Matérias » Curiosidades

A intrigante história da baleia mais solitária do mundo

Blue, a baleia dos 52 Hertz, impressiona pesquisadores por sua voz única e comoveu a todos com sua história de solidão

Alana Sousa Publicado em 18/07/2021, às 07h00

Imagem meramente ilustrativa de como seria a baleia dos 52 Hertz
Imagem meramente ilustrativa de como seria a baleia dos 52 Hertz - Divulgação/YouTube/GMC - Creative

Em plena Guerra Fria, em 1989, enquanto militares dos Estados Unidos estavam em missão para encontrar submarinos soviéticos, o que encontraram foi algo muito mais incomum. Através do monitoramento de seus equipamentos marítimos, os soldados identificaram um som estranho, vindo do Pacífico Norte.

O som foi classificado como vindo de uma baleia, mas alguma coisa ainda não parecia normal. Em comparação com outros sons já captados, aquele era distinto e quase indecifrável. A frequência que as baleias cantam é entre 15 e 20 hertz; este animal, entretanto, cantava em 52 hertz.

Para os humanos, o barulho seria tão grave quanto o de uma tuba, já para outras baleias, é extremamente agudo, praticamente imperceptível. A frequência é inaudível para os espécimes, assim, a ‘baleia de 52 hertz’ foi classificada como ‘a mais solitária do mundo’.

As baleias são bichos bastante sociáveis e usam sua voz para atrair outros membros da espécie, como uma forma de comunicação. Porém, devido à característica estranha deste animal marinho em particular, seu desejo de ser notado é em vão.

Após o fim da Guerra Fria, em 1991, os militares repassaram o que sabiam sobre a baleia para pesquisadores marinhos — o que não era muito —, todavia, até hoje inúmeros enigmas continuam em aberto.

Imagem meramente ilustrativa da cauda de uma baleia / Crédito: ID 12019/Pixabay

 

A baleia 52 hertz

Não está claro se a 52 hertz é fêmea ou macho, alguns especialistas sugerem que seja um espécime masculino, baseado no consenso de que são os machos que cantam para atrair suas parceiras, segundo a Gazeta do Povo.

A espécie também é incerta, enquanto alguns pesquisadores acreditam que seja uma baleia-azul por conta de sua rota, outros pensam que seria um híbrido, o que explicaria a deformidade em sua voz e a exclusividade perante a outros animais.

Para saber com certeza os biólogos marinhos teriam que examinar a Blue, uma tarefa praticamente impossível devido à imensidão do oceano. Apesar de sua frequência ter sido detectada por aparelhos, encontrar a baleia não é tão simples assim, mesmo que sua rota seja mapeada.

Imagem meramente ilustrativa de uma baleia jubarte / Crédito: Free-Photos/Pixabay

 

Enquanto sua fama de baleia mais solitária se espalhou ao redor do mundo, muitos cientistas condenam a dramatização humana em um fenômeno incerto. Não é possível afirmar que Blue sofre por estar sozinha, a humanização seria uma forma de comover os humanos, mais do que tentar entender de fato o que causa sua solidão.

Até hoje, sinais da Blue são detectados, se de fato se tratar de uma baleia-azul, ela pode ter mais alguns anos de vida, pois, os animais da espécie vivem em torno de 80 a 90 anos. O que daria aos humanos mais chances de entender suas características únicas e enfim resolver o mistério.


+Saiba mais sobre animais a partir de grandes obras disponíveis na Amazon:

Moby Dick (Coleção Clássicos de Ouro), de Herman Melville (2017) - https://amzn.to/2OXNTF0

Mocha Dick: or the White Whale of the Pacific: A Leaf from a Manuscript Journal, de Jeremiah Reynolds (2013) - https://amzn.to/2qlpM8J

Ocean: A Visual Encyclopedia, de DK Publishing (2015) - https://amzn.to/31L941I

Animals: A Visual Encyclopedia, de DK Publishing (2012) - https://amzn.to/33TNk6r

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W