Matérias » Entretenimento

O mecanismo por trás das roupas dos personagens de ‘Família Dinossauros’

A série que conta a história da família Silva Sauro fez sucesso no Brasil desde a transmissão original da TV Globo, em 1992

Wallacy Ferrari Publicado em 24/04/2022, às 08h00

Ator veste traje do Dino da Silva Sauro
Ator veste traje do Dino da Silva Sauro - Divulgação / YouTube / Arapuca mental

Amada pelos brasileiros desde sua transmissão original na TV Globo, entre os anos de 1992 e 1995, o seriado cômico "Família Dinossauro'', marcou gerações e transitou em diversas emissoras brasileiras, adquirindo fãs de diversas idades. 

Com sua narrativa na era dos dinossauros, as situações cotidianas de uma família de dinossauros falantes com dificuldades financeiras, culturais e profissionais proporcionaram momentos hilários de Dino, Fran, Charlene, Baby e Bob — todos ostentando o curioso sobrenome "Silva Sauro".

Parte da atenção obtida pelo seriado se deu por sua retratação realista de dinossauros, abusando de grandes fantasias repletas de texturas de escamas, reproduzindo os répteis históricos. Contudo, existe ainda mais curiosidade sobre a forma em que eles foram feitos e operados; tratava-se de robôs, atores ou obra de efeitos especiais?

A resposta, no entanto, trata-se um pouquinho disso tudo, como mostrou um raro vídeo de bastidores da produção, onde mostra como são feitos, organizados e operados os itens usados para causar o efeito final do seriado.

Operador demonstra funcionamento de cabeça de dinossauro / Crédito: Divulgação / Youtube / Arapuca mental

Como funcionava

Conforme apurado e traduzido pela revista SuperInteressante, as complexas peças, carregadas de espuma para formar as dobras e caudas do animal, eram conduzidas por um grande capacete, que ficava preso na cabeça dos atores.

Na versão original, as pessoas que atuavam no corpo dos dinossauros eram microfonados e passavam as falas em tempo real, mas eram dublados na pós-produção com meticulosidade para sincronizar os movimentos da boca com o texto.

Já o movimento da boca, olhos e outras expressões faciais da máscara-capacete eram operadas a distância através de 26 servomotores, que estavam instalados acima do ponto onde o intérprete encaixava a cabeça.

Ao lado, ainda havia um ponto eletrônico para o recebimento de mensagem do diretor de cena.

Veja abaixo o vídeo da operação das fantasias: