Matérias » Espanha

Morto em uma tourada: a insólita morte ao vivo de Víctor Barrio

Em 2016, a tragédia de Barrio chamou atenção na Espanha e no mundo

Larissa Lopes, com supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 26/01/2021, às 15h52

Víctor Barrio é atingido por touro durante a disputa espanhola
Víctor Barrio é atingido por touro durante a disputa espanhola - Divulgação/Youtube

Famosas por uma arena aberta, um touro 'feroz' e um toureiro com uma capa vermelha, as touradas existem desde o fim do século 18, no formato em que conhecemos, mas têm origem na Espanha, no século 3 a.C. Além do país precursor, as touradas também são praticadas no México, Peru e Colômbia.

Em julho de 2016, a morte do toureiro espanhol Víctor Barrio deu início ao debate decisivo sobre a existência das touradas, e se a prática é certa ou não. Víctor Barrio Hernanz, atuante desde 2008, teve uma morte trágica em que todo o mundo pôde assistir, já que a tourada foi transmitida ao vivo pela televisão.

Foi no festival Feria del Ángel, em Teruel, província da Espanha, que o touro de nome Lorenzo atacou Barrio nos primeiros segundos da disputa. Barrio foi atingido diretamente no pulmão pelo chifre do animal por repetidas vezes. Lorenzo, que pesava 529 kg, continuou atacando o toureiro, cortando sua aorta e outros pontos ao redor do coração. 

Durante o ataque, a família de Barrio assistia à morte dele horrorizada, sem poder ajudá-lo. Depois, outros toureiros e funcionários interferiram para tentar salvar a vida dele, mas, logo após chegar ao hospital, sua morte foi confirmada aos 29 anos. 

Víctor Barrio foi o primeiro toureiro a morrer numa tourada espanhola desde o ano de 1985, quando o francês José Cubero Yiyo, 21, sofreu uma ‘chifrada’ fatal em Madrid. Esposa de Barrio, a jornalista Raquel Sanz, tuitou lamentando a morte do marido.

Em tradução livre: “Obrigada a todos. Não posso responder a vocês, não tenho palavras. Minha vida se foi, não tenho forças, embora tenha muito agradecimento”. Crédito: Divulgação/Twitter.

 

Contudo, nem todos adotaram a mesma postura em relação à morte do toureiro. Ativistas a favor dos direitos animais e outras figuras públicas criticaram a tourada por ser um esporte cruel e Barrio por escolher praticá-lo. 

Na ocasião, um usuário escreveu: “#VictorBarrio se você pode torturar/matar um animal para se divertir, você não tem nenhuma simpatia da minha parte. Menos um Matador é bom!”. Ao mesmo tempo, outros internautas alertaram para ‘a falta de humanidade’ ao torcer pela morte de Barrio

O pós-Barrio

A tradição espanhola determina que, depois de matar um toureiro, o touro também deve ser morto. Dessa forma, Lorenzo foi sacrificado logo após o ocorrido. No entanto, outra tradição provocou revolta no público: a de que a mãe do touro deve ser morta. 

Lorenza, mãe de Lorenzo, recebeu apoio dos internautas para que sua vida fosse preservada, e foi parar nos trending topics do Twitter com a tag #SaveLorenza. Poucos dias depois da comoção, um jornalista espanhol revelou que Lorenza havia morrido de velhice.

A morte trágica de Barrio estimulou, assim, a discussão sobre a existência das touradas na Espanha. De 2016 para cá, a popularidade do esporte sangrento diminuiu, em parte graças às ações de organizações espanholas que lutam pelos direitos dos animais, como o Animalist Party Against Maltreatment of Animals (ou PACMA). 

Por outro lado, a direita espanhola defende que as touradas são um aspecto cultural do nacionalismo espanhol e que, ao tentar impedir a prática, os espanhóis serão antipatrióticos.

Pandemia

Com a pandemia de Covid-19, a temporada de touradas de 2020 foi cancelada, o que gerou uma perda de mais de 800 milhões de dólares para a indústria tauromáquica - a que gerencia atividades e outros eventos com touros.

Para minimizar a perda, a indústria pediu ao governo espanhol um subsídio, mas os cidadãos espanhóis se indignaram, alegando que o governo não poderia oferecer recursos para "espetáculos baseados no abuso e maus-tratos de animais".

De acordo com o site All That's Interesting, em 2021, quase 52% dos espanhóis defendem a proibição das touradas. E, sem dúvidas, a morte de Víctor Barrio foi uma advertência para a tradição considerada antiquada.