Matérias » Entretenimento

A maturidade de Jade Picon e as características da Geração Z

Participante do Big Brother Brasil vem chamando atenção nas redes sociais

Mariana Munis Publicado em 31/01/2022, às 11h58 - Atualizado às 12h03

Registro da participante Jade Picon
Registro da participante Jade Picon - Divulgação/Vídeo/TV Globo

Se você, assim como eu, não conhecia Jade Picon, uma das sisters que compõem o time Camarote (famosos) do BBB, sinto lhe dizer, mas você está entregando a sua idade.

Nascida em São Paulo, Jade tem 20 anos, possui, até o presente momento, mais de 17 milhões de seguidores no Instagram, 667 mil no Twitter, 1,5 milhão no Facebook e mais de 2 milhões de inscritos no canal no YouTube.

Jade Picon vem de família rica: filha de Carlos Picon, empresário do ramo de mármores e granitos, e Mônica Santini Froes, engenheira agrônoma que atua nas áreas de permacultura, agrofloresta, paisagismo e agricultura regenerativa.

Além de trabalhar desde cedo como modelo, Jade ficou famosa por aparecer nos stories de seu irmão, Léo Picon, que é um famoso influenciador digital e fundador da marca de roupas streetwear Approve, além de ter sido colírio da revista Capricho.

Jade é um ícone fashion e de estilo de vida para a Geração Z. Quem começou a assistir ao BBB e não seguia a Jade, achava que ela não passaria de uma garota rica e mimada. Ledo engano: Jade mostra estar aberta ao aprendizado, com muita humildade (gerando memes muito engraçados) e o que mais nos surpreende é sua maturidade: a influencer sabe se colocar, sem ser arrogante, é muito assertiva e empática.

Nota-se isso ao expor a sua opinião sobre o sofrimento de Natália ao ter se sentido trocada por Lucas, quando este optou por ficar com Eslovênia, após ficar algum tempo nos dias anteriores investindo em carinhos com a primeira.

A participante do BBB, Bárbara, que é coaching, alegou que o beijo de Lucas e Eslovênia feriu o ego de Natália. "Pelo que eu vejo, ela é uma pessoa que se incomoda quando vê que tem outra pessoa chamando mais atenção que ela", alfinetou.

Jade argumenta: "É algo da história dela, lá de fora. É um lugar que é cansativo para ela estar. Ela falou que não se sentia como a primeira opção lá fora, na vida dela, traz outras histórias, traz outras dores dela, entende? E eu a escutei e, tipo assim... Aconteceu de novo. Só que não é só culpa, aconteceu".

Novamente, Bárbara tentou argumentar: "Tudo se repete para a gente aprender, né? Eu acho que as situações que aparecem na nossa vida quando a gente identifica um padrão, são um sinal de que até tu aprender, isso vai se repetir. Todos nós temos as nossas dores". Jade discordou e acrescentou: "Mas não quando envolve assuntos mais delicados, sabe?".

Independentemente se Natália é uma jogadora cansativa, às vezes chata e considerada grossa dentro da casa, Jade entendeu que o choro da sister se dá pela solidão da mulher preta, e como esta é sempre deixada para segundo plano, por questões de racismo estrutural, como também foi pontuado nas mídias sociais pelas influencers e ex-BBBs Gleice e Thelminha.

Pontual!

Como pode alguém, com pouca idade, ser tão pontual em seu discurso? Por ter contato praticamente todos os dias com jovens, afirmo que essa é uma característica notável na Geração Z.

Os Z-lenials, ou nativos digitais, estão cada vez mais “on” no mercado de trabalho e como shoppers (compradores), e nós, das gerações anteriores devemos estar antenados na maneira com a qual trabalharemos com esses jovens, bem como tornaremos as nossas marcas mais atrativas aos seus olhos. Logo, pontuarei algumas características dessa geração:  

- Focam apenas aquilo que realmente lhes interessa: se eles não vêm motivo e importância para fazer algo, eles não vão fazer. Logo, nós temos que vender muito bem a nossa ideia para que eles possam executá-la, afinal, se não encontrarem um sentido, não vão realizar a tarefa.

- Precisam entender o porquê das coisas, são muito críticos, questionadores e vão atrás da informação (quando esta é de seu interesse). E se uma marca ou alguma coisa não os agrada, eles sabem prontamente dizer não: são muito transparentes e não são tão bons em serem políticos, como a Geração Baby Boomer, por exemplo.

- Gostam de viver e mostrar aquilo que de fato eles são: podemos ver essa característica na própria Jade, quando ela assume não saber fazer serviços domésticos, ou desconhece hábitos considerados de gente de baixa renda, afinal, a influencer sempre teve uma condição de vida privilegiada, porém, ela não desdenha ninguém e procura sempre aprender com os brothers da casa.

Crédito: Divulgação/Vídeo/TV Globo

- Errar, assumir que errou e fazer algo que repare ou minimize o erro: são de marcas assim que a os Z gostam de consumir e trabalhar. O famoso conceito de antifrágil: ter vulnerabilidades, reconhecê-las e ter a humildade de assumir os erros e buscar melhorá-los. Jade é assim o tempo todo na casa, característica de sua geração.

- Conectam-se com causar sensíveis, que podem mudar o mundo: Jade já deixou claro que vai doar seu prêmio para causas sociais, caso seja campeã.

- São ativos, multifacetados, conseguem fazer várias coisas ao mesmo tempo. É uma geração empreendedora e inovadora, que procura deixar a sua marca pessoal em tudo que faz. Jade, além de influencer, empreende sua marca de roupas, Jade Jade.

- Por se conectarem muito cedo nas redes e se comunicarem com pessoas do mundo inteiro, os Z têm menos dificuldade de trabalhar em equipe e com diversidade do que as gerações anteriores.

Por isso, Jade conseguiu se colocar no lugar de Natália e entender o contexto mais macro com a qual a sister está inserida (a solidão da mulher negra e o Racismo Estrutural no Brasil).

Crédito: Divulgação/Vídeo/TV Globo

Por qual motivo os Z-lenials, e uma de suas representantes, Jade Picon, são assim? Essa geração é muito marcada por mudanças políticas, sociais e tecnológicas que influenciaram e alteraram as suas crenças e formas de viver.

Sempre conheceram um mundo instável e estão acostumados à turbulência que os rodeia. Logo, esses jovens encaram o mundo de uma forma mais pragmática e realista do que os seus pais, pois passaram por dificuldades, desde muito cedo.

Ao longo dessa edição do BBB, espero continuar rindo com memes e aprendendo muito com Jade Picon e a Geração Z. Ao invés de criticá-los, convido-o a apreciar o que há de melhor nessa geração, afinal, eles nos mostram a cada dia mais o quanto são admiráveis.


Mariana Munis é especialista em Comportamento do Consumidor e professora de Marketing da Universidade Presbiteriana Mackenzie Campinas.


Sobre a Universidade Presbiteriana Mackenzie 

A Universidade Presbiteriana Mackenzie está na 103º posição entre as melhores instituições de ensino da América Latina, segundo a pesquisa QS Quacquarelli Symonds University Rankings, uma organização internacional de pesquisa educacional, que avalia o desempenho de instituições de ensino médio, superior e pós-graduação. Possui três campi no estado de São Paulo, em Higienópolis, Alphaville e Campinas. Os cursos oferecidos pelo Mackenzie contemplam Graduação, Pós-Graduação, Mestrado e Doutorado, Pós-Graduação Especialização, Extensão, EaD, Cursos In Company e Centro de Línguas Estrangeiras.