Matérias » Crimes

O brutal assassinato do jogador colombiano Andrés Escobar

Após um fatídico gol contra na copa de 1994, Escobar foi alvo de torcedores que não aceitaram a derrota

Penélope Coelho Publicado em 10/05/2020, às 08h00

Andrés Escobar em campo
Andrés Escobar em campo - Divulgação

O menino Andrés Escobar deixava transparecer desde muito jovem o seu talento com a bola. Nascido na cidade de Medellín, na Colômbia, em 13 de março de 1967, Andrés começou jogando no time da escola.

Vindo de uma família colombiana de prestígio, o futebolista era filho do banqueiro Dario Escobar, que percebendo o apelo afetivo do filho pelo esporte, criou uma fundação para dar aos jovens a oportunidade de se tornarem jogadores.

Andrés Escobar durante partida de futebol / Crédito: Divulgação

 

Conhecido como Cavalheiro do Futebol, o homem assumiu a posição de zagueiro nos campos. Jogando em times de prestígio na Colômbia, como o Atlético Nacional de Medellin. Andrés teve uma breve passagem na Suíça, onde defendeu o clube Young Boys.

Carreira meteórica

Em sua carreira meteórica, Escobar foi um ídolo na Colômbia, chegando a ser capitão da seleção do país e campeão da Copa Libertadores da América, em 1989. A primeira Copa do Mundo que participou foi em 1990; Mal sabia ele que quatro anos depois, defendendo a Colômbia em mais um mundial, sua vida seria interrompida de maneira cruel.

Naquele ano, a competição mais famosa do futebol acontecia nos Estados Unidos. Uma das quatro seleções da América do Sul no torneio, a Colômbia tinha certo favoritismo em seu grupo, já que contava com um elenco habilidoso.

No entanto, o jogo dos colombianos naquele ano mostrou que o favoritismo não iria muito além, após perderem para a Romênia, a partida contra os EUA seria pior ainda. Com o saldo de gols abaixo do desejado para seguirem na competição, a Colômbia foi eliminada e o peso maior caiu sobre as costas de Andrés —  que naquele jogo, fez um gol contra.

Em uma tentativa de impedir o cruzamento dos adversários, Escobar acabou mandando a bola para as próprias redes, com o goleiro Óscar Córdoba, que acabou caindo pelo lado oposto de onde a bola entrou.  

Volta para casa 

Vivendo num período político conturbado, o futebol estava servindo como um alívio para a Colômbia, alguns aplaudiram os jogadores pelo desempenho na copa, quando eles voltaram ao país mais cedo do que o desejado. Porém, entre outros torcedores, o sentimento era de revolta.

Dez dias após marcar o gol contra que custou a derrota da Colômbia para os Estados Unidos, Andrés Escobar teve que lidar com lunáticos enquanto tentava esquecer a traumática derrota. 

Escobar levou seis tiros a sangue frio. Naquela noite, o zagueiro escutou provocações de colombianos que zombavam de sua atuação na Copa do Mundo, os mais petulantes eram Pedro e Santiago Gallón. Escobar conversava, pedindo respeito para evitar confusões, por isso, saiu da boate e foi até o estacionamento. No entanto, ele foi morto no mesmo local.

Teorias

Muitas teorias do assassinato surgiram na época, embora o fato nunca tenha sido comprovado pelo autor do crime. Acredita-se que a morte de Andrés tenha sido motivada pelo gol contra na copa. Já que apostas eram comuns e muitas foram perdidas pelos narcotraficantes durante o Mundial.

O assassino confesso é Humberto Muñoz, segurança dos irmãos Pedro e Santiago, os mesmos que estava perturbando Escobar naquela noite. Esses homens eram conhecidos por históricos criminais que envolviam o tráfico de drogas.

No entanto, o responsável pela investigação afirma que o assassinato aconteceu por disputa de poder no cotidiano violento enfrentado na Colômbia. Assim, o crime deixa uma sensação eminente de impunidade até hoje.

Muñoz foi condenado a 43 anos de prisão, porém, em outubro de 2005 foi solto por bom comportamento. Os irmãos Gallón foram condenados a 15 meses por acobertarem o crime. Mas, pagaram fiança de 1 milhão de pesos e ficaram livres.

O Cavalheiro do futebol tinha 27 anos quando foi morto, estava noivo e no fim daquele mês iria se apresentar ao clube de futebol italiano, Milan. O jogador deixou um grande legado em seu país, principalmente pelos fãs do time Atlético Nacional.

Após sua morte, a família de Escobar fundou o Projeto Andrés Escobar, para ajudar crianças, que tem o sonho de serem jogadoras de futebol, a terem um futuro no esporte.


+ Saiba mais sobre futebol através das obras abaixo disponíveis na Amazon:

A História Do Futebol Para Quem Tem Pressa, de Márcio Trevisan (2019) - https://amzn.to/2VVinZR

Futebol ao sol e à sombra, de Eduardo Galeano (2015) - https://amzn.to/2S4T86m

Quando é dia de futebol, de Carlos Drummond de Andrade (2014) - https://amzn.to/3bBOxjD

Futebol à Esquerda, de Quique Peinado (2017) - https://amzn.to/3559ml2

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W