Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Índia

O homem que fingiu ser filho de um rico dono de terras por mais de 40 anos

Caso do impostor que se passou por herdeiro de rico dono de terras teve desfecho somente na última semana

Redação Publicado em 10/07/2022, às 19h00 - Atualizado em 05/08/2022, às 19h00

Imagem do impostor - Divulgação/Ronny Sen
Imagem do impostor - Divulgação/Ronny Sen

O caso de um homem que fingiu ser filho de um dono de terras por mais de 40 anos causou choque na Índia e vem sendo repercutido pela imprensa internacional desde que teve seu desfecho na última semana.

Em fevereiro de 1977, o filho de Kameshwar Singh, um rico dono de terras influente no estado de Bihar, ao leste do país, desapareceu durante o caminho da escola para casa, levando a buscas por toda a região.

Embora as autoridades tenham investigado o sumiço do adolescente, chamado Kanhaiya Singh, o jovem não chegou a ser encontrado, fazendo com que seu pai entrasse em estado depressivo e passasse a se consultar com curandeiros da área.

Em meio a esse período “místico” em sua vida, Singh falou com um xamã de sua aldeia, que fez uma previsão bastante visionária: seu filho estava vivo e retornaria em breve à sua vila natal.

Não demorou muito para que a profecia se cumprisse, mas com um “porém” que seria revelado somente 41 anos depois. Depois de quatro anos de muitas buscas sem sucesso, seu filho supostamente teria voltado sozinho a uma aldeia próxima.

Bom filho à casa torna?

Um jovem com por volta de 20 anos apareceu em uma vila a cerca de 15 km de onde viva Singh em setembro de 1981 afirmando ser “filho de uma pessoa muito importante” na aldeia de Murgawan, onde havia desaparecido o adolescente.

O rapaz pedia esmolas e somente contava histórias sobre sua suposta vida, que chegou aos ouvidos do rico dono de terras. Convencido de que a profecia do xamã havia tornado realidade, ele decidiu ir até a aldeia e entender a situação de perto.

Registros policiais obtidos pela BBC Internacional mostram o que o milionário teria dito aos vizinhos sobre o jovem desconhecido, após alguns conhecidos terem afirmado a ele que aquele era realmente seu filho que sumiu:

"Meus olhos não estão bons e não consigo vê-lo com clareza. Se vocês dizem que ele é meu filho, eu aceito."

Ainda que o homem tenha sido convencido de que aquele era seu filho desaparecido, sua esposa, Ramsakhi Devi, não acreditava na história. Ela havia percebido que o desconhecido possuía "um corte no lado esquerdo da cabeça", diferente de Kanhaiya.

Mas não adiantou notar que ele era um impostor: o rapaz assumiu a identidade do adolescente perdido e se tornou membro da família, forjando uma série de documentos e vivendo uma vida que não era sua.

Foram 41 anos de mentira: ele frequentou faculdade, se casou, formou uma família e teve uma vida inteira sob uma identidade que roubou de uma oportunidade encontrada em meio ao sofrimento alheio.

Investigação e julgamento

A esposa do ricaço, porém, não aceitou a situação por muito tempo e levou o homem à Justiça indiana após apresentar uma queixa por falsa identidade, fazendo com que ele ficasse preso por somente um mês, sendo liberado depois de pagar fiança.

Ainda assim, a queixa fez com que o caso ficasse sob investigação, cujo desfecho aconteceu somente após quatro décadas em um julgamento de 44 dias — iniciado em fevereiro deste ano — que determinou a prisão do impostor de nome Dayanand Gosain.

O tribunal julgou o indiano como culpado por apropriação de identidade, fraude e conspiração, em um veredito que ocorreu após Gosain se recusar a fornecer uma amostra de DNA, em uma declaração por escrito.

"Com isso, nenhuma outra prova é necessária", determinou o tribunal. "O acusado sabe que o teste de DNA exporia sua fraude."

A pena definida a Gosain foi de sete anos de prisão e o caso deve continuar sendo investigado pois há suspeita de que o caso envolve ainda mais pessoas, em uma conspiração maior para que ele conseguisse fingir ser o filho desaparecido da família.