C. e morrido em 269 d.C.


+Saiba mais sobre o trabalho de Cícero Moraes por meio de seu site clicando aqui.