Matérias » Personagem

Neste dia, em 1954, Marilyn Monroe e Joe DiMaggio transformavam sua violenta relação em um casamento

Celebrado há 66 anos, casamento conturbado entre a atriz e o famoso jogador de beisebol durou apenas nove meses

Joseane Pereira Publicado em 14/01/2020, às 08h00

Marylin Monroe e Joe DiMaggio
Marylin Monroe e Joe DiMaggio - Getty Images

No dia 14 de janeiro de 1954, a musa do cinema Marylin Monroe firmava sua paixão pelo jogador Joe DiMaggio através de um casamento na cidade de San Francisco, Estados Unidos. Entretanto, o que deveria ser uma história de amor se transformou em algo trágico: com personalidades muito diferentes, eles acabaram vivendo uma relação obsessiva e violenta que durou apenas nove meses.

Relação conturbada

Dois anos antes, Monroe estava no auge de sua carreira e DiMaggio era o jogador de beisebol mais famoso do mundo. Após um encontro às cegas, os dois acabaram se apaixonando a ponto de logo pensarem em casamento. Entretanto, eles tinham personalidades muito diferentes: enquanto a atriz gostava de sair e conhecer pessoas, DiMaggio preferia ficar sozinho em casa, bebendo e fumando seus cigarros.

DiMaggio e Monroe em uma praia na Flórida / Crédito: Getty Images

 

O jogador tinha um ciúme extremo de sua companheira, chegando a proibir que ela aparecesse seminua em filmes. A famosa cena onde a saia da atriz sobe em “O Pecado Mora ao Lado” foi motivo de irritação para ele. Tudo isso culminou no divórcio, após o qual DiMaggio parou de beber e entrou na terapia.

Embora estivesse ligado a mulheres famosas, o jogador negava ter qualquer envolvimento com elas. E o contato entre ele e a atriz continuava ativo, fazendo inclusive com que ele arruinasse sua amizade com Frank Sinatra.

Eles se tornaram amigos próximos, embora DiMaggio nunca tenha deixado de lado o desejo de se casar novamente. Vontade que foi interrompida em 5 de agosto de 1962, quando Marilyn Monroe foi encontrada morta em sua casa em Los Angeles.

Seu ex-marido nunca acreditou na versão de que Monroe tinha se envenenado. Ele fazia parte dos que achavam que ela nunca tiraria a própria vida, e que tinha sido assassinada por alguém. Seu funeral foi organizado no cemitério Westwood Village Memorial Park, e DiMaggio encomendou milhares de rosas, que deveriam ser colocadas no túmulo da atriz três vezes por semana durante 20 anos.


+Saiba mais sobre Marilyn Monroe através das obras abaixo

Fragmentos. Poemas, Anotações Íntimas, Cartas, Marilyn Monroe (2011) - https://amzn.to/2MXLngw

Norman Mailer/bert Stern. Marilyn Monroe, Norman Mailer (2018) - https://amzn.to/31YfBEn

Marilyn, Norman Mailer (2013) - https://amzn.to/2ouuVLh

Marilyn Monroe: Metamorphosis, David Wills, Stephen Schmidt (2011) - https://amzn.to/3227h6F

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.