Matérias » Mundo

Jornalista revela troca de cartas com assassino que se inspirou em série

Em entrevista transmitida pela CBS, Lillibuen mostrou o conteúdo e confissões dentro das correspondências

Redação Publicado em 25/04/2022, às 13h24

Mark Twitchell
Mark Twitchell - Reprodução/ Canal CBC

Na noite do último domingo, 24, o jornalista investigativo Steve Lillibuen revelou ter trocado mensagens com o assassino Mark Twitchell, que cumpre pena por um assassinato inspirado na série estadunidense 'Dexter'.

O assassino usava um site de relacionamento chamado “Plenty of Fish”, passando-se por uma mulher em um perfil fake, em busca de convencer suas vítimas a encontrá-lo fisicamente.

Ele me escreveu provavelmente 30 ou 35 cartas diferentes - até cerca de 350 páginas... como um livro inteiro", disse o profissional.

Steve também destacou que, quando fazia perguntas, recebia "10 páginas de volta como resposta".

Em entrevista ao canal CBS, o jornalista afirma que Twitchell está lúcido e longe de qualquer tipo delírio, e que seus crimes, portanto, seriam fortemente precipitados e bem estudados antes de realizá-los.

 Matei Johnny Altinger em um terrível acidente de autodefesa. Depois de afastar superficialmente minhas sensibilidades humanas, lidei com seus restos mortais de uma maneira desrespeitosa que me traumatizou para sempre", relembrou o jornalista enquanto reproduzia uma das correspondências recebidas. 

A vítima relatada nesta carta é John Brian Altinger, 38 anos. O homem foi enganado e levado ao “quarto da matança” — uma garagem adaptada a um set de filmagem, onde eram registrados os homicídios.

 O jornalista, afirma ter dissecado a psique do criminoso, reforça a teoria de seu instinto assassino tendo como provas suas mensagens: 

"Parece que sou único no mundo. Não há chave. Nenhuma causa raiz... Se eu realmente fosse capaz de assassinato premeditado... Normal, saudável, bem ajustado, 30 anos de idade. Homens... uma vez eu ouvi a lenda de outra vítima digna... Eu lidei com seus restos mortais de uma maneira desrespeitosa que me traumatizou para sempre... Assassino em série psicopata... Eu rapidamente passei a me ressentir e odiar esse homem", disse o criminoso. 

Inspiração em série 

Twitchell iniciou seu plano de assassinato em 2008, quando tentou atrair o jovem Gilles Tetreault, enganado para um encontro com a fictícia Sheena na tal garagem do medo. O criminoso o atacou vestindo uma máscara de hóquei, mas o rapaz iniciou uma luta com ele e escapou.

Ele percebeu que deixou de ser uma vítima do agora conhecido 'Assassino Dexter' ao ver a mesma máscara em uma coletiva de imprensa. Seu depoimento ajudou as autoridades a ligar ele aos crimes.

No documento, o assassino explicava que incluía "vários rolos de plástico" e um tambor de aço "para partes do corpo", além de um "kit" contendo várias facas diferentes e uma serra serrilhada "até o osso".

A polícia vinculou detalhes do documento a evidências encontradas na garagem, que o cineasta Mark supostamente alugou para filmar seus curtas-metragens e na verdade, serviam para realização dos crimes.

Os investigadores também encontraram um barril com marcas de fogo na garagem, que está relacionado a uma passagem do roteiro em que o assassino fala sobre tentar queimar restos humanos.

A mancha de sangue invisível a olho nu, descoberta por especialistas com a ajuda de produtos químicos, seriam desse curta-metragem, mas logo foram ligadas ao sangue da vítima.