Matérias » Personalidades

Nicolau Copérnico: Há 476 anos, morria o astrônomo polonês que criou o modelo heliocêntrico

Copérnico viveu entre 1473 a 1543 e formulou um modelo de Sistema Solar que mudou completamente a nossa visão do universo

André Nogueira Publicado em 24/05/2019, às 17h00 - Atualizado às 20h00

Astrônomo Copérnico: Conversa com Deus, por Jan Matejko
Wikimedia Commons

Desde a Antiguidade, com Aristarco de Samos e Heráclides de Ponto, há a proposta de que a Terra gira em torno do Sol, sendo ela o elemento que se move no universo. Porém, por muito tempo, essa proposta de cosmologia foi negada em benefício da visão em que a Terra, onde a humanidade reside por ordem divina, é o centro do Universo. A visão de que o Sol centrava o universo se tronou própriamente um modelo científico no século XVI, pelas mãos do astrônomo e matemático polonês Nicolau Copérnico.

Nicolau (originalmente Mikolaj) nasceu em 1473 na cidade de Torun, no Reino da Polônia, província da Prússia Real, filho de uma família de comerciantes. Vários de seus irmãos seguiram a vida como religiosos do clero secular, mas Copérnico se aprofundou nos estudos dos céus e dos números, o que o fez um dos mais relevantes cientistas da História.

Copérnico e seu modelo / Crédito: Reprodução

 

Isso porque Copérnico nasceu em uma sociedade comandada pela crescente instituição da Igreja Católica, centralizada desde o século 11 e exímia defensora do modelo aristotélico de universo, que era geocêntrico — a Terra no centro do universo.  Diante desse cenário, o cientista acumulou relatos que afirmavam a centralidade do Sol no sistema, utlizando Aristarco, Johanes Kepler e Tycho Brahe e bolou um modelo que incluia o Sol no centro do universo, a rotação em órbita dos planetas em volta dele e a inclinação do eixo da Terra gerando mais um novo movimento. Era o modelo heliocêntrico.

Copérnico conseguiu desenvolver seu modelo a partir da observação da revolução dos astros (na época, a palavra revolução significava o movimento em ciclo dos planetas). Porém, diferentemente do contemporâneo Galileu Galilei, Copérnico não tinha acesso aos recentes instrumentos de observação astronômica, relatando todos os seus dados a partir da observação a olho nu.

Isso significa que, a princípio, Copérnico não relatou dados empíricos que comprovassem sua teoria, mas indicou elementos que apontavam para sua hipótese: a diferença das estações do ano, o movimento retrógrado dos planetas e a movimentação das estrelas. Galileu, mais tarde, foi responsável pela maioria dessas comprovações.

Reconstituição do rosto a partir do crânio de Copérnico / Crédito: Reprodução

 

Segundo o modelo de Copérnico, é possível elencar alguma características elementares da relação entre a Terra e o Sol. Ele coloca que o movimento dos astros são uniformes, eternos e circulares e que ocorrem em volta do Sol, ponto quase equivalente ao centro do universo. Ele também estabelece a ordem dos planetas de Mercúro a Saturno (planetas conhecidos até então, na ordem que conhecemos hoje) e que a Terra tem três movimentos naturais: a rotação diária, a volta anual, e a inclinação anual de seu eixo.

Copérnico morreu em 24 de maio de 1543, devido um derrame cerebral em Frombork, também na Polônia.