Matérias » Bizarro

Linhas retas e zero janelas: conheça o mais misterioso prédio de Nova York

Conhecido como Long Lines Building, o edifício foi erguido na década de 1970 e, até hoje, seu verdadeiro objetivo é alvo de discussões e algumas teorias da conspiração

Pamela Malva Publicado em 18/04/2021, às 09h00

Fotografia do curioso Long Lines Building
Fotografia do curioso Long Lines Building - Divulgação/Michael Busch

Com cerca de 8,6 milhões de habitantes, a cidade de Nova York é o lar de alguns dos pontos turísticos mais famosos do mundo. Além do famoso Central Park, ainda é possível visitar a Estátua da Liberdade, o Empire State e a imponente Times Square.

Não muito longe dos cartões postais, um outro prédio chama bastante atenção de visitantes e moradores, apesar de fazer parte do cenário urbano da cidade conhecida como Big Apple. Trata-se do ‘Long Lines Building’, no número 33 da rua Thomas.

Feita de concreto e com a típica coloração cinza de edifícios comerciais, a construção se destaca há décadas e gera curiosidade por um motivo específico. Além de sua altura, o prédio não conta com uma janela sequer em toda a sua extensão.

Fotografia da fachada do prédio em Nova York / Crédito: Divulgação/Ipinguping

 

Planos ambiciosos

Projetado em 1974, pelo arquiteto John Carl Warneke, o Long Lines Building (Prédio de longas linhas, em tradução livre) fica bem no centro de Manhattan. Sua construção, contudo, não é nada usual e parece um pouco deslocada no mar de edifícios da região.

No total, o prédio conta com 170 metros de altura, divididos em 29 andares — sendo que o famoso Empire State Building mede 381 m. Só que, no caso do Long Lines, além da visível falta de janelas, cada um dos andares também conta com um pé direito altíssimo.

Ainda mais impressionante, de acordo com o site Atlas Obscura, a construção foi projetada para suportar uma quantidade absurda de peso por metro quadrado. Tudo isso com o objetivo de servir como uma grande central de telecomunicações.

Fotografias do curioso edifício ao longe / Crédito: Wikimedia Commons/Divulgação/Lilsxkitten/

 

Comunicação é a chave

Acontece que, desde sua criação, até hoje, o prédio na 33 Thomas Street pertence à AT&T, uma gigante da comunicação nos Estados Unidos. Quase tão resistente quanto uma fortaleza, então, o prédio servia como base para os computadores da empresa.

Os equipamentos antigos, contudo, não eram tão fáceis de transportar e de manter como os dos dias atuais. Por isso, os andares deveriam ser mais altos, devido ao tamanho das caixas de metal, e o prédio deveria ser mais resistente, pensando no peso.

Naquela época, a sede da AT&T também guardava equipamentos telefônicos de longa distância. Atualmente, além dos aparelhos, o prédio ainda serve como central de armazenamento de uma parte de dados importantes detidos pela empresa.

Imagem da fachada do prédio / Crédito: Wikimedia Commons

 

Planta suspeita

Projetado para guardar uma grande quantidade de informações bastante valiosas, o edifício tem uma segurança quase impenetrável. Isso sem contar as paredes resistentes, que podem resistir a uma explosão nuclear, permitindo que os sistemas continuem em pleno funcionamento por duas semanas, mesmo sem contato com uma rede fixa.

O problema é que, segundo o The Intercept, as potentes estruturas do Long Lines estão sendo usadas para um segundo propósito, que não o comercial da AT&T. Em matéria publicada em novembro de 2016, o veículo afirmou que o edifício também serve como um centro de espionagem da NSA (Agência de Segurança Nacional).

De acordo com a denúncia, o arranha-céu teria o codinome de ‘Titanpointe’ e, entre as suas paredes sem janelas, guardaria escutas telefônicas e equipamentos utilizados para coletar dados governamentais. Por isso, inclusive, poucos teriam acesso ao seu interior.

O edifício também conta, segundo a reportagem, com três subsolos, abastecidos com comida o suficiente para que 1,5 mil pessoas se alimentem por duas semanas em caso de catástrofe. Para aqueles que sequer estão autorizados a entrar na fortaleza, o Long Lines, então, continua sendo um dos maiores e mais estranhos mistérios de Nova York.


+Saiba mais sobre histórias bizarras através das obras abaixo, disponíveis na Amazon:

Bizarre World (Edição em Inglês), de E. Reid Ross (2019) - https://amzn.to/3l7L9Bt

Os Ladrões Mais Idiotas do Mundo, de Simon Vigar (2008) - https://amzn.to/3cPQ2wj

30 histórias insólitas que fizeram a medicina, de Jean-Noël Fabiani (2019) - https://amzn.to/3cUfh0d

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W