Matérias » Crimes

O homem condenado por matar a família que se escondeu na mata durante 3 anos

Crime aconteceu no Paraná em 2010 e só teve desdobramentos em 2014

Redação Publicado em 24/10/2021, às 08h00

Julgamento de Gilmar Reolon em 2014
Julgamento de Gilmar Reolon em 2014 - Divulgação/Vídeo/g1

Um crime que aconteceu na pequena cidade de Enéas Marques, no sudoeste do Paraná, chocou o Brasil em 2010, há quase 12 anos, sendo assim relembrado pelo site Aventuras na História.

Naquele ano, um homem foi acusado de matar seis pessoas, incluindo cinco da própria família. O caso foi repercutido pelo portal de notícias G1 em 2014, quando Gilmar Reolon foi condenado. 

O agricultor Gilmar, no entanto, permaneceu desaparecido durante três anos após os assassinatos. Os moradores do município foram surpreendidos ao descobrir, após investigações da polícia, que ele passou todo esse tempo escondido na mata local.

Os crimes

O dia era 7 de janeiro de 2010. Gilmar cometeu os assassinatos de forma brutal, o que causou enorme repercussão e comoção no município em que a família morava. 

O agricultor matou os familiares a pauladas. As vítimas foram os dois filhos, a esposa e a sogra. Depois disso, ele ainda colocou fogo na casa em que eles viviam, enquanto os corpos estavam dentro da residência.

No entanto, após o crime, o homem fugiu para a mata que fica na região, escondendo-se entre as árvores e habitando o local durante três anos para fugir das investigações que sucederiam os homicídios cometidos por ele.

Gilmar no julgamento / Crédito: Divulgação/Vídeo/g1

 

Gilmar permaneceu foragido até o irmão dele, Idemar Reolon, o encontrar e recapturá-lo, entregando-o à polícia local. Com isso, começou a investigação que o apontou como suspeito dos assassinatos dos familiares.

O homem, porém, confessou mais dois crimes anteriores às mortes da esposa, dos dois filhos e da sogra em 2010. Ele disse que, meses antes, também matou o próprio pai, motivado por uma discussão relacionada a uma dívida. 

Mas não era só isso: durante o período em que ficou desaparecido, ainda acabou com a vida de uma adolescente. Segundo o réu, o crime foi cometido porque a jovem de 16 anos, vizinha da família, o avistou no matagal, e ficou com medo de ser identificado. 

O julgamento

Quando foi entregue à polícia pelo irmão, Gilmar confessou os crimes que cometeu. Segundo noticiado pelo portal G1 na época, o julgamento aconteceu no município de Francisco Beltrão, também no sudoeste do Paraná, e demorou 10 horas para ser concluído.

A decisão dos jurados, no dia 3 de abril de 2014, foi a de condenar Gilmar Reolon a 150 anos de cadeia pelos seis assassinatos e pelos agravantes apontados pela investigação das autoridades locais e do Ministério Público.

Durante o julgamento, o agricultor não conseguiu explicar o motivo pelo qual cometeu os homicídios. Ele disse aos presentes: “Eu fico pensando e não aceito. Não aceito o que eu fiz”.

Familiares das vítimas também estavam no local, incluindo a mãe da adolescente morta pelo homem. “Eu nunca mais tive paz, depois que ele tirou a minha filha”, disse a mulher ao portal na época da repercussão.