Matérias » Personagens

O misterioso caso das Gêmeas Silenciosas — que chocou o Reino Unido

As irmãs June e Jennifer Gibbons tinham uma relação extremamente próxima e só se comunicavam entre si, chamando a atenção de psiquiatras

Penélope Coelho Publicado em 26/05/2020, às 13h16

June e Jennifer Gibbons quando crianças
June e Jennifer Gibbons quando crianças - Divulgação

Gêmeas idênticas e filhas de pais imigrantes vindos de Barbados, no Caribe, as irmãs June e Jennifer Gibbons se mudaram ainda na infância para o país de Gales, Reino Unido. Em um local diferente do habitual, as meninas só falavam um idioma conhecido como crioulo bajan, algo que tornava difícil a compreensão da fala de ambas.

Esse fato, somado ao bullying que sofriam, fez com que as meninas ficassem ainda mais inseparáveis e passassem a se comunicar, cada vez mais, somente entre elas. Nascidas em 11 de abril de 1963, June e Jennifer eram as únicas crianças negras de seu colégio.

Como tentativa de amenizar a situação os coordenadores da escola sempre mandavam as meninas para casa mais cedo. Essas diversas passagens traumáticas para as garotas fizeram com que elas criassem uma espécie de linguagem própria. Com o passar do tempo, as gêmeas não se comunicavam com mais ninguém além delas mesmas e raramente com a irmã mais nova, Rose.

Essas atitudes chamaram a atenção dos pais e também da escola. Como consequência, as meninas foram enviadas diversas vezes para terapias, porém, os tratamentos não foram bem sucedidos.

Quando atingiram os 14 anos, as Gibbons foram enviadas separadamente para internatos, como tentativa de interromper a relação estreita das duas. Porém, os resultados foram ainda piores: ambas encontravam-se em estado catatônico.

A volta

Quando puderam se ver novamente, a relação das irmãs ficou ainda mais próxima — e cada vez mais bizarra. Seus familiares diziam que as meninas viviam em um mundo só delas, isolando-se completamente da realidade.

No natal de 1979, as garotas ganharam um diário de presente e a partir de então começaram a escrever algumas histórias. Inicialmente, os textos pareciam inocentes, relatando romances que se passavam na calorosa Califórnia.

Porém, os personagens apresentavam alguns traços curiosos com tendências criminosas. Como, por exemplo, um dos livros escritos por Jennifer relata a história de um médico que precisava salvar a vida do filho que possuía um histórico de doenças cardíacas.

Para realizar tal procedimento, o doutor matava seu cão e transplantava o coração do animal no filho. Além disso, a alma do cachorro que agora habitava no menino, procuraria se vingar do médico que cometeu seu assassinato.

June e Jennifer Gibbons quando mais velhas / Crédito: Divulgação 

 

Crimes

A medida com que as histórias eram produzidas, as gêmeas tentavam fazer da arte da escrita, suas carreiras. Mas, isso não foi fácil. As diversas tentativas de venderem suas histórias não deram em nada. E a tendência criminosa descrita em seus textos, passou agora para a vida real.

June e Jennifer começaram a cometer alguns delitos como, por exemplo, agressões e um incêndio criminoso. Por isso, foram internadas em um hospital psiquiátrico de segurança máxima, chamado Broadmoor. Lá, as irmãs viveram presas por mais de uma década, mantendo a assídua mudez.

June culpa a internação como forma de acentuar a mudez seletiva dela e da irmã: “Os delinquentes juvenis recebem dois anos de prisão [...] Tivemos 12 anos de inferno porque não falávamos [...] Perdemos a esperança, realmente. Escrevi uma carta para a Rainha Elizabeth II, pedindo para que ela nos tirasse de lá. Mas ficamos presas”, afirmou Gibbons em entrevista, anos depois.

Ao longo do tempo em que ficaram no hospital, a saúde de Jennifer se deteriorou. A garota desenvolveu um distúrbio neurológico que resultou em movimentos repetitivos e involuntários. Isso fez com que as irmãs perdessem o interesse na escrita. 

Pacto insólito 

De acordo com a jornalista do periódico britânico The Sun, Marjorie Wallace, as irmãs possuíam um acordo macabro entre si. Segundo Wallace — que veio a cobrir o caso posteriormente- as Gibbons chegaram a um consenso de que só iriam voltar a falar com outras pessoas, se uma delas morresse, assim, quem ficasse viva estaria livre.

Quando as duas tinham 30 anos decidiram que uma deveria morrer e pouco tempo depois, em março de 1993, Jennifer teve um mal súbito e faleceu. O motivo de sua morte repentina ainda é um mistério, os laudos mostravam uma inflamação no coração, que não tinha nenhuma explicação.

Após a morte de Jennifer, aparentemente, June estava mesmo livre. Atualmente, aos 57 anos, a mulher vive normalmente sem o auxílio de psiquiatras. A história de June e Jennifer Gibbons é alvo de curiosidade e estudos até hoje. De acordo com imprensa internacional, a história das irmãs irá virar um filme.

A adaptação para as telonas será dirigida pela cineasta Agnieszka Smoczynska e o roteiro será adaptado do livro da jornalista Marjorie Wallace, The Silent Twins.


+ Saiba mais sobre mistérios através de grandes obras disponíveis na Amazon:

The Silent Twins, de Marjorie Wallace (2012) - https://amzn.to/36xDFBQ

Grandes Mistérios da História: A teoria da conspiração e os segredos por trás dos acontecimentos, de Sérgio Pereira Couto (2015) - https://amzn.to/3epdeRl

O grande livro dos mistérios antigos, de Peter James e Nick Thorpe (2019) - https://amzn.to/3em09bM

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du