Matérias » Personagem

Joe Dimeo: a impressionante história do primeiro transplante bem-sucedido de face e mãos

Após perder as pálpebras, orelhas e boa parte dos dedos, o jovem teve as mãos e o rosto transplantados em agosto de 2020

Victória Gearini Publicado em 14/02/2021, às 10h00

Joe Dimeo, antes e depois do transplante
Joe Dimeo, antes e depois do transplante - Divulgação / Centro Médico NYU Langone

Nos últimos anos, a comunidade científica cada vez mais têm procurado técnicas e procedimentos que melhorem a saúde e a vida das pessoas.

Embora seja recente, o procedimento de transplante de rosto e mãos agora é uma alternativa, graças a uma cirurgia bem-sucedida que foi divulgada em fevereiro deste ano.

O paciente em questão era Joe Dimeo, jovem estadunidense que teve o rosto e as mãos desfiguradas após sofrer um grave acidente de carro, em 2018. 

Trágico acidente 

Enquanto dirigia por uma estrada de Nova Jersey, Joe Dimeo acabou dormindo e, em seguida, o veículo capotou. Contudo, antes de o carro ser completamente consumido pelas chamas, uma pessoa que passava pelo local conseguiu retirar o rapaz de dentro do automóvel.

Joe Dimeo antes do acidente / Crédito: Divulgação / Youtube / Inside Edition

 

Felizmente, Dimeo conseguiu sobreviver ao ocorrido. No entanto, o jovem teve 80% de seu corpo atingido pelas chamas.

Com queimaduras de terceiro grau, ele perdeu alguns membros, como as pálpebras, orelhas e boa parte dos dedos. Além disso, a mobilidade do rosto e expressões faciais foram comprometidas.  

O transplante 

Em uma coletiva de imprensa realizada neste ano, o médico que coordenou a equipe cirúrgica, Eduardo Rodriguez, disse que o procedimento foi realizado em agosto de 2020 e durou cerca de 23 horas. 

Os especialistas só confirmaram a notícia recentemente, pois, estavam esperando o organismo do rapaz aceitar o procedimento, uma vez que, no passado, outras duas tentativas não tiveram sucesso. 

"Já foram realizados mais de cem transplantes de mão com sucesso e cerca de 50 transplantes de rosto. Então, fundamentalmente, não havia razão para que eles não pudessem ocorrer juntos, com sucesso", relatou o médico durante a coletiva. 

Joe Dimeo após o acidente / Crédito: Divulgação / Youtube / NYU Langone Health

 

Conforme repercutido pela CNN, o procedimento exigiu a colaboração de mais de 80 profissionais divididos em seis equipes cirúrgicas. Além disso, foi necessário utilizar duas salas de operação para realizar o transplante.

Em um dos ambientes, os médicos removeram as mãos e o tecido do rosto de um doador que estava morto.

Após o procedimento, os especialistas substituíram os membros por próteses impressas em 3D. Já na outra sala, as mãos e a face de Dimeo foram retiradas para dar lugar ao transplante.

“Sempre iniciamos a operação com um momento de silêncio para homenagear a família do doador, para respeitar sua grande perda, para nunca esquecer as doações que foram feitas. Em todas essas operações, é importante reconhecer que alguém deve desistir de sua vida para que os outros possam continuar vivendo", disse Rodriguez na coletiva de imprensa. 

O sucesso 

Após 23 horas de trabalho exaustivo, os médicos finalizaram a operação. Dimeo, por sua vez, atendeu bem às expectativas dos profissionais. De acordo com a CNN, durante o tratamento o rapaz sempre se manteve disposto e otimista com o resultado. 

Joe Dimeo após o transplante / Crédito: Divulgação / Youtube / Inside Edition

 

Ao longo da coletiva de imprensa, o rapaz agradeceu, ainda, ao seu doador. "Gostaria de reconhecer a abnegação de meu doador e como nada disso seria possível sem seu sacrifício", disse Dimeo.

Conforme a CNN noticiou, o paciente encontra-se bem. Além disso, está animado com a nova fase em sua vida, que se iniciou com o transplante. "Quero compartilhar minha história para dar esperança às pessoas no mundo", desabafou o jovem à imprensa.


+Saiba mais sobre a história da medicina por meio de obras disponíveis na Amazon:

Medicina Macabra, de Morris Thomas (2020) - https://amzn.to/2RzES5S

Medicina Dos Horrores: A História De Joseph Lister, O Homem Que Revolucionou O Apavorante Mundo Das Cirurgias Do Século XIX, de Lindsey Fitzharris (2019) - https://amzn.to/2uEVDDw

Cambridge - História da Medicina, de Roy Porter (2008) - https://amzn.to/38ZeyHN

Doenças que mudaram a história, de Guido Carlos Levi (2018) - https://amzn.to/33woA1R

A grande mortandade, de John Kelly (2011) - https://amzn.to/2vsqnZa

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W