Matérias » Personagem

Há 52 anos, Robert Kennedy era brutalmente assassinado nos Estados Unidos

Atuando como procurador e senador dos EUA, o político havia sido conselheiro do irmão e quase foi o segundo da família na presidência

André Nogueira Publicado em 06/06/2020, às 07h00

Robert Francis Kennedy, senador dos EUA
Robert Francis Kennedy, senador dos EUA - Getty Images

Entre a polêmica família Kennedy, poucos membros foram mais próximos do ex-presidente John do que seu irmão mais novo, Robert. Conhecido pela sigla RFK, o senador americano fez carreira política na Procuradoria Geral dos EUA, se empenhando em pautas políticas progressistas importantes da época.

Bobby Kennedy foi procurador, senador e conselheiro do presidente quando o irmão governou entre 1961 e 1963. De caráter conciso e progressista, ele foi relevante na resolução da Crise dos Mísseis em Cuba, além de participar de debates em relação aos direitos civis dos afro-americanos.

Robert com o ativista Cesar Chavez / Crédito: Getty Images

 

Sua posição de confiança no governo foi consideravelmente abalada após o assassinado de John F. Kennedy no Texas, em 1963. Assumindo o vice Lyndon Johnson, Robert se alinhou ao governo, mas logo entrou em embate forte com o presidente, devido opiniões divergentes em relação à pauta da Guerra no Vietnã e o investimento exagerado no exército.

Assim, Bobby passou a se preocupar com temas internos dos EUA e lançou campanha para o Senado, sendo eleito por Nova York em 1964. O movimento impulsionou a imagem de RFK no sentido de propagar a possiblidade dele substituir o irmão. Em 1968, então, ele lançou sua candidatura, ganhando de McCarthy nas eleições internas do Partido Democrata.

RFK trabalhando sozinho no Senado / Crédito: Getty Images

 

Devido à defesa de Robert das pautas sociais, incluindo sua boa relação com a comunidade negra (chegando a ser o político responsável pelo anúncio nacional do assassinato do Dr. King em abril daquele ano), o jovem Kennedy aparentava ser o mais cobiçado nas primárias. Assim como o irmão, soube abstrair o fato de que era católico num país de maioria protestante.

No entanto, assim como o irmão, Bobby sofreu na mão das atrocidades da política. Em 5 de junho de 1968, enquanto comemorava o resultado das eleições, o senador foi atingido por dois disparos de revólver na cabeça.

Ele foi baleado por Sirhan Bishara Sirhan na cozinha do hotel Ambassador, em Los Angeles, onde o palestino trabalhava. A princípio, o senador teria morrido como retaliação do ativista contra o apoio incondicional do Congresso Americano a Israel durante a Guerra dos Seis Dias.

Plateia lotou no Ambassador Hotel no anúncio da vitória de Robert nas eleições primárias / Crédito: Getty Images

 

Em plena campanha, Robert Kennedy morreu no hospital de Los Angeles onde foi internado, no dia seguinte aos disparos. Seu falecimento abalou a campanha eleitoral do partido, que perdeu para o republicano Richard Nixon, que foi presidente entre 1969 e 1974.


+Saiba mais sobre os Kennedy através dos livros abaixo disponíveis na Amazon

Os últimos dias de John f. Kennedy, Martin Dugard (2013) - https://amzn.to/35dWDfo

John F. Kennedy, Hourly History (2017) - https://amzn.to/2PAtBjx

Marilyn e JFK, François Forestier (2009) - https://amzn.to/2Pc440T

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W