Matérias » Música

O dia em que o Led Zeppelin foi acusado de satanismo

O que depois virou moda entre artistas causou um transtorno enorme na carreira dos rockeiros

Isabela Barreiros Publicado em 06/06/2020, às 10h00

A banda Led Zeppelin
A banda Led Zeppelin - Divulgação

Em 1971, a banda de rock britânica Led Zeppelin lançou a música Stairway To Heaven. Ela foi um sucesso absoluto: foi a mais pedida em rádios estadunidenses durante toda a década de 1970 e é lembrada até os dias de hoje como uma das mais icônicas canções da banda e da música no geral.

Porém, logo após a divulgação, rumores sombrios começaram a cercar a composição. Ela foi alvo de acusações de satanismo. Segundo o que se afirmava na época, se você tocasse o disco ao contrário ele revelaria uma mensagem subliminar relacionada ao tema macabro.

A letra de Stairway To Heaven, ao contrário, seria: “oh, esta é para meu doce Satã. Aquele cujo caminho curto me deixaria triste, de quem o poder é Satã. Ele dará o 666 para quem está com ele. Existia uma cabana onde ele nos fez sofrer, triste Satã”.

Crédito: Divulgação

 

A coisa foi tão longe que os membros da banda foram parar na Assembleia do Estado da California, mais de uma década depois do lançamento da música. Em 28 de abril de 1982, o órgão judiciário realizou uma audiência para o Comitê de Defesa do Consumidor com o intuito de avaliar as acusações contra os artistas.

Na ocasião, um deputado chegou até mesmo a propor que as músicas viessem com uma mensagem avisando ao consumidor o conteúdo subliminar do “produto”. Tudo se tornou uma loucura, após a divulgação de uma simples composição de rock, e o estado da Califórnia chegou até mesmo a criar a lei apenas devido a música.

Mas esse caso das mensagens escondidas sempre foi considerado uma bobagem pelos artistas do Led Zeppelin. O vocalista Robert Plant, já na época, questionou o assunto em entrevista à Rolling Stone dos Estados Unidos: “quem no mundo pensaria em fazer isto? Você tem que ter muito tempo livre para até mesmo considerar que alguém se prestaria ao serviço”.

Crédito: Divulgação

 

O engenheiro de áudio e produtor da banda Eddie Kramer também tinha o mesmo posicionamento. Ele afirmava que a ideia era “total e completamente ridícula. Porque eles iriam querer ficar tanto tempo em um estúdio fazendo algo tão idiota?”.

Ainda assim, a prática se tornou comum no mundo da música. A ideia que fez com que a banda de rock fosse parar no tribunal, acusada de satanismo, se tornou moda, e entrou em canções de diversos artistas famosos.

Em Empty Space, do álbum The Wall, de 1979, a banda britânica de rock Pink Floyd aderiu ao que viria ficar conhecido como Backmasking. Se você tocasse o disco ao contrário, escutaria: “parabéns, você acaba de descobrir a mensagem secreta”

A ideia chegou no Brasil também. No álbum de 1990, O Papa É Pop, a banda Engenheiros do Hawaii deixou uma mensagem escondida no disco caso ele fosse ouvido pelo avesso. "Por que ‘cê’ tá ouvindo isso ao contrário? O que cê tá procurando, hein?”, provocavam.


+Saiba mais sobre música por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Como Ouvir e Entender Música, de Aaron Copland (2017) - https://amzn.to/3c8V7ht

Falando de música, de Leandro Oliveira (2020) - https://amzn.to/2xkz6O5

Uma história da música popular brasileira: das Origens à Modernidade, de Jairo Severiano (2013) - https://amzn.to/34wM1sj

Uma breve história da música, de Roy Bennett (1986) - https://amzn.to/3a35ylg

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W