Matérias » Ucrânia

O que disse Zelensky sobre as denúncias de estupro na guerra?

Desde o início do conflito, centenas de ocorrências foram registradas

Redação Publicado em 01/05/2022, às 09h00

O presidente Voldymyr Zelensky
O presidente Voldymyr Zelensky - Getty Images

A ocorrência de estupros cometidos por soldados russos em meio à guerra na Ucrânia tem preocupado a população local e diversas autoridades ao redor do mundo. Conforme declarou o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, no dia 12 de abril, centenas de casos foram registrados desde que o conflito teve início, em 24 de fevereiro.

De acordo com o político, estão entre as vítimas meninas adolescentes e crianças pequenas e, até mesmo um bebê. As informações são do portal de notícias UOL.

"Centenas de casos de estupro foram registrados, incluindo meninas menores de idade, crianças muito pequenas. E até um bebê! É assustador falar sobre isso agora. Mas é verdade, aconteceu", disse o presidente ucraniano durