Matérias » Estados Unidos

Jerry Jacobson, o ex-policial que enganou o McDonald’s e lucrou milhões de dólares

Durante 12 anos, Jacobson encabeçou um esquema que envolvia donos de clubes de strip-tease, mafiosos, traficantes de drogas e até mesmo uma família de mórmons

Fabio Previdelli Publicado em 26/04/2020, às 10h00

Ronald McDonald, personagem do McDonald’s
Ronald McDonald, personagem do McDonald’s - Divulgação

Jerry Jacobson roubou mais de 24 milhões de dólares em uma grande promoção de uma rede multinacional de fast food que durou 12 anos. Seu segredo? Roubar e vender peças da promoção McDonald’sMonopoly.

A fortuna de Jacobson, assim como sua queda, originou-se do simples jogo que consistia em juntar selos — que vinham em lanches, batatas fritas, refrigerantes e sorvetes — que formariam uma sequência correspondente as propriedades do jogo. Cada um desses conjuntos poderia ser trocado pelos mais variados prêmios, que iam desde sanduíches gratuitos até carros e uma quantia de um milhão de dólares.

Jerry era o responsável pela segurança da promoção, entregando os selos do jogo às fabricas de embalagens do McDonald’s. Em vez disso, durante a maior parte dos anos 1990, ele roubou os cartões premiados e vendeu para uma vasta rede de amigos e parentes distantes.

No final, mais de 50 pessoas foram condenadas pelo esquema. Entre eles, donos de clubes de strip-tease, mafiosos, traficantes de drogas e até mesmo uma família de mórmons.

Quem foi Jerry Jacobson?

 Jerry Jacobson / Crédito: Divulgação

 

Jerome Paul Jacobson nasceu em 1943, em Youngstown, Ohio, nos Estados Unidos. Ele sempre quis ser policial e até tentou construir uma carreira no ramo, mas sua saúde debilitada frustrou seus planos rapidamente.

Em 1976, Jerome Jacobson foi empossado no Departamento de Polícia de Hollywood da Flórida, mas logo ficou fora do trabalho devido a uma lesão no pulso, seguido por um distúrbio neurológico que o deixou inapto para o trabalho.

O início dessa história acontece no momento em que Jacobson e sua esposa, Marsha, saem da Flórida e se mudam para Atlanta. Lá, ela começou a trabalhar como auditora de segurança e ajudou Jerry a conseguir um emprego com um de seus clientes, a Dittler Brothers, que imprimia as peças do McDonald’s.

Após eles se separarem, o ex-policial se tornou o guardião das peças da promoção. De acordo com ex-colegas, Jacobson era um supervisor de olhos de águia e procurava possíveis selos furtados até nos sapatos de seus funcionários.

Embora estivesse ganhando um salário confortável de US $ 70.000 por ano, Jacobson ficou obcecado com esquemas de "enriquecer rápido" e muitas vezes deixava o trabalho para consultar seu médium favorito. Logo, a tentação de quebrar o sistema da promoção ficou muito difícil para ele resistir.

Em 1989, Jacobson roubou sua primeira peça de jogo e deu ela para seu meio-irmão, Marvin Braun. A peça vencedora valeu um prêmio de 25.000 dólares. Em seguida, um selo que dava um prêmio de 10.000 dólares foi comprado por um açougueiro local por menos de 25% do valor do prêmio. Mas isso era apenas o começo.

Por dentro do esquema do Monopoly

Crédito: Divulgação

 

Como auditor de segurança, Jacobson estava encarregado de garantir que as peças do jogo chegassem com segurança às fábricas de embalagens do McDonald's em todo o país. O esquema começou em 1995, quando ele recebeu por engano um pacote do fornecedor da empresa em Hong Kong. O envelope estava cheio de selos anti-adulteração. Ter essas peças especiais era a chave para o sucesso de seu golpe.

Durante as viagens de negócios, Jacobson trocou secretamente as peças vencedoras do jogo dentro dos envelopes com peças “comuns” e depois as selava novamente com os adesivos anti-adulteração. Ele fazia isso dentro do banheiro masculino no aeroporto, onde podia fugir do auditor independente da empresa que o acompanhava nas viagens. Assim, ele poderia escolher a dedo quem seriam os vencedores e receber uma parte dos lucros.

