Matérias » Brasil

O mais famoso prostíbulo do Brasil

A Casa da Eny era praticamente um ponto turístico de Bauru e já chamou atenção de presidentes da República

Caio Tortamano Publicado em 01/01/2020, às 15h00

Eny e algumas de suas funcionárias
Eny e algumas de suas funcionárias - Divulgação

Localizada a 500 quilômetros da capital paulista, a cidade de Bauru é conhecida pelo seu alto IDH, as plantações de café e de cana de açúcar. Porém, a fama do lugar aumentou muito durante a década de 60 devido a um motivo inusitado.

Localizado em um trevo rodoviário, um letreiro luminoso escrito Restaurante Eny’s Bar chamava a atenção de todos que sabiam que, na verdade, o local era a Casa da Eny, uma grande casa de meretrício conhecida em boa parte do Brasil como uma das mais luxuosas e visitadas casas de entretenimento adulto.

Letreiro que passava despercebido por quem não sabia do que se tratava o local / Crédito: Divulgação

 

O bordel tinha 5.000 metros quadrados de área, 7.000 metros quadrados de jardins, a maior piscina particular de Bauru, sauna, restaurante, churrascaria e lanchonete. Os quartos eram mais de 40, e o local contava com uma pista de dança ao ar livre em formato de violão.

Todo o luxo que a dona do local, Eny, investia não era visto em muitos prostíbulos, as próprias prostitutas eram muito bem tratadas pela dona, que investia pesado nelas com salões de beleza, joias caras e roupas finas e provocantes. As meninas vinham não somente do Brasil, mas de outros países da América do Sul, como o Uruguai e a Argentina.

Eny com uma de suas funcionárias / Crédito: Reprodução

 

Os clientes eram em grande maioria pessoas muito ricas, funcionários do local lembram de alguns dos visitantes ilustres que passaram por lá: Roberto Carlos, Jô Soares, Chico Anísio, Vinicius de Moraes, Paulo Maluf, José Sarney, Orestes Quércia...

Eny investiu cedo no ramo da prostituição, tendo administrado outras casas que, por uma série de razões, não deram tão certo como deu a sua Casa. A dona era tida como a detentora da maior fortuna da cidade, com mais de 20 residências em Bauru.

Pátio da Casa da Eny / Crédito: Divulgação

 

O local funcionou até 1983, quando Eny a vendeu para um dono de uma empresa de ônibus. O local ainda existe, mas está desativado e permanece constantemente fechado.


+Saiba mais sobre o tema com as obras:

1. Prostituição à Brasileira: cinco histórias, de José Carlos Sebe B. Meihy (2015) - https://amzn.to/2PHwgrB

2. Maria chorou aos pés de Jesus: Prostituição e obediência relgiosa na Bíblia, de Chester Brown (2017) - https://amzn.to/2rAi9wm

3. Baile de Máscaras: Mulheres Judias e Prostituição, de Beatriz Kushnir (1996) - https://amzn.to/2ssxrmA

4. Prostituição Juvenil Feminina. A Escolha, as Experiências e as Ambiguidades do "Fazer Programas", de Mauricio de Souza (2009) - https://amzn.to/2YL5UsN

5. Riscos Na Prostituição : Um Olhar Antropológico, de Denise Martin (2003) - https://amzn.to/38xm913

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.