Matérias » Rússia

O jovem de 19 anos que rastreia jatos de magnatas russos

Graças aos esforços de Jack Sweeney, bilionários da Rússia perderam parte de sua privacidade nos últimos dias

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 09/03/2022, às 17h32

Montagem com fotografia de Jack Sweeney à esquerda, e de Alexei Mordashov à direita
Montagem com fotografia de Jack Sweeney à esquerda, e de Alexei Mordashov à direita - Divulgação/ Arquivo Pessoal/ Domínio Público

Em fevereiro deste ano, o jovem norte-americano Jack Sweeney viralizou por ter hackeado o CEO da Tesla e SpaceX, Elon Musk.

O estudante de apenas 19 anos não apenas foi capaz de rastrear os voos dos jatinhos particulares do bilionário, como decidiu postá-los no Twitter para todos verem. 

O ricaço chegou a entrar em contato com Jack oferecendo nada menos que 5 mil dólares (que é o equivalente a impressionantes 27 mil reais) para que o rapaz parasse de expor suas viagens na internet, sentindo que o fato poderia ser um risco à sua segurança, porém sua proposta foi recusada, de acordo com informações repercutidas pela CNN. 

Mais recentemente, porém, Sweeney decidiu direcionar suas habilidades informáticas para tirar a privacidade de magnatas de outro país: os da Rússia, que recentemente iniciou um conflito com a Ucrânia.

Imagem meramente ilustrativa de paisagem ucraniana devastada pelos bombardeios do conflito / Crédito: Divulgação/ Youtube/ ABC10

Como reação ao acontecimento, diversas nações e blocos econômicos impuseram sanções ao território russo a fim de desencorajar a continuidade da guerra.

Além disso, uma variedade de empresas, fundações esportivas e organizações também cortaram seus vínculos com o Kremlin como puderam.

O estudante, por sua vez, apenas somou seus esforços a todos esses outros que estão sendo executados ao redor do globo, conforme repercutido pelo USA Today. 

Hacker 1, empresários russos 0

Usando o mesmo método de antes, o norte-americano está agora compartilhando no Twitter as movimentações feitas pelos jatos particulares de um grupo de oligarcas russos.

Um dos alvos, por exemplo, é o bilionárioAlexey Mordashov, dono da maior empresa de aço do país. Outro é Roman Abramovich, que fez sua fortuna no ramo do petróleo durante a União Soviética, e é mais conhecido atualmente por ser o dono do Chelsea. 

O novo projeto de Jack teve início no dia 27 de janeiro, apenas dois dias após o início da invasão, e não parou por aí.

Além de administrar a conta "Russian Oligarch Jets" no Twitter, onde posta as informações para o público, Sweeney também criou o "Russian VIP & Putin Jets", em que rastreia os jatos que transportam os membros de alto escalão do governo russo. 

Já a "Russian Yachts", uma terceira conta, acompanha os deslocamentos dos iates de uma série de ricaços russos. 

Dessas, a mais popular é a primeira, que, até a publicação desta matéria, já contava com 409 mil seguidores na rede social. 

Para prosseguir postando informações regulares e pontuais a respeito dos paradeiros dos magnatas da Rússia, vale dizer que o estudante de 19 anos criou um mecanismo automático, de forma que a maior parte do trabalho é atualmente feita por um algoritmo.