Matérias » Música

Mamilos polêmicos: o incidente no Super Bowl que 'acabou' com a carreira de Janet Jackson

O escândalo foi tão comentado nos Estados Unidos que virou pauta no Senado e quase chegou a Suprema Corte

Wallacy Ferrari Publicado em 27/02/2020, às 14h00

O momento que o tecido de Janet é puxado por Justin Timberlake
O momento que o tecido de Janet é puxado por Justin Timberlake - Getty Images

Em 2000, a MTV americana estava em ascensão comercial após o sucesso dos artistas pop promovidos pela emissora por via do revolucionário Total Request Live, que instalou um estúdio na Times Square, em Nova Iorque, para a realização do programa ao vivo. Suas duas premiações americanas  —Video Music Awards e MTV Movie Awards —conquistavam recordes de audiência, o que chamou atenção dos produtores da NFL.

A liga de futebol americano ofereceu um contrato para a emissora para, junto aos artistas, produzirem um espetáculo musical durante o intervalo do Superbowl de 2001. A emissora aceitou e produziu um lendário show com o tema “Os Reis do Pop encontram os Reis do Rock”. Os comediantes Adam Sandler, Chris Rock e Ben Stiller anunciaram N’Sync, Britney Spears, Aerosmith, Nelly e Mary J. Blige — transformando a arena em um palco aberto.

O sucesso foi tão grande que a emissora foi convidada a fazer um contrato com a liga e produzir o Halftime Show anualmente. No ano seguinte, aconteceria o intervalo com uma apresentação de Janet Jackson, porém, os acontecimentos do 11 de setembro adiaram o show, que foi substituído por uma performance do U2 em homenagem as vitimas. Já na edição de 2003, a MTV preferiu adiar o show para 2004 e adequar a campanha “Choose or Lose”, que estimulava os jovens americanos a irem às urnas na eleição presidencial.

A apresentação ficou para o Super Bowl XXXVIII, em fevereiro de 2004. Janet, liderando a apresentação, cantou com P. Diddy, Nelly e Kid Rock antes da entrada de Justin Timberlake ao palco, que cantaria a última música. “Rock Your Body”, do disco Justified, tem como verso final da música a frase “I’ll have you naked by the end of the song” (eu vou te deixar nua até o final desta música, em inglês). A audiência estimada era de cerca de 143 milhões de telespectadores em todo o mundo.

No final da última apresentação, Justin Timberlake e Janet Jackson se unem no centro do palco para fazer a pose final e, na frase em questão, Justin puxa um pedaço de tecido da vestimenta de Janet, na altura do busto, e arranca o lado direito de seu sutiã, expondo seu seio com um piercing para milhões de pessoas durante um 1,27 segundo. A câmera é trocada por uma visão aérea rapidamente e as luzes da arena são apagadas. A pirotecnia é acionada imediatamente.

Montagem com o instante exato onde o seio de Janet é exposto - Getty Images

 

O segundo onde o seio direito de Janet aparece foi suficiente para uma explosão de ligações para as operadoras de televisão e para a CBS, emissora que transmitia a final. A retirada do tecido foi planejada dias antes da apresentação, porém, Justin não deveria ter puxado o sutiã de renda junto ao espartilho. Após as luzes apagarem, Janet saiu correndo, com uma toalha sobre o corpo, e Justin permaneceu imóvel, sem esboçar reação. O caso foi apelidado de Nipplegate, em referência ao escândalo de Watergate, que descobriu um esquema de corrupção envolvendo o presidênte Richard Nixon.

Mel Karmazin era o presidente da Viacom, conglomerado de marcas responsável pela MTV, e declarou que, apesar de orgulhoso por 99% da apresentação, o um por cento foi capaz de arruinar o contrato. A NFL não só encerrou a parceria com a MTV como baniu permanentemente de realizar qualquer outra apresentação no Halftime do Super Bowl. A direção da liga, em entrevista coletiva, declarou que estava desapontada com a repercussão.

O episódio fez a FCC, Comissão Federal de Comunicação dos Estados Unidos, obrigar todas as transmissões ao vivo a ter pelo menos cinco segundos de atraso do acontecimento real para a projeção televisionada, de maneira que as emissoras provedoras do conteúdo consigam impedir situações de obscenidade e violência.  Além da ferramenta, a FCC iniciou uma longa batalha judicial contra a NFL, MTV e a CBS, cobrando uma multa de 550 mil dólares. O caso quase chegou a ir para a Suprema Corte, mas foi recusado em 2012.

O debate também abrangeu pautas como o machismo e racismo: o escândalo foi capaz de colocar Janet na lista negra da MTV, com seus clipes impedidos de serem promovidos na emissora. Justin, entretanto, não sofreu com nenhuma punição do canal, participando com frequência de sua programação após o incidente. O motivo da punição unicamente a cantora se deve ao fato de que, posteriormente, em nota, ela revelou que não avisou da revelação do traje para a direção, feita apenas nos ensaios finais.

Timberlake, na época com 23 anos, foi criticado por não auxiliar a cantora de 38 anos. Dois anos depois, em entrevista ao MTV News, confirmou que não soube se posicionar, mas manifestou indignação sobre a exposição exagerada unicamente a cantora: “Eu acho que a América é muito severa com as mulheres. E, sabe, eu acho que a América é injustamente dura com as pessoas étnicas”.


++ Saiba mais sobre o Janet Jackson e o assunto nos links abaixo:

True You: A Journey to Finding and Loving Yourself, por Janet Jackson e David Ritz (2011) - https://amzn.to/2Pufzk6

Janet Jackson's The Velvet Rope, por Ayanna Dozier (2020) - https://amzn.to/2Pufzk6

Moonwalk Moonwalk, por Michael Jackson (2009) - https://amzn.to/2I1hPLA

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.