Matérias » Curiosidades

Neste dia, em 1946, Micheline Bernardini mostrava ao mundo o biquíni como conhecemos hoje em dia

A dançarina aceitou o papel que nenhuma outra modelo quis: o de usar um biquíni publicamente pela primeira vez, há 75 anos

Isabela Barreiros, sob supervisão de Alana Sousa Publicado em 05/07/2021, às 16h00

A dançarina Micheline Bernardini com biquíni em 5 de julho de 1946
A dançarina Micheline Bernardini com biquíni em 5 de julho de 1946 - Divulgação/Youtube/Institut national de l'audiovisuel

Pode parecer estranho imaginar um mundo sem os famosos biquínis, usados em praias, piscinas e onde mais for desejado. A liberdade possibilitada pela peça nesses ambientes foi o que fez com que ele se tornasse tão popular.

No entanto, os dois pequenos pedaços de pano que são usados hoje em dia não existem há tanto tempo assim. A verdade é que a primeira aparição pública da peça aconteceu há exatos 75 anos, no dia 5 de julho de 1946.

A revelação aconteceu por meio de uma conferência de imprensa realizada na Piscine Molitor, um complexo de piscinas localizado em Paris, na França, que hoje funciona como um importante hotel de luxo. 

Se agora alguns biquínis causam polêmica, em 1946 a situação era bem mais controversa. Por isso mesmo que apenas uma pessoa aceitou a proposta de usar as peças em público pela primeira vez. Tratava-se de Micheline Bernardini.

A destemida dançarina alsaciana

Foi Micheline Bernardini, que tinha apenas 18 anos na época, quem concordou com a oferta do engenheiro e designer de roupas Louis Réard. Antes dela, nenhuma das modelos com as quais ele entrou em contato achou uma boa ideia mostrar parte das nádegas e o umbigo em uma peça de roupa quase mínima.

Como ninguém queria pegar o trabalho, Réard teve que abrir sua mente e procurar por alguma pessoa que não se incomodasse em “mostrar demais”. Na época, Bernardini se dispôs a usar o biquíni pela primeira vez em público.

Nascida em Colmar, na Alsácia, a jovem trabalhava como bailarina do Casino de Paris. Ela era uma dançarina que fazia suas apresentações, na maioria das vezes, sem roupa alguma. Por já estar acostumada a mostrar grande parte do seu corpo, ela não se revoltou com a inovadora roupa de banho.

Réard ficou conhecido por ter sido o criador do ousado biquíni, que revolucionou o modo com que as mulheres se vestiam nas praias e piscinas. Mas foi a imagem de Micheline que correu o mundo e se tornou manchete nos jornais ao redor do planeta.

Um exemplo importante é o do jornal International Herald Tribune, que publicou nos Estados Unidos nove notícias sobre o evento que mostrou o primeiro biquíni. A nova criação da moda e o fato de a jovem bailarina ter aceitado usá-lo correu o mundo e fez com que ela se transformasse em uma celebridade conhecida nos quatro cantos do planeta.

A dançarina Micheline Bernardini no evento há 75 anos / Crédito: Divulgação/Youtube/Institut national de l'audiovisuel

 

Bernardini se tornou tão popular, principalmente entre os homens, que ficaram surpresos com a novidade, que acabou recebendo mais de 50 mil cartas de fãs nas semanas seguintes à conferência de imprensa. O escândalo foi imenso e as fotos não paravam de circular.

Dois anos depois do evento que mudou sua vida, a modelo mudou-se para a Austrália e participou de inúmeras coleções de biquínis que foram expostas no Tivoli Theatre, em Melbourne, entre 1948 e 1958.

Embora tenha se tornado uma celebridade internacional por seu pioneirismo, Micheline não apareceu tanto na mídia nos anos seguintes. Ela decidiu que ficaria menos exposta ao público, mas retornou para comemorar os 40 anos daquele importante dia. 

Em 1986, quando estava na casa dos 50 anos, Bernardini foi fotografada por Peter Turnley segurando a famosa imagem que circulou o mundo inteiro da aparição pública do primeiro biquíni comercializado. Atualmente, a mulher tem 94 anos e continua sendo lembrada por ter sido precursora de uma das peças mais usadas na moda.


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras disponíveis na Amazon: 

O segredo do Chanel N° 5, de Tilar J. Mazzeo (2012) - https://amzn.to/3osWJs7

O Evangelho de Coco Chanel, de Karen Karbo (2015) - https://amzn.to/2Yogfvq

História social da moda, de Daniela Calanca (2008) - https://amzn.to/36lDiLW

Como compreender moda, de Fiona Ffoulkes (2012) - https://amzn.to/3prEBAi

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página. 

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W