Matérias » Personagem

Marlene Dietrich, a atriz que dormiu com Joseph e John Kennedy, pai e filho

Influenciado pela figura galanteadora do pai, JFK se aproveitou da credibilidade de presidente para realizar um sonho de adolescência

Wallacy Ferrari Publicado em 29/04/2020, às 15h30

Marlene Dietrich (à esq.) e John junto a Joseph Kennedy (à dir.)
Marlene Dietrich (à esq.) e John junto a Joseph Kennedy (à dir.) - Divulgação

Durante toda a carreira de atriz e cantora, as obras protagonizadas por Marlene deram a ela uma notoriedade internacional em relação ao seu talento para encenar. Sendo uma das atrizes mais bem pagas de Hollywood durante a década de 1930, sua persona glamorosa contrastava com uma personalidade marcante e opinativa.

Conhecida por convicções políticas fortes e fazer questão de falar sobre as mesmas, Marlene foi uma importante aliada do governo americano durante a Segunda Guerra Mundial, fazendo shows e visitando os soldados estadunidenses instalados em bases militares na Europa. Mesmo nascida na Alemanha, criou uma relação de confiança com políticos norte-americanos.

Uma amizade em especial chamava atenção pela controversa intimidade; Joseph Patrick Kennedy Sr., então Embaixador dos Estados Unidos no Reino Unido, se tornou uma pessoa próxima de Marlene, tendo o presidente Franklin Roosevelt como intermediário. Casado com Rose Fitzgerald desde 1914, ele não relutou em deixar o compromisso de lado para se tornar ainda mais íntimo da atriz alemã.

Retrato de Marlene Dietrich em ensaio fotográfico / Créditos: Divulgação

 

Também casada, ambos se encontraram no Hôtel du Cap em 1938, próximo de Cannes e tiveram uma noite de amor, mesmo com os cônjuges instalados no mesmo hotel, sem desconfiar do encontro. O caso foi abafado pela atriz até a década de 1980, porém, acompanhou outra revelação ainda mais polêmica.

A criação dos Kennedy’s

Joseph não fazia questão de ser o melhor exemplo aos filhos no que se refere a fidelidade; do contrário, estimulava as relações extraconjugais, ensinando suas técnicas para cortejar mulheres da alta sociedade. Os ensinamentos em questão não só foram comprovadamente eficientes com a relação dos irmãos — Robert e John se relacionaram com Marilyn Monroe — mas também para a relação paterna.

Em uma espécie de competição, os irmãos tentavam não apenas se igualar aos quiméricos recordes relatados pelo pai, mas também, alcançar sua fama no âmbito da sexualidade. Antes de Marlene, a secretária de Joseph, Janet Des Rosiers, chegou a ser cortejada por John, afirmando em seu livro de memórias que o mesmo tentou levá-la para a cama enquanto estava tendo um caso com o pai dele.

Joseph junto dos filhos Joe e John / Créditos: Wikimedia Commons

 

Porém, a principal protagonista das histórias de Joseph chamou a atenção de John, que decidiu, 24 anos depois, repetir o feito na família. Quando já era presidente, em 1962, JFK soube que Marlene se apresentaria em Washington e a convidou para uma rápida visita à Casa Branca. A atriz, que já não estava mais em seu auge, ficou animada com o convite do charmoso presidente e aceitou comparecer na residência oficial.

Quando se encontraram, Marlene tinha apenas uma hora e meia para ficar com John, pois teria um evento para 2 mil pessoas. Rapidamente rendida aos encantos do político, foi até um quarto reservado, onde tiveram relações sexuais e repousaram. Quando acordou, tinha apenas 15 minutos para chegar ao local e estava sem veículo, pois viera de taxi. Além de completamente desarrumada, tinha que se preparar para cantar para uma multidão de veteranos que a esperavam.

Kennedy acordou com pressa, se envolveu em uma toalha e orientou os mordomos da Casa Branca a lhe disponibilizarem um carro rapidamente. Enquanto conduzia a atriz aos elevadores, a curiosidade coçou: “Você já fez isso com meu pai?”, perguntou JFK para a atriz. Ela negou, mas John retrucou: “Bem, ele me disse”. A resposta de Marlene foi corporal, que apenas olhou com um sorriso de deboche enquanto o elevador se fechava. Ambos nunca mais se encontraram e Marlene morreu em 1990, vítima de insuficiência renal.


+Saiba mais sobre presidentes americanos em obras disponíveis na Amazon

As últimos dias de John F. Kennedy, por Martin Dugard (2013) - https://amzn.to/35dWDfo

Watergate: The Scandal That Brought Down a President, por Charles River Editors (2014) - https://amzn.to/2Yd2bGl

Dwight Eisenhower: A Life From Beginning to End, por Hourly History (2017) - https://amzn.to/3aOfmjJ

Reagan e Thatcher: Uma relação difícil, por Richard Aldous e Dinah Azevedo (2012) - https://amzn.to/3aNi3BR

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du