Matérias » União Soviética

Há 30 anos, Gorbachev renunciava no Natal e decretava fim da URSS

O processo de reforma democrática fez com que o líder soviético entregasse o cargo na noite cristã

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 25/12/2021, às 08h00

Gorbachev durante evento em 2009
Gorbachev durante evento em 2009 - Getty Images

No começo da noite de 25 de dezembro de 1991, o mundo via, pela última vez, a bandeira soviética hasteada em Moscou. Momentos antes, o então presidente da União Soviética (URSS) e secretário geral do Partido Comunista, Mikhail Gorbachev, entregava seu cargo como chefe de estado e declarava o fim da longeva união entre países.

Momentos depois, as capitais ao redor da capital russa trocavam, de pouco a pouco, a bandeira vermelha com a foice e o martelo amarelo pela de suas respectivas nações. No caso da sede do governo, a bandeira azul, branca e vermelha da Rússia era finalmente içada pelos soldados do país após anos guardada.

Imagem ilustrativa de bandeira soviética disposta próxima de militares / Crédito: Getty Images

 

Em meio a uma época de tentativas de golpe e acordos que faziam a União Soviética perder força, a decisão de Gorbachev pareceu a mais plausível para sair sem problemas; quatro dias antes, 11 repúblicas que compunham a URSS já haviam migrado para a recém-formada Comunidade dos Estados Independentes (CEI), desmembrando a união.

Problemas anteriores

Em junho daquele mesmo ano, a eleição de Boris Ieltsin como presidente da Federação Russa já dava a ele o controle das decisões estatais do país de maior extensão territorial do planeta. Com isso, a União Soviética já não matinha os efeitos e propósitos que motivaram sua criação, encaminhando seu fim.

Dois meses depois, enquanto Gorbachev se mobilizava junto a dirigentes das repúblicas a assinar o novo Tratado da União, um grupo nomeado Comitê Estatal para o Estado de Emergência tentou assumir o poder em Moscou através de um golpe, sem sucesso, obrigando o vice-presidente da União Soviética, Gennady Yanaiev, a ser nomeado presidente interino.

Gorbachev estava na Criméia, concluindo suas férias, e nem chegou a ver o poderoso comitê que tentou derrubá-lo, composto pelo então chefe da KGB, Vladimir Kriutchkov; o ministro das Relações Exteriores, Boris Pougo e o ministro da Defesa, Dmitri Yazov, homens que foram nomeados justamente pelo chefe de estado.

Em meio a manifestações políticas contrárias e favoráveis ao Estado, o líder preferiu reconhecer o progresso de Ieltsin e encerrar a trajetória da URSS, que durante 69 anos se tornou uma potência de 15 nações soviéticas reconhecidas mundialmente como apenas uma, na noite de Natal.

Confira abaixo a retirada da bandeira soviética na noite natalina de 1991:


+Saiba mais sobre a União Soviética através de importantes obras

Ascensão e queda do comunismo, Archie Brown, 2011 - https://amzn.to/2p7duk7

An introduction to post-Communist Bulgaria, Emil Giatzidis - https://amzn.to/2VHXFfr

Lênin – Um retrato íntimo (e-book) - https://amzn.to/2JtPQoU

Lenin: vida e obra, Moniz Bandeira, Luiz Alberto, 2017 - https://amzn.to/349ZqoT

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W