Matérias » Mundo

O cosmonauta russo que ensinou fotografia aos terraplanistas

Em 2020, após meses sendo questionado, Ivan Vagner decidiu provar de uma vez por todas que suas imagens da Terra eram reais

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 12/03/2022, às 10h00

Fotografia de Ivan Vagner na Estação Espacial Internacional
Fotografia de Ivan Vagner na Estação Espacial Internacional - Divulgação/ Arquivo Pessoal

O espaço, com seus mistérios e objetos grandes mais para serem completamente compreendidos, é alvo de fascínio para muitos. Cientistas ao redor do mundo trabalham dia e noite para aumentar nossos conhecimentos nessa área. 

Nem todos, no entanto, acreditam nas palavras dos especialistas. O grupo dos chamados "terraplanistas" é um exemplo notável desses. Para eles, a Terra não é redonda, e sim plana, uma ideia contestada pela primeira vez (que tenhamos registro) por Pitágoras, da Grécia Antiga. 

O que já era óbvio para o matemático e filósofo de 500 a.C, porém, é apenas uma grande conspiração para os terraplanistas. Na visão deles, a predominância da 'mentira' de que nosso lar é esférico seria resultado de um esforço coordenado de governos, agências espaciais e cientistas ao redor do mundo inteiro. 

Para terraplanistas, esta fotografia da Terra seria uma montagem / Crédito: Getty Images

Evidências como cálculos, teorias e até mesmo fotografias frequentemente não são convincentes o suficiente para os adeptos à crença do terraplanismo. Esse fato por vezes se torna frustrante para aqueles que tem o espaço sideral como paixão e ofício. 

Em setembro de 2020, o cosmonauta russo Ivan Vagner foi vítima dessa frustração, após precisar lidar com comentários questionando-o em sua página oficial do Twitter através de inúmeras postagens suas. 

Aparências enganam

Vagner, que é um membro da Roscosmos (a agência espacial estatal da Rússia), já morava na Estação Espacial Internacional há meses na época do acontecimento, conforme repercutido pelo portal cnet. 

Ele tinha o hábito regular de tirar fotografias da Terra e posteriormente compartilhá-las com seus seguidores, porém a aparente proximidade das paisagens fizeram muitos duvidar de que o cosmonauta realmente estava tão longe do planeta quanto alegava. 

Por fim, Ivan ficou farto da situação, e decidiu abordá-la.

Ocasionalmente, vejo comentários dizendo que as fotos aqui foram tiradas de uma aeronave, enquanto os Terraplanistas duvidam que tenham sido tiradas do espaço. Desde o início do meu voo, escrevi que tiro fotos usando uma lente de 1600 mm, é por isso que os objetos parecem tão grandes”, explicou. 

Em seguida, o cosmonauta fez uma publicação em seu Instagram com três imagens diferentes de um mesmo lugar, as cataratas da Angel Falls, localizadas na Venezuela.

Uma das fotos fora feita com uma lente de 80mm, outra com uma de 500mm, e a última era com sua lente preferida, a de 1600mm.

A comparação entre as capturas deixa claro, mesmo para aqueles que são leigos no assunto, que a distância do cenário fotografado pode mudar de forma extrema dependendo do equipamento usado. 

Em sua tentativa de colocar um ponto final na questão de uma vez por todas, é justo dizer que Ivan Vagner deu uma verdadeira aula de fotografia à internet. Se ele foi bem-sucedido em convencer algum terraplanista, porém, é outra história.