Matérias » Personagem

Morta por uma fã: 5 fatos sobre o assassinato da cantora Selena Quintanilla

Em um caso de traições e crimes financeiros, a artista de origem mexicana foi morta pela ex-presidente de seu Fã Clube em um hotel no Texas

André Nogueira Publicado em 01/06/2020, às 07h00 - Atualizado às 09h38

Selena Quintanilla
Selena Quintanilla - Wikimedia Commons

Selena Quintanilla-Perez foi uma importante cantora e intérprete estadunidense de origem mexicana, famosa por sua produção musical e artística influenciadora, com traços da musicalidade latina, do pop americano e de melodias tradicionais. Conhecida como Rainha do Tex Mex, ela criou uma legião de fãs — o que também foi sua sina.

Isso porque, em março de 1995, Selena foi assassinada por uma admiradora e sócia, que lhe aplicou uma série de crimes financeiros quando ocupava o cargo de presidente de seu Fã Clube. Baleada em Corpus Christi, no Texas, a artista morreu tentando conciliar uma situação delicada de traição e extorsão.

Conheça 5 fatos relevantes dessa história:

1. O ocorrido

A cantora foi morta por Yolanda Saldívar, que era uma sócia e presidente do fã clube de Quintanilla, após sua família descobrir que a moça desviava dinheiro e roubava as lojas da artista.

Selena / Crédito: Wikimedia Commons

 

A revelação ocorreu após a revelação de uma série de cartas de fãs reclamando que seus objetos comprados não chegaram ao destino, o que levou até Yolanda — que se apropriava das mercadorias como roupas e joias. A morte ocorreu em um quarto de hotel.


2. Um encontro mal feito

Selena tentou abordar a questão da maneira mais diplomática possível, não querendo aumentar os atritos entre a família e a sócia. Por esse motivo, tentou se encontrar com Yolanda no hotel Days Inn para que conversassem.

No dia 30 de março de 1995, uma primeira reunião foi realizada. Na ocasião, Yolanda manipulou Selena, entregando parte das notas fiscais da loja do Fã Clube e reiterando diversas vezes que era inocente, se dizendo inconformada com a acusação e com a demissão que sofrera.

A fã tentava ganhar tempo para articular um golpe ainda maior na artista. Nesse primeiro momento, os crimes de Yolanda passaram batidos, e ela voltou para casa com Selena acreditando nas mentiras. Porém, após fazer algumas cálculos, a cantora percebeu que, pelos documentos entregues, as contas não batiam.

Então, ligou novamente para a criminosa e pediu uma nova reunião no dia seguinte — que acabou ocorrendo. Naquele novo encontro, Yolanda armou uma cena de desespero, alegando ter sido violentadam, mas tudo não passou de uma manobra para enganar a artista — o que culminou no disparo que matou Quintanilla.


3. Julgamento

O caso movimentou fortemente a comunidade latina dos EUA que, apesar de não poder televisionar o julgamento, o acompanhou de perto. Como seria muito inseguro manter o júri na cidade natal de Selena, o caso foi levado para Houston, no Texas, onde as reuniões do tribunal aconteceram. A defesa de Yolanda alegou que o tiroteio que matou a artista foi acidental, o que teria sido fortalecido com o testemunho de um guarda local que não foi usado como prova.

Selena / Crédito: Getty Images

 

Porém, a promotoria do caso argumentou que Saldívar sequer chamou o 911 e nem tentou ajudar Selena após ela ser baleada. Somando-se as ocorrências já conhecidas dos crimes da fã contra o patrimônio da família Quintanilla, uma averiguação pericial afirmou que a arma usada na ocasião não poderia ser disparada de maneira não intencional.

Com isso, o juiz do caso não permitiu que a acusação fosse reduzida a um homicídio culposo ou negligência, levando à condenação de Yolanda por assassinato.


4. Prisão

Yolanda Saldíver foi condenada a prisão perpétua, cumprindo até hoje a sentença na Unidade Mountain View de Gatesville, no Texas, e poderá recorrer à liberdade condicional apenas em 2025. Sua defesa ainda recorreu a novos processos, mas nenhum deles chegou a ser tramitado.


5. Legado de Selena

Selena Quintanilla criou um arcabouço artístico de alta qualidade, que inclusive trouxe voz às comunidades de origem mexicana, caribenha e sul-americana, e, por isso, seu assassinato teve grande impacto no sul dos EUA.

Os aniversários de morte dela são de grande peso no Texas, onde, inclusive, a arma do crime chegou a ser desmontada e jogada em um rio em uma cerimônia especial.

Selena y Los Dinos / Crédito: Divulgação

 

 

Selena é considerada, nos EUA, a Rainha do Tex Mex, devido a sua herança de sincretismo entre as culturas do espanhol e do inglês. Suas músicas foram reeditadas em algumas ocasiões comemorativas em 2010 e 2012, causando comoção entre fãs que ficaram órfãos de seu grande talento.


+Saiba mais sobre Selena por meio dos livros disponíveis na Amazon:

1. Selena's Secret: The Revealing Story Behind Her Tragic Death (Edição Inglês), de María Celeste Arrarás (2015) - https://amzn.to/2PgcVz8

2. She Killed Selena (Edição Inglês), de Amy Delaney - https://amzn.to/2Ux7EFB

3. Para Selena, Con Amor (Edição Espanhol), de Chris Perez (2012) - https://amzn.to/2MHPPQn

4. From Santa Anna to Selena: Notable Mexicanos and Tejanos in Texas History Since 1821 (Edição Inglês), de Harriett Denise Joseph (2018) - https://amzn.to/32GSMpZ

5. Selena Quintanilla-Pérez (Edição Inglês), de Katlin Sarantou (2020) - https://amzn.to/2UQsmiH