Matérias » Personagem

Marc Christian vs espólio de Rock Hudson: o caso que chocou Hollywood

Marc Christian foi companheiro do ator, que sofreu com a AIDS, porém não o contou - como consequência, Marc entrou em um processo legal

Ingredi Brunato Publicado em 27/09/2020, às 09h00

Marc Christian sendo entrevistado em talh show norte-americano
Marc Christian sendo entrevistado em talh show norte-americano - Divulgação/Youtube

No ano de 1985, o diagnóstico de AIDS era ainda uma espécie de sentença de morte - até havia tratamentos, mas além de caríssimos, eram pouco efetivos. 

Em meio à esse contexto que misturava preocupação e tabu, surgiu um processo judicial que abria uma discussão central dentro da epidemia de AIDS, e por isso mesmo, tomou conta das manchetes rapidamente. 

Segundo o LA Times, Marc Christian MacGinnis, que morou com o ator Rock Hudson por dois anos, estava processando os agentes do famoso porque a estrela de cinema - que havia acabado de morrer em decorrência da AIDS - não lhe contou que era portador de HIV, chegando a mentir quando ele perguntou diretamente.

Antes do processo 

Marc nasceu no distrito de Hollywood, em Los Angeles, Estados Unidos. Ele se formou em administração de empresas, contudo, seus interesses eram múltiplos: além de ter aprendido engenharia de som e gostar da ideia de atuar, suas grandes paixões eram ainda música e política. Quem contou as informações foi sua irmã, Susan Dahl, procurada pela Los Angeles Times após o anúncio da morte de Christian

Durante o julgamento do polêmico caso que o tornou famoso, ele testemunhou sobre como havia conhecido o ator. Tudo começou em 1982, durante um evento de arrecadação de fundos para a campanha de Gore Vidal, romancista e ativista que estava tentando conseguir uma cadeira no Senado norte-americano. “Onde diabos está a bebida?”, teria dito alguém e quando Marc se virou para olhar, se deparou com o galã de Hollywood, Rock Hudson

Fotografia de Rock Hudson. Crédito: Wikimedia Commons

 

Cinco meses depois, eles teriam engatado um romance, e em 1983, Christian passou a viver com o ator em sua mansão de Beverly Hills. Embora fossem parceiros sexuais, e a estrela de cinema já soubesse que era portador do vírus da AIDS, ele nada contou para o amante. 

Marc teria inclusive perguntado para Hudson, quando reparou em sua perda de peso abrupta, se ele estava desenvolvendo a doença, todavia, o ator de cinema negou, dizendo que estava simplesmente fazendo dieta. A mentira ganhou outras informações, com associados afirmando que o galã estaria sofrendo com anorexia

Entretanto, a enganação não duraria muito tempo - isso porque a saúde de Rock Hudson estava em rápido declínio. Quando ele viajou de avião para buscar um tratamento para a AIDS, o acontecimento foi transmitido pela televisão de Paris. Foi assim que Christian afinal descobriu a verdade chocante. “Eu pensei que era um homem morto”, contou ele, que era 27 anos mais novo que o ator, na época. 

O processo 

Felizmente, todos os diversos testes que Marc fez para a doença tiveram resultado negativo. Embora portador do vírus, ele havia se salvado de desenvolver a condição. Ainda assim, o estresse emocional pelo qual passou, e a irresponsabilidade do astro foram justificativa suficiente para buscar ação legal. 

Ele até havia tentado falar com os agentes do famoso, que havia morrido apenas três meses depois da transmissão televisiva, aos 59 anos, porém não conseguiu chegar a nenhum acordo. 

O júri do Tribunal Superior do Condado de Los Angeles ficou do lado de Christian, e foi determinado que ele receberia uma quantia de 5,5 milhões de dólares, descrita como uma pequena compensação pelo "máximo em horror pessoal, o medo de uma morte lenta e agonizante".

Na época, o ex-companheiro de Hudson foi retratado pelos seus advogados como um “vigarista”, e rechaçado até mesmo dentro da sociedade. 

“Foi o primeiro reconhecimento público de que os relacionamentos gays são complexos, importantes e exigem responsabilidade. Muitas pessoas devem a esse homem pela maneira como ele lidou com isso com particular graça, não apenas no julgamento, mas nos anos seguintes”, comentou Tammy Bruce, uma apresentadora de talk show e lésbica assumida.  

“Se você tem AIDS, deve contar ao seu parceiro, seja você uma estrela de cinema ou um carteiro”, teria dito ainda Marc anos depois do acontecido. Ele também acabou defendendo Hudson posteriormente, dizendo que “Você não pode descartar a vida inteira de um homem com um único ato. Essa coisa sobre a AIDS estava totalmente fora do personagem para ele”, em entrevista à revista People. 

Christian morreu aos 56 anos, sem jamais ter desenvolvido AIDS. Sua causa de morte foram questões pulmonares, devido ao seu hábito pesado de fumo.


++Saiba mais sobre Hollywood por meio de grandes obras disponíveis na Amazon Brasil:

Hollywood: 131, de Charles Bukowski (1998) - https://amzn.to/2UXDWKe

Cenas de uma revolução: o nascimento da nova Hollywood, de Mark Harris (2011) - https://amzn.to/3c6gqAr

O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler, de Ben Urwand (2019) - https://amzn.to/2ViwOqO

Hollywood Babylon: The Legendary Underground Classic of Hollywood's Darkest and Best Kept Secrets (Edição Inglês), de Kenneth Anger (1981) - https://amzn.to/2RurMWU

O livro do cinema, de Vários autores (2017) - https://amzn.to/2VeOS52

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W