Matérias » Personagem

O assustador Megalodon: conheça o maior tubarão que já nadou nos oceanos

Os gigantes das águas habitaram a Terra há milhões de anos e ainda deixam dúvidas

Caio Tortamano Publicado em 16/08/2020, às 09h00

O gigante tubarão em ilustração
O gigante tubarão em ilustração - Divulgação

Uma das mais poderosas feras que já existiram na face da Terra não tem, sequer, sua aparência amplamente conhecida, mas somente as suas mandíbulas são motivo para instigar pesquisas. O Megalodonte foi um parente do tubarão que pode ter atingido 18 metros de comprimento.

O monstro era de tamanha proporção que causou um grande impacto ecológico no ecossistema das comunidades marinhas de sua época, há meros 2,6 milhões de anos. As suas presas tinham que ser de tamanho suficiente para que pudessem alimentar os verdadeiros colossos que eram, portanto davam preferências a baleias, focas e tartarugas marinhas.

História e descoberta

No decorrer do Renascença, registros indicavam que fósseis triangulares gigantescos eram línguas petrificadas de monstros que nem dragões ou cobras gigantes. Isso durou até o século 17, quando o naturalista dinamarquês Nicolas Steno afirmou que se tratavam de dentes de tubarão, fazendo com que representasse pela primeira vez o animal.

Ilustração de Nicolas Sterno / Crédito: Wikimedia Commons

 

O nome megalodon foi utilizado primeiro por Louis Agassiz, um naturalista da Suíça, que por causa dos dentes tinha certeza de que se tratava de uma boca realmente poderosa. 

Mandíbula

Curiosamente, grande parte dos restos de megalodontes diz respeito a mandíbulas e dentes da criatura. A primeira tentativa de reconstruir uma dessas arcadas dentárias teria sido feita em 1909, por Bashford Dean. O zoólogo americano fez a reconstrução de maneira pouco fidedigna aos ossos conhecidos hoje em dia, estimando que poderiam chegar a 30 metros de comprimento só levando em conta os dentes — sem provas atualmente.

Reconstrução de Bashford Dean em 1909 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Dean, na verdade, superestimou o tamanho que as cartilagens desses tubarões teriam, tornando elas muito mais altas do que deveriam ter sido. Era por meio das mandíbulas que muitos pesquisadores tentavam imaginar o tamanho dessas criaturas em vida. Atualmente, as medidas se baseiam em análises modernas dos dentes.

Réplica da boca do tubarão em museu nos EUA / Crédito: Wikimedia Commons

 

Distribuição

Os megalodontes com certeza reinaram durante o tempo que estavam vivos. Além dos motivos óbvios, como a mordida com cerca de 250 dentes serrilhados, estava o fato de terem sido encontrados fósseis em diferentes lugares no mundo.

Na Europa, na África, nas Américas e na Austrália, pesquisadores foram capazes de localizar ossos desses animais, navegando em águas de regiões subtropicais, de temperatura entre 1 a 24 graus celsius — relativamente baixas. Eles também habitaram tantas regiões de costa com baixa profundidade quanto ambientes profundos.

O que matou o gigante?

Embora ainda não exista uma resposta definitiva, a teoria mais aceita é que por terem vivido durante um longo período, sofreram com as alterações do clima, especialmente com a glaciação dos polos. Essas mudanças não incomodaram propriamente os megalodontes, mas sim as presas.

Com o passar do tempo, existiam cada vez menos ofertas de alimentos para que os super predadores pudesse se alimentar. Além disso, as alterações no ecossistema levarama cada vez mais criaturas menores e mais ágeis, que conseguiam fugir das investidas dos mega tubarões.


+Saiba mais sobre o reino animal por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Ocean: A Visual Encyclopedia, de DK Publishing (2015) - https://amzn.to/31L941I

Animals: A Visual Encyclopedia, de DK Publishing (2012) - https://amzn.to/33TNk6r

Life Lessons from the Heart of Horses: How Horses Teach Us About Relationships and Healing, de Kathy Pike (2021) - https://amzn.to/31JdYMA

Animal Kingdom: A Collection of Portraits, de Randal Ford (2018) - https://amzn.to/33QdKWN

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W