Entre um desses vencedores, estava Gennaro Colombo, proprietário de um cassino e boate que alegava estar conectado à família mafiosa de Colombo, em Nova York. Gennaro, que se referia a Jacobson como "tio Jerry", juntou-se ao golpe, indicando pessoas que poderiam recrutar possíveis interessados em ganharam a promoção.

Colombo e sua esposa, Robin, reivindicaram, em Boston, uma premiação de 1 milhão de dólares que conseguiram por um dos selos. Em seguida, o pai de Robin e seu cunhado também ganharam o prêmio 1 milhão do McDonald, mas eles reclamaram o prêmio em diferentes locais — para evitar suspeitas.

A teia de corrupção

Crédito: Wikimedia Commons

 

Jacobson estava arrecadando dezenas de milhares de dólares por prêmio. Ele e sua nova esposa, Linda, se mudaram para uma grande casa de tijolos vermelhos com um gramado em Lawrenceville, na Geórgia. Jacobson comprou mais imóveis, fez cruzeiros caros e tinha inúmeros automóveis de luxo em sua garagem.

Ao longo de 12 anos, o Tio Jerry repassou prêmios a várias pessoas. Algumas realmente ganharam prêmios, mas outras alegaram que foram enganadas pelo esquema. Estima-se que a operação tenha arrecadado 24 milhões de dólares. Sendo que alguns integrantes do esquema eram proprietários de clubes de strip-tease, condenados, médiuns, traficantes de drogas, mórmons e mafiosos.

A rede passou a expandir quando Andrew Glomb, um dos recrutadores de Jacobson que era ex-presidiário e enriqueceu com contrabando de cocaína, deu muitas das peças vencedoras para seus antigos amigos do narcotráfico.

Entretanto, em março de 2000, o agente especial do FBI Richard Dent, recebeu uma dica anônima, informando-o sobre uma farsa de uma década que girava em torno da promoção do Monopoly do McDonald’s.

Crédito: Wikimedia Commons

 

O informante contou ao agente Dent sobre a fraude do "tio Jerry" e de todo o esquema de corrupção. A pessoa acrescentou que o mais recente vencedor do grande prêmio do McDonald's Monopoly, Michael Hoover, foi um falso vencedor envolvido na fraude.

O agente Dent ligou para uma porta-voz do McDonald's, Amy Murray, para transmitir a notícia chocante. A empresa não fazia ideia de que havia uma rede de golpistas trabalhando juntos para fraudar a promoção durante a última década.

Em 3 de agosto de 2001, uma equipe de filmagem do McDonald's chegou à casa do vencedor de um milhão de dólares, Michael Hoover. Mal sabia Hoover que a equipe era na verdade um casal de agentes do FBI, ouvindo atentamente seu falso conto de como ele conseguiu o selo premiado.

No final do mês, o FBI realizou uma operação na residência de Jacobson. A agência fez oito prisões, incluindo Andrew Glomb e outro conspirador chamado Dwight Baker, sua esposa Linda e participantes que trabalhavam como recrutadores de Jerry, além de vencedores falsos.

No final, Jacobson foi acusado de conspiração por cometer fraude fiscal. Ele foi condenado a 15 anos de prisão e concordou em pagar 12.5 milhões em restituição. Enquanto isso, alguns de seus comparsas conseguiram sair da prisão em liberdade condicional e, até hoje, trabalham para pagar o prejuízo que causaram.


+Saiba mais sobre o tema por meio dos livros disponíveis na Amazon

Fome de poder: a verdadeira história do fundador do McDonald's, Ray Kroc (2018) - https://amzn.to/34C6IS1

McDonald's: Behind the Arches, John F. Love (1995) - https://amzn.to/2SbTUzq

Fast Food Nation: The Truth Behind Your Burger, Eric Schlosser (2012) - https://amzn.to/2tviRLI

Jogo Hasbro Monopoly - https://amzn.to/2GQYmN9

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W