Matérias » Crimes

Fetiche por sapatos: Conheça o sanguinário Jerry Brudos

Serial killer norte-americano, Brudos matava e abusava do cadáver de suas vítimas. Deixando a situação mais insólita, o psicopata se masturbava de salto alto

Redação Publicado em 27/08/2019, às 08h00

None
- Reprodução

Jerry Brudos pode ser considerado um dos mais terríveis assassinos em série dos EUA. Famoso por seu macabro fetiche por sapatos, Brudos assassinou pelo menos quatro mulheres no Oregon entre 1968 e 1969, praticando necrofilia com seus corpos e se masturbando de salto alto após os crimes.

Trajetória

Nascido em Webster, Dakota do Sul, Brudos foi o mais novo de dois filhos. Desde o nascimento, teve uma trajetória infeliz: sua mãe, ao descobrir que tivera mais um filho homem, o tratou com desprezo desde a mais tenra idade. Os maus tratos físicos e psicológicos deixariam marcas profundas no garoto.

Desenvolvendo um fetiche por sapatos femininos aos cinco anos de idade, após brincar com sapatos de salto alto em um ferro-velho local, Brudos roubava os sapatos de suas professoras do primário. Passando a adolescência dentro e fora de hospitais psiquiátricos, o jovem cresceu alimentando esse fetiche, que se tornaria mortal.

Brudos e sua esposa / Crédito: Reprodução

 

Aos 17 anos, ele sequestrou e espancou uma garota, ameaçando esfaqueá-la caso não atendesse suas exigências sexuais. Após ser preso, ele foi submetido a um tratamento psiquiátrico, no Hospital do Estado de Oregon, onde se descobriu que suas fantasias eram alimentadas por ódio e vingança contra a mãe e as mulheres em geral.

Em 1961, aos 22 anos, ele se casou com uma garota de 17, com quem teria dois filhos. Morando em um subúrbio de Salem no Oregon, ele pedia que sua esposa fizesse o trabalho doméstico nua, vestindo apenas salto alto, ocasião em que ele tirava fotografias. Nessa época, Brudos começou a reclamar de dores de cabeça e apagões, que eram amenizados com ataques noturnos, onde ele roubava sapatos e roupas íntimas femininas.

Os assassinatos

Entre os 29 e 30 anos, teve lugar sua trajetória como serial killer. A primeira vítima foi Linda Slawson, de 19 anos, que fora à sua residência vender livros. Brudos a atraiu ao porão, estrangulando-a e vestindo-a com roupas e sapatos roubados. Seu pé esquerdo foi cortado com uma motosserra, e o corpo foi jogado no rio Willamette.

As vítimas / Crédito: Reprodução

 

Karen Sprinker, de 18 anos, foi sequestrada em uma loja de departamentos. Brudos, que vestia roupas femininas durante o ataque, levou-a para sua casa longe das vistas da esposa e filhos. Além de fotografar e molestar Karen enquanto viva, ele também fez sexo com seu cadáver inúmeras vezes. As outras vítimas foram Jan Whitney, de 23 anos, e Linda Salee, de 22. Estranguladas e estupradas após a morte, ambas tiveram como destino final o rio Willamette.

Após um pescador encontrar os corpos no rio, a polícia passou a investigar o local. Através da denúncia de uma estudante universitária, eles chegaram à casa de Brudos, encontrando as ferramentas e cabos utilizados para amarrar os cadáveres.

Em 28 de junho de 1969, o serial killer foi condenado à prisão perpétua na Penitenciária Estadual do Oregon, onde ficou até a sua morte, em março de 2006.