Matérias » Personagem

Lili Elbe: a emocionante saga da transsexual que inspirou o filme A Garota Dinamarquesa

Baseada no romance de David Ebershoff, a produção acompanha a trajetória da artista que entrou para a História ao fazer a primeira cirurgia de redesignação sexual

Pamela Malva e Victória Gearini Publicado em 06/03/2021, às 10h15

Lili Elbe, artista transsexual
Lili Elbe, artista transsexual - Wikimedia Commons

Do gênero drama biográfico, o filme A Garota Dinamarquesa, dirigido por Tom Hooper, foi lançado em 2015, tornando-se um grande sucesso dos cinemas. Baseada no romance de David Ebershoff, a trama resgata a trajetória e os obstáculos enfrentados pelo casal de artistas dinamarquesas Lili Elbe e Gerda Wegener.

A dupla ficou conhecida não somente pelas suas ilustres artes, mas também pela vida pessoal e amorosa. Segundo o site UOL, Elbe é considerada por muitos estudiosos como a primeira pessoa da História — que se tem registros — a fazer uma cirurgia de redesignação sexual. 

A paixão avassaladora 

Nascida em 1882, na Dinamarca, a pintora transsexual foi registrada sob o nome Einar Magnus Andreas Wegener. Segundo o site El País, embora ela fosse considerada uma pessoa calma, a jovem era introspectiva e também vivia muito deprimida. Quando podia, expressava seus sentimentos por meio de suas obras, pintando e colorindo as telas.

Lili Elbe, em 1926 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Já na fase adulta, ela se mudou para a capital de Copenhague, para ingressar nos estudos da Academia Real Dinarmaquesa de Belas Artes. No local, a artista conheceu Gerda Gottlieb, uma bela jovem ilustradora. Na época, Lili ainda era conhecida como Einar.

Conforme a aproximidade florescia, a paixão começou a crescer e, em 1904, o casal acabou casando. Gerda, por sua vez, sempre percebeu diversos traços finos e delicados, normalmente presentes na pintura da amada — que até então se vestia como um homem. 

De acordo com o portal UOL, a ilustradora foi essencial para a jovem assumir sua verdadeira identidade de gênero. Em um determinado dia, Gerda teve a ideia de um novo quadro e precisava que alguma mulher posasse para ela. Contudo, todas suas modelos já estavam ocupadas com outros trabalhos. 

 Gerda Wegener, artista / Crédito: Wikimedia Commons

 

Como alternativa, ela pediu para o amado se vestir com algumas roupas femininas. Logo, graças ao trabalho como modelo, posando para a própria esposa, a artista encontrou a resposta para um de seus maiores desconfortos. Uma vez Einar, o homem deprimido e introvertido, ela se encontrou como Lili, a modelo expansiva e flutuante.

"Não posso negar que me diverti. Gostava da sensação de roupas femininas macias; na verdade, parecia tomá-las naturalmente. Senti-me em casa nelas desde o primeiro momento", escreveu Lili Elbe em seu diário, reproduzido na obra Man into Woman, divulgada pelo UOL.

A identidade de gênero

A partir disso, a artista passou a usar roupas femininas com maior frequência. Einar não se identificava com o gênero que lhe foi atribuído ao nascer. Segundo o portal UOL, durante a década de 1920, a artista teve conhecimento sobre cirurgias de redesignação sexual, feitas pelo Instituto Alemão de Ciências Sexuais, em Berlim.

Na época, o instituto fazia pesquisas relacionadas à gênero e sexualidade, comandandas pelo sexólogo Magnus Hirschfeld. Com o apoio constante de Gerda, Lili viajou para a Alemanha, onde passou pelo procedimento de retirada dos testículos e do pênis.

Lili Elbe, por Gerda Wegener / Crédito: Wikimedia Commons

 

De acordo com o El País, a artistas passou por diversas operações, feitas pelo cirurgião Kurt Warnekros, que segundo ela, teria a salvado e a criado novamente. Contudo, logo o caso virou notícia na Dinamarca e na Alemanha.

Como represália, em 1930, o tribunal dinamarquês invalidou o casamento, pois a união entre duas mulheres não era permitida na época. Devido a separação, isso possibilitou que a trans conseguisse alterar seu nome em diversos documentos.

"Estou tão feliz quanto você pode ser quando você é libertado das condições de vida que lhe foram impostas e se sente em total conformidade com você mesmo", disse a artista em entrevista ao jornal dinamarquês Politiken, reproduzida pelo UOL.

Melancólicos momentos finais

Por mais que estivessem separadas, a dupla ainda se amava. Contudo, a artista percebeu que seu amado, o esquecido Einar, já não existia mais. Assim, Hans Axgil entrou para a equação, casando-se com Gerda. Já Lili, anos depois de sua transição, conheceu Claude Lejeune, um negociante francês de artes.

Cena do filme A Garota Dinamarquesa (2015) / Crédito: Divulgação / Universal Pictures Brasil

 

Segundo o El País, ela estava apaixonada e decidiu que se submeteria a uma cirurgia final, que envolvia um transplante de útero e a construção de uma vagina. Entretanto, a falta de tecnologia apropriada fez com que os procedimentos experimentais causassem uma forte reação em seu corpo.

Pouco tempo depois, o seu organismo rejeitou o útero transplantado e Lili sofreu grandes consequências, incluindo infecções. Conforme apontou a obra Man into Woman, reproduzida pelo UOL, a trans veio a óbito devido complicações cardíacas, em setembro de 1931 — embora alguns veículos da época tenham noticiado que a morte foi em decorrência de um grave câncer. Gerda, por sua vez, nunca parou de pintar a imagem da amada.


+Assista ao trailer de A Garota Dinamarquesa (2015):


++Saiba mais sobre o tema por meio de obras disponíveis na Amazon:

A garota dinamarquesa, de David Ebershoff (2016) - https://amzn.to/3bhpp40

A Transexualidade Sob a Ótica dos Direitos Humanos, de Inajara Piedade da Silva (2017) - https://amzn.to/2TVfJlV

Políticas Públicas LGBT e Construção Democrática no Brasil, de Cleyton Feitosa Pereira (2017) - https://amzn.to/2MAVQxm

Cidadania Trans: O Acesso À Cidadania Por Travestis E Transexuais No Brasil, de Caio Benevides Pedra (2020) - https://amzn.to/3dEYRsr

Reconhecimento dos Direitos Humanos LGBT, de Patrícia Gorisch (2014) - https://amzn.to/3gYV7UM

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W