Matérias » Biologia

Lingcod: O peixe que pode ter 500 dentes e coloração azul

Encontrado próximo ao Alasca, o animal chama atenção pelas características únicas

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 17/11/2021, às 18h11

Foto mostra boca do animal
Foto mostra boca do animal - Divulgação / Socientifica

O hábito da pesca possibilita o conhecimento dos biomas aquáticos, conhecidos no ramo da biologia como os mais vastos e desconhecidos pela dificuldade de alcançar os locais mais fundos das águas. Até por isso, as populares “histórias de pescador” marcam o termo pela desconfiança de passagens improváveis.

Se um pescador alcançasse um lingcod, conhecido popularmente como bacalhau ling, e explicasse aos colegas de profissão ou amigos cada uma das características do peixe, certamente seria desmentido pela raridade; além de crescer, em média, até 1 metro de comprimento e pesar 80 kg, sua coloração e arcada dentária são únicas.

Com presas afiadas, o lingcod possui aproximadamente 500 dentes na boca, que em certas variações das espécies, pode chamar ainda mais atenção pela coloração azulada de sua carne, como registra o portal Socientifica. 

Foto do lingcod após pescado / Crédito: Divulgação / Sea Forager

 

Entendendo a boca

Sempre afiados, a boca tem dentes em todos os ângulos, perfeitos para se alimentarem com qualquer alimento, independente da rigidez, como crustáceos cascudos. Semelhante aos tubarões, existem múltiplas fileiras de dentes dentro dos maxilares. Contudo, a forma como eles se mantêm saudáveis é ainda mais rara.

Uma equipe de pesquisadores tiveram acesso a uma amostra do animal ainda em vida, verificando como funcionava a manutenção de seu organismo. Os resultados, posteriormente publicados na revista científica Proceedings of the Royal Society B, apontam que 3% dos dentes do bacalhau ling caem e, ao longo dos dias seguintes, serão substituídos por outros. 

Dada a média de dentes que o lingcod possui, tal fração corresponderia a perda e reposição de 20 dentes por dia. A calcificação das presas é obtida com facilidade por eles na alimentação, majoritariamente encontrados no Oceano Pacífico, em especial no Endêmico no Alaska.

Coloração bizarra

Apesar de ter explicações plausíveis sobre a quantidade de dentes, reposição e para que são usados, um fator ainda chama atenção pela característica única; ao redor de sua boca, algumas espécies do lingcod branco podem ser, ironicamente, azuis.

Porém, não se trata se uma característica de ambiental, mas gerada pelo próprio corpo. Cerca de 20% dos bacalhaus ling costumam ter carne verde ou azulada devido a uma mutação causada por um pigmento biliar, chamado biliverdina.

Apesar de possibilitar a coloração fluorescente, ainda não há estudos claros sobre como o pigmento se espalha pela pele. Mesmo assim, o peixe pode ser consumido normalmente por seres humanos e perdem a cor azul durante o cozimento, retomando a carne branca.