Matérias » Crimes

O australiano acusado de matar o homem que invadiu sua casa e ‘guardar’ corpo por 15 anos

Para isso, Bruce Roberts teria usado uma técnica inusitada para disfarçar o odor do cadáver. Entenda!

Fabio Previdelli Publicado em 24/05/2021, às 17h35

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Imagem de Reimund Bertrams por Pixabay

Segundo artigo do The Royal College of Psychiatrists, o transtorno de acumulação é caracterizado por um padrão comportamental que leva as pessoas a guardarem objetos em excesso e/ou terem a incapacidade e relutância em se desfazer deles. Esse acumulo, com o passar do tempo, pode acabar significando a ocupação total de quartos, salas e até mesmo de casas inteiras.  

Um estudo da Clinical Psychology Review aponta que as taxas de prevalência do transtorno em adultos são estimadas entre 2% e 5%. A disfunção, embora se manifeste na infância, pode apresentar um agravamento de sintomas na fase adulta, trazendo consequências ainda piores não só para quem sofre, mas também para quem convive com pessoas com o transtorno. 

Interior da casa de Bruce Roberts/ Crédito: Departamento de Polícia

 

Um desses casos voltou a ganhar as páginas dos jornais de diversas partes do mundo na última semana. Isso porque em Sydney, na casa de Bruce Roberts, não foi encontrando apenas uma quantidade exorbitante de quinquilharias como também um corpo em estado de mumificação que estava morto há mais de 15 anos. O caso foi repercutido pelo Daily Telegraph e The Guardian.

Crime ou autodefesa?

Por mais de 15 anos o corpo apodrecido de Shane Snellman esteve sepultado ao lado de cerca de 70 purificadores de ar em um quarto escuro de uma casa de alto padrão na costa norte de Sydney, na Austrália.  

Desde que o cadáver mumificado foi encontrado na residência de Bruce Roberts, em meados de 2018, o caso intriga todos os moradores do subúrbio de Greenwich.

No entanto, na última quinta-feira, 20, o Tribunal de Justiça de New South Wales lançou uma luz no mistério que ronda o caso, depois que o médico legista Derek Lee apresentou suas conclusões.  

Como relata o jornal local, Daily Telegraph, Snellman era um criminoso com vícios em drogas e conhecido por ter uma longa ficha criminal. Sua morte se deu por um ferimento de bala — Shane foi alvejado depois que invadiu a casa de Roberts em algum momento de outubro de 2002. 

Segundo as autoridades, pouco antes, em junho, Shane havia deixado a prisão depois que foi detido por delitos relacionados ao fornecimento de drogas. Segundo as investigações, ele tinha apenas 66 centavos no bolso no momento em que foi morto.  

De acordo com Lee, a hipótese mais provável é que ele invadiu a casa de Bruce e foi emboscado logo em seguida. O dono da casa acabou lhe acertando um tiro de espingarda no ombro — na região entre a clavícula e o pescoço.  

“[A evidência] sugere fortemente que não houve oportunidade para eles se encontrarem antes da morte do Sr. Snellman ... é muito improvável que o Sr. Roberts tivesse convidado ele de boa vontade para sua casa”, disse o legista, conforme reportou o Daily Telegraph. "Todas as evidências disponíveis sugerem que o Sr. Snellman só esteve na casa de Bruce porque entrou lá de maneira não autorizada”. 

Família nega 

Quando a análise foi divulgada pelas autoridades, familiares de Snellman contrariaram as descobertas de Derek, afirmando que em nenhum momento Shane havia invadido a casa de Roberts.

Além disso, a sobrinha do sujeito disse que a família acreditava que os dois se conheciam antes da suposta invasão. “Acho que eles se conheciam, mas a polícia não concorda”, lamentou Tiana. “Eles moravam na mesma região”, recorda.  

