Matérias » Europa

Nudez e clandestinidade: os cartões postais eróticos do início do século 20

Comercializados na Europa entre 1890 e 1930, as obras exploravam a beleza das curvas femininas. Confira as imagens!

Pamela Malva Publicado em 14/01/2020, às 18h40 - Atualizado às 20h00

Cartão postal erótico de mulheres vestidas e seminuas
Cartão postal erótico de mulheres vestidas e seminuas - Sands of Time Consultancy

Uma das maiores inspirações de artistas plásticos através dos tempos foi o corpo das mulheres. Suas curvas foram representadas em esculturas de mármore e sua textura macia foram marcadas em pinceladas de tinta óleo.

Por isso, não foi surpresa que elas fizessem sucesso também na fotografia, quando surgiu no século 19, com o daguerreotipo e de outras técnicas de captura. Desde o início da nova arte, fotógrafos usavam modelos para eternizar o físico feminino.

No entanto, entre as décadas de 1890 e 1930, um novo tipo de fotografia atingiu seu auge na Europa. Os cartões postais eróticos, do gênero risqué, poderiam ser comprados em diversas tabacarias, bancas de jornais e livrarias da Grã-Bretanha, sempre debaixo do balcão.

Em sua grande maioria, os postais contavam com mulheres nuas, ou seminuas, posando para a câmera, em uma imagem preta e branca. Segundo Nigel Sadler, no entanto, o objetivo nunca foi excitar, mas capturar a forma e as curvas do corpo feminino.

Em seu livro, Erotic Postcards of the Early Twentieth Century (Cartões Postais Eróticos do início do século XX, em português), Nigel explica que os fotógrafos daquela época podiam fotografar mulheres nuas apenas para uso artístico. Mesmo assim, em algum momento, eles passaram a priorizar o lucro, no lugar da arte.

Cartões postais nos quais as mulheres ainda estão vestidas / Crédito: Sands of Time Consultancy

 

Assim surgiram os postais, uma alternativa pequena e prática às suntuosas fotos encontradas em galerias. Os cartões poderiam ser ocultados facilmente — o que fez muito sucesso nos comércios, principalmente naquela época, quando as autoridades queriam controlar a produção e o comércio das imagens.

Mas não pense que as peças cumpriam seu papel: naquele momento, as fotos não eram realmente enviadas como um cartão postal costumava ser dado, elas eram colecionadas. Muitas vezes, os postais eram vendidos em conjuntos de 12, em uma sequência de fotos — nelas, a modelo começava vestida e acabava nua.

Grade parte das fotos foram criadas em estúdios de fotografia parisienses. Entretanto, como a prática e venda dos postais eram clandestinas, pouco se sabe sobre os fotógrafos e sobre seus estúdios. Menos ainda sobre as modelos: acredita-se que elas eram prostitutas ou, mais provavelmente, mulheres de classes trabalhadoras que ganhavam dinheiro modelando.

Por mais que tenha feito certo sucesso, ganhando as ruas e comércios de Paris, a vida dos postais eróticos não foi longa. O gênero chegou ao seu fim, de fato, no início da Segunda Guerra Mundial.

Confira mais alguns deles:

Cartões postais de mulheres seminuas / Crédito: Sands of Time Consultancy

 

Cartões postais explorando a beleza dos corpos das mulheres nuas / Crédito: Sands of Time Consultancy

 


+Saiba mais sobre fotografia com os livros abaixo

Tudo sobre fotografia, Juliet Hacking, David Campany (2019)

link - https://amzn.to/36QrHlz

Fotografia, Tom Ang (2016)

link - https://amzn.to/2Z6lQpB

O Livro do Flash, Scott Kelby (2018)

link - https://amzn.to/2MdfAao

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.