Matérias » Estados Unidos

Há 72 anos, Kenneth Arnold avistava os primeiros discos voadores da História

Fato ocorreu em 24 de junho de 1947. Até hoje, a história do respeitado piloto gera controvérsias entre pesquisadores

Joseane Pereira Publicado em 24/06/2019, às 08h00

None
- Crédito: Reprodução

O dia 24 de junho de 1947 é um marco para a história da ufologia. Nesse dia, o aviador e empresário norte-americano Kenneth A. Arnold teria avistado próximo ao Monte Rainier, em Washington, nove objetos aéreos incomuns em forma de disco, que voavam de maneira curiosa. Era a primeira vez em que o famoso termo Disco Voador foi cunhado.

Encontro cósmico

Após ter avistado os OVNIs, Arnold se tornou uma pequena celebridade, concedendo entrevistas a jornais e revistas acadêmicas e conquistando uma legião de fãs e seguidores. Vista assim, essa história parece ser obra de charlatanismo. Entretanto, o que concedeu maior credibilidade ao seu relato foi o fato de que o aviador era respeitado e engajado em suas funções, e dificilmente arriscaria a seriedade inventando histórias sobre extraterrestres.

Minutos antes das 3 da tarde, enquanto voltava de uma viagem de negócios em Washington, o empresário avistou nove objetos brilhantes que voavam acima do Monte Rainier a 1.200 milhas por hora. A princípio, pensou que poderiam ser simples reflexos na janela do avião, entretanto os objetos pareciam se mover por conta própria.

Relatório de Arnold para a inteligência da Força Aérea do Exército (AAF), datado de 12 de julho de 1947 / Créditos: Reprodução

 

Entre os clarões luminosos, que voavam a 40 km de distância, apenas um tinha o curioso formato de meia-lua. Se aproximando e girando freneticamente, os objetos ficavam quase invisíveis quando vistos de lado: eram verdadeiros discos. Anos depois, Arnold afirmaria que o movimento mais fiel dos objetos no céu seria o de um conjunto de pires saltando sobre a superfície da água. Descrição que na época foi encurtada por jornalistas sob o termo Discos Voadores.

Segundo o historiador Mike Dash, “Arnold tinha os ingredientes de uma testemunha confiável. Ele era um homem de negócios respeitado e piloto experiente, e parecia não estar exagerando nem acrescentado detalhes sensacionais ao seu relato. Esses detalhes impressionaram os jornalistas que o entrevistaram e deram credibilidade à sua história”.

No mesmo ano, foram coletados relatos de 853 avistamentos de discos voadores, em praticamente todos os estados dos EUA.

Controvérsias

Ao longo dos anos, Arnold escreveu diversos artigos sobre sua experiência de contato com os discos. Em 1952, publicou um livro intitulado A Chegada dos Discos, e em 1977 compareceu a uma convenção para marcar o trigésimo aniversário do nascimento da era moderna de OVNIs.

Kenneth Arnold e seu disco / Crédito: Reprodução

 

Entre os que desconfiam da veracidade desse encontro estão o escritor Steuart Campbell,  que argumenta que os objetos seriam picos cobertos de neve. Seu cálculo da velocidade determinou que eles estariam viajando na mesma rapidez que o avião de Arnold, o que provava que na verdade os objetos estavam parados.

Nos anos 2000, o engenheiro norte-americano James Easton afirmou que o piloto teria visto pelicanos em voo, cujas penas refletiam a luz. A forma e posição dos animais estaria de acordo com o relato dado por Arnold para o comportamento dos objetos.