Matérias » Personagem

O chocante caso do youtuber russo condenado por matar a namorada durante uma live

O inluencer Stas Reeflay rotineiramente humilhava sua namorada enquanto centenas de espectadores assistiam, até que um dia o abuso resultou em tragédia

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 01/05/2021, às 08h00

Montagem mostrando fotografias do youtuber e de sua namorada de 28 anos
Montagem mostrando fotografias do youtuber e de sua namorada de 28 anos - Divulgação/ VK.com

O russo Stanislav Reshetnikov, de 30 anos, era conhecido em seu canal do Youtube como “Stas Reeflay”, e, como muitos outros influencers da plataforma, realizava lives frequentes, muitas delas em que estava bebendo e conversando com amigos. 

Ele estava fazendo uma dessas transmissões ao vivo em dezembro de 2020 quando registrou a morte de sua namorada diante de 2.000 espectadores. O caso foi repercutido por diversos veículos, incluindo o jornal britânico Daily Mail. 

Tudo começou quando ele recebeu uma doação de um dos seus seguidores para prender a jovem de 28 anos, chamada Valentina Grigoryeva, na varanda do apartamento onde os dois moravam.

O detalhe é que aquele era um dia congelante, com temperaturas abaixo de zero, e o pedido do seguidor tinha a instrução de que a moça deveria estar usando apenas suas roupas íntimas. 

Após algum tempo, Stanislav arrastou o corpo da moça de volta para dentro. Nesse ponto, já era tarde. O youtuber a deitou no sofá, a cobriu com um cobertor e tentou fazer uma massagem cardíaca enquanto gritava para que voltasse à vida, mas nada funcionou. Ele havia matado sua namorada. 

Sua reação diante do ocorrido foi sentar na frente do computador novamente, chorando e perguntando aos espectadores o que deveria fazer em seguida.

Apesar do evento perturbador, Reshetnikov permaneceu fazendo sua chocante transmissão, gravando ainda a chegada de paramédicos e a confirmação da morte da jovem. Foi apenas quando policiais apareceram na cena é que eles exigiram o encerramento da live. 

Histórico preocupante 

O episódio não era tão surpreendente para um observador atento: o influencer russo frequentemente aceitava doações acompanhadas de "desafios" para que abusasse de Valentina. 

De acordo com o El País, no passado ele já havia desferido socos contra ela, jogado spray de pimenta em seu rosto e a obrigado a comer lixo, entre outras formas de agressão. Outro detalhe preocupante é que seus milhares de inscritos nunca denunciaram o conteúdo violento, agora deletado. 

Fotografia mostrando Valentina / Crédito: Divulgação/ Youtube 

 

Segundo divulgado pelo Comitê de Investigação da Direção Regional de Moscou e repercutido também pelo El País, foram encontrados diversos hematomas e lesões em Valentina, com alguns sendo recentes e outros antigos, confirmando o aspecto rotineiro da violência sofrida por ela. 

O episódio extremo ainda fez surgir preocupações em relação ao próprio funcionamento do Youtube russo, que não apenas não foi capaz de identificar o conteúdo problemático do canal para garantir que as medidas apropriadas fossem tomadas, como também não coloca restrições de idade nos vídeos - dessa forma, os espectadores que assistiram o youtuber abusando de sua namorada podiam ser até mesmo menores de idade. 

Consequências 

De acordo com o jornal Extra, em abril deste ano Reshetnikov finalmente recebeu sua punição pelo ocorrido, sendo considerado culpado pela morte de Valentina e pegando uma sentença de seis anos de prisão. O vídeo também foi retirado do ar, infelizmente não antes de acabar viralizando. 

Vale notar ainda que o caso do influencer é apenas um dos exemplos do problema maior de violência contra mulheres existente na Rússia, que inclusive despenalizou a agressão no contexto doméstico alguns anos atrás, e não possui leis específicas para proteger mulheres dessas situações que frequentemente se revelam mortais, como ocorreu com Valentina Grigoryeva