Matérias » Família Real Britânica

Influência no zodíaco: Como a irmã da rainha Elizabeth II inspirou o horóscopo moderno

Com o nascimento da princesa Margaret, as previsões astrológicas ganharam destaque. Entenda!

Penélope Coelho Publicado em 07/04/2021, às 15h53

Fotografia da Princesa Margaret ao lado de uma foto ilustrativa de um mapa astral
Fotografia da Princesa Margaret ao lado de uma foto ilustrativa de um mapa astral - Wikimedia Commons / Divulgação/ Pixabay

Ao longo de sua vida repleta de polêmicas, a irmã da rainha Elizabeth II, princesa Margaret, foi uma das figuras de grande destaque da monarquia britânica até o dia de sua morte, em 9 de fevereiro de 2002.

Contudo, além de gerar curiosidade sobre sua vida pessoal, relacionamentos e pela maneira de se vestir, a irmã da rainha também foi influente em um aspecto peculiar: a astrologia.

De acordo com uma reportagem publicada em 2019 pelo jornal The Washington Post, o nascimento de Margaret, em 21 de agosto de 1930, foi um dos assuntos mais comentados na época, já que todos estavam curiosos para saber mais sobre a nobre.

De acordo com informações repercutidas pela revista Cláudia, na ocasião, o jornal britânico The Sunday Express aproveitou o reboliço causado pelo nascimento da Condessa de Snowdon para chamar o astrólogo R.H. Naylor com o objetivo de fazer previsões sobre o futuro da menina.

O hábito não era tão comum na época, contudo, alguns ‘pressentimentos’ do homem se concretizaram e isso mudou o rumo e a estrutura do horóscopo como conhecemos hoje.

Princesa Margaret, a irmã de Elizabeth II / Crédito: Wikimedia Commons 

 

Previsões

Após o nascimento da filha mais nova de George VI — irmão do então sucessor ao trono Edward VIII —, Naylor fez uma previsão astrológica curiosa. No texto publicado em uma coluna do jornal The Sunday Express, o profissional dizia que os astros reservavam “eventos de tremenda importância para a família real e para a nação”, quando Margaret completasse sete anos.

Inicialmente, a fala do astrólogo não chamou tanta atenção, entretanto, não foi esquecida pelos leitores. Alguns anos depois, a 'previsão' de Naylor se concretizou, já que um evento chocante envolvendo a realeza aconteceu.

Quando completou seis anos de idade — prazo próximo ao previsto por R.H. — a pequena Margaret viu sua vida mudar.

Em 1936, seu tio Edward VIII havia assumido o trono, porém, no mesmo ano decidiu deixar o reinado com a intenção de se casar com Wallis Simpson. Sendo assim, George VI, o pai de Elizabeth e Margaret, se tornou rei. 

Eduardo VIII e Wallis Simpson durante suas férias na Iugoslávia em 1936 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Tendência mundial 

Ao acertar a previsão referente à monarquia, não demorou muito para que Naylor se tornasse uma celebridade da astrologia, já que as pessoas passaram a acreditar cada vez mais nos astrólogos, com interesse de saber o que poderia acontecer com elas.

Na época, o homem conquistou um espaço fixo para escrever em uma conceituada revista, de acordo com a reportagem do Washington Post, o astrólogo chegava a receber 28 mil cartas por dia.

Com a alta demanda, R.H. não dava conta de responder todos os pedidos e nem de fazer uma previsão individual para cada leitor, por isso, decidiu formar um sistema de horóscopo simplificado, que é usado até os dias atuais.

Na época, o homem decidiu dividir as previsões com base nos signos do zodíaco, como repercutiu uma reportagem do Yahoo News NZ.

"Ele dividiu um trânsito de 360 graus em 12 zonas, cada uma medindo 30 graus. Então nomeou cada uma das zonas a partir de uma diferente constelação celeste e ofereceu blocos de previsões para cada signo solar”, explicou o biógrafo da Condessa de Snowdon, Craig Brown, segundo o site.

Com essa decisão de simplificar o sistema, Naylor revolucionou a prática e formatou um modelo que continua sendo usado até hoje, graças a uma previsão acertada relacionada à notável princesa Margaret.


+Saiba mais sobre a Família Real Britânica em grandes obras disponíveis na Amazon:

Diana. O Último Amor de Uma Princesa, de Kate Snell (2013) - https://amzn.to/2TgHgPO

The Queen: The Life and Times of Elizabeth II (Edição Inglês), de Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2RhgNA7

God save the queen - O imaginário da realeza britânica na mídia, de Almeida Vieira e Silva Renato (2015) - https://amzn.to/2xTkiGd

O Amor Da Princesa Diana, de Anna Pasternack (2018) - https://amzn.to/2xOZ8c9

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W