Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Entretenimento

O filme em que Mick Jagger é escravo sexual e contracena com Grande Otelo

O vocalista dos Rolling Stones teve uma marcante produção rodada nos mesmos estúdios dos filmes dos Trapalhões

Wallacy Ferrari Publicado em 01/07/2022, às 15h31

Imagem O filme em que Mick Jagger é escravo sexual e contracena com Grande Otelo

Em 1984, o cinema brasileiro ainda se via tomado por produções grotescas popularizadas como chanchadas, englobando também as pornochanchadas, que somavam o apelo sexual aos roteiros. As produções não apenas se tornaram populares, mas emergiram grandes estrelas brasileiras, chamando atenção de um astro ainda maior, mas de projeção internacional.

O vocalista Mick Jagger, líder dos Rolling Stones, passava pelo país em meio à onda internacional de videoclipes megaproduzidos, amplificados com a ascensão da MTV norte-americana na década de 1980.

Naquela época, clipes como 'Sledgehammer' de Peter Gabriel e 'Thriller' de Michael Jackson ascendiam como sucessos comerciais, tanto em reprodução visual na televisão, quando nas paradas musicais, mostrando que a união entre musicalidade e identidade visual era necessária para a reformulação de grandes artistas na mídia.

O roqueiro, no entanto, passava por férias em terras tupiniquins após um disco comercialmente fracassado de sua banda, o ‘Undercover’, lançado em 1983. À época, ele buscava independência com seu projeto solo, designando a poderosa infraestrutura da Renato Aragão Produções — conhecida por alocar as filmagens dos notórios filmes dos Trapalhões — para realizar os vídeos de seu novo álbum, como informou o portal Glamurama.

Capa promocional do VHS 'Running Out Of Luck' / Crédito: Divulgação / CBS/FOX

Filme no Brasil

A produção rendeu um filmete musical onde Mick interpretava as canções do álbum 'Running Out Of Luck'. Em uso comercial, as canções usadas como singles tinham seus trechos nos filmes cortados e lançados de maneira promocional.

Mesmo assim, o longa-metragem, nunca exibido em cinemas, totalizava pouco mais de 1 hora e, pela recomendação da produtora, grandes astros do cinema brasileiro foram chamados para contracenar com o símbolo do rock britânico.

Especificamente na canção 'She's The Boss', que conta a relação de uma dominadora feminina, ele é obrigado a contracenar com uma espécie de escravocrata, que o força a manter relações sexuais.

Ao longo do trecho, Mick contracena com mestres como Tonico Pereira, Paulo Cesar Peréio e Tony Tornado. Contudo, no início da canção, quem oferece amparo ao astro é Grande Otelo, logo após ele ser "capturado" e "escravizado" na trama. Em 2021, o trecho foi publicado no Youtube, revelando a cena pra lá de descontraída.