Algumas das revistas e jornais encontradas na casa de Bruce/ Crédito: Departamento de Polícia

 

Já seu sobrinho, Anthony Snellman diz acreditar que nunca ninguém saberá ao certo o que aconteceu dentro do imóvel. “Não haverá encerramento. Ninguém vai descobrir o que aconteceu, exceto eles dois”. 

Por conta da deterioração com o passar dos anos, não foi possivel dizer a data exata de quando Shane foi morto. Como explica a imprensa local, as autoridades acreditam que o assassinato aconteceu em algum momento entre 18 de outubro — quando ele foi visto pela última vez — e 24 de outubro — quando ele não sacou o pagamento quinzenal da previdência social, algo que fazia rotineiramente.  

Mas como o corpo foi revelado?

Snellman tinha 39 anos quando morreu e seu corpo só foi encontrado cerca de 15 anos depois, graças a uma sucessão de eventos. Tudo começou em meados de 2017, quando Bruce morreu.

O cadáver de Roberts foi encontrado em 21 de julho daquele ano, caído sobre um aquecedor — por isso, ele apresentava queimaduras no rosto, ombros e peito, segundo informa o Daily Telegraph.  

Por parte de seu corpo estar carbonizado, os médicos legistas não conseguiram determinar a causa exata de sua morte, embora saiba-se que nos dias anteriores ele havia recebido a visita de um médico, já que ele se queixava de dores no peito.  

Mesmo após isso, o corpo de Shane só foi descoberto cerca de um ano depois. Na ocasião, uma equipe de limpeza foi chamada para retirar as pilhas de caixas de papel, sacos vazios, jornais e outros objetos de pouco valor que estavam amontoados na casa.  

Interior da casa de Roberts/ Crédito: Departamento de Polícia

 

A residência estava envolta por uma vegetação alta, com janelas fechadas e seladas com madeiras e pregos, além disso, fios de arame farpado cercavam todo o perímetro. Bruce também colocava latas de alumínio ao redor do seu gramado.

“Eu não tinha visto nada parecido antes”, disse o policial sênior Shane Spencer ao tribunal na quinta-feira ao descrever as pilhas de lixo descobertas quando ele foi à casa de Bruce no passado. Na ocasião, limpadores foram chamados para arrumar o local todo, que seria vendido em breve.  

Foi aí que, no dia 29 de maio de 2018, fizeram uma terrível descoberta: “O Sr. Snellman estava sentado, com as costas apoiadas na sala, curvado para a esquerda e em avançado estado de decomposição”, recorda Lee

Seu corpo estava rodeado por 70 purificadores de ar, usados para impedir que o cheiro da putrefação se espalhasse pelo local. O tribunal relatou que os desodorizantes eram parte de um esforço consciente de Roberts para mascarar o cheiro do cadáver.  

Além disso, um esconderijo de 13 armas foi descoberto no local, embora não se tenha certeza qual delas Bruce teria usado para matar Shane — se é que alguma delas foi usada de fato. Também foram encontradas marcas de impacto nas paredes do quarto, consistentes com o disparo de uma espingarda, e estilhaços foram encontrados dentro da cavidade torácica de Snellman

“Muitos dos membros da família de Roberts também expressaram a opinião de que ele seria capaz de disparar uma arma de fogo ao encontrar um intruso em sua casa e deixar os restos mortais do falecido em sua casa enquanto continuava morando lá normalmente”, declarou Derek Lee.


+Saiba mais outros desaparecimentos por meio de obras disponíveis na Amazon:

The Disappearance of Jean Spangler, de Charles River Editors (2018) - https://amzn.to/2z6PAKF

O Desaparecimento De Josef Mengele, de Olivier Guez (2019) - https://amzn.to/2SDhvIL

A verdade sobre o caso Harry Quebert, de Joël Dicker (2015) - https://amzn.to/3dn5sXE

O desaparecimento de Stephanie Mailer, de Joël Dicker (2019) - https://amzn.to/3dhUi6H

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W