Matérias » Ciência

Quem foi a mulher que participou da criação da Teoria da Relatividade?

Albert Einstein não foi o único criador da maior teoria de todos os tempos

Mariana Ribas Publicado em 21/02/2019, às 16h00 - Atualizado às 17h52

Einstein e Mileva, em 1912
Wikimedia Commons

Mileva Marić-Einstein foi uma física e matemática brilhante. A análise de documentos e cartas indica que a primeira mulher de Albert Einstein tenha trabalhado junto com ele em suas teorias que revolucionaram a física. Essa é uma dúvida que divide os cientistas do mundo todo.

A história de Mileva é de luta. Desde pequena, gostava de estudar. Como fazia parte de uma família rica e influente, em 1890 seu pai conseguiu colocá-la na Royal Classical High School, a melhor escola de Zagreb, onde alunas mulheres eram proibidas.

Em 1896, Mileva iniciou os estudos em Medicina, na Universidade de Zurique. No ano seguinte, mudou de planos e passou a estudar Física na Escola Politécnica de Zurique. Mileva foi a quinta mulher a ingressar nesta universidade, e a segunda a conseguir terminar os estudos no Departamento de Matemática e Física.

Mileva e Albert Einstein se conheceram na  Escola Politécnica e logo viraram amigos. Única mulher de um grupo de amigos, Mileva muitas vezes tirava notas maiores que as dos meninos, incluindo Einstein.

Em 1901, Mileva engravidou de Einstein e teve que parar os estudos de doutorado. A filha, que nasceu em 1902, teve uma doença chamada escarlatina. Não há registros sobre ela: alguns dizem que morreu, outros, que foi parar na adoção.

Cartas

Hoje, 43 cartas que foram trocadas entre o casal estão preservadas. Nelas, o casal sempre se referia às pesquisas, hoje consideradas de Einstein, como “Nossos trabalhos”, “Nossa teoria da relatividade”, etc.

Em uma entrevista à BBC News, a física Pauline Gagnon disse: "Durante as férias escolares, que com frequência passavam distantes um do outro, trocaram várias cartas nas quais Albert se referia constantemente à colaboração dela".

O filho do meio do casal, Hans Albert, afirma que já viu os dois trabalhando juntos várias vezes. Mesmo com a saída de Mileva da vida acadêmica, ela continuava ajudando ele nos trabalhos.

O físico russo Abram Joffe, que já chegou a ganhar o Prêmio Stalin, deu um depoimento sobre o assunto. Segundo ele, os artigos Annus Mirabilis Papers, publicados no jornal Annalen der Physik, tinham como nomes dos autores “Einstein-Marity”. O último nome era pra ser “Marić”, mas escreveram errado.


Pós academia

Reprodução

O casal se separou em 1916, e no mesmo ano Albert se casou com Elsa Einstein, sua prima de primeiro grau. O terceiro filho de Mileva e Einstein, Eduard, foi diagnosticado com esquizofrenia, e Mileva dedicou sua vida à ele.  

Em 1922, Einstein ganhou o Premio Nobel de Física por suas contribuições à Física teórica. Segundo os documentos, ele tinha prometido há Mileva que iria dar aos seus filhos a quantia recebida, e assim o fez. De acordo com a BBC, é possivel que Mileva tenha ameaçado Einstein a falar sobre sua participação nas pesquisas e teorias. Mas isso é apenas uma suposição.

Mileva morreu em 9 de agosto de 1948, aos 72 anos. Sem reconhecimento, como muitas mulheres brilhantes da história.