Matérias » China

O dia em que um homem foi reconhecido e preso em meio a 60 mil pessoas, na China

O caso ocorrido no ano de 2018, na cidade de Nanchang, causou surpresa diante da capacidade do sistema de vigilância chinês

Giovanna Gomes Publicado em 20/01/2021, às 11h18

Imagem ilustrativa do sistema de vigilância chinês
Imagem ilustrativa do sistema de vigilância chinês - Divulgação

No dia 6 de abril de 2018, um homem identificado apenas por seu sobrenome, Ao, foi localizado e preso pela polícia em meio a 60 mil pessoas que estavam em um show do cantor Jacky Cheung em Nanchang, na China. Ele era procurado por envolvimento em uma disputa financeira em Guangxi Zhuang.

Pode parecer história de ficção científica, mas a operação somente foi possível a partir de um sistema de câmeras avançado, que possui tecnologia de reconhecimento facial. 

Cantor Jacky Cheung, de Hong Kong / Crédito: Divulgação

 

Uma prisão inesperada

Era sexta-feira e Ao havia partido de Zhangshu acompanhado da esposa e de alguns amigos em direção ao local do show, percorrendo uma distância de cerca de 90 quilômetros.

Li Jin, um dos policiais que apreenderam o foragido, afirmou ao jornal China Daily que o homem de 31 anos ficou muito surpreso com o fato de ter sido reconhecido, já que nunca imaginou que era possível localizar alguém em meio uma multidão como aquela.

Porém, o oficial explicou que foi justamente por existir um grande número de pessoas reunidas que a segurança teve de ser reforçada. Assim, várias câmeras foram instaladas nas entradas do local do evento, sendo que, até mesmo a tecnologia de reconhecimento facial foi utilizada.

Câmeras de vigilância / Crédito: Pixnio

 

Sistema 

A China conta com o sistema de vigilância mais moderno do mundo. Há no país mais de 600 milhões de câmeras CCTV (câmeras de circuito fechado de TV), equipamentos capazes de identificar o rosto das pessoas e realizar uma associação com suas informações registradas. Até mesmo informações como o carro que o cidadão utiliza e as pessoas com quem tem contato são processadas.

O governo chinês ainda anunciou no ano de 2018 que daria início ao Sistema de Crédito Social, a partir do qual as pessoas teriam seu comportamento avaliado. Dependendo de suas ações elas poderiam ser premiadas ou punidas. O modelo foi proposto pelo presidente chinês Xi Jinping.

As câmeras são capazes de identificar pessoas / Crédito: Divulgação

 

As punições vão de restrição na compra de passagens de trem ou avião até proibição de matricular o filho em uma escola melhor ou concorrer a cargos públicos. Já quem obtiver boa avaliação obterá vantagens. Uma empresa, por exemplo, poderá ter oportunidades de negócios com o governo chinês. 

Essa tecnologia faz com que muitas pessoas o comparem a uma espécie de Big Brother, com a diferença de que toda uma população, e não apenas um pequeno grupo, é monitorada em tempo real. 


+Saiba mais sobre a China por meio das obras disponíveis na Amazon:

Mao's War Against Nature: Politics and the Environment in Revolutionary China, de Judith Shapiro (2001) - https://amzn.to/2Hmnv2o

Mao: A história desconhecida, de Jon Halliday e Jung Chang (e-book) - https://amzn.to/2oXZskY

A Extraordinária História da China, de Sérgio Pereira Couto (e-book) - https://amzn.to/2sPnOPN

The Archaeology of Early China: From Prehistory to the Han Dynasty (Edição Inglês), de Gideon Shelach-Lavi (e-book) - https://amzn.to/35ts58I

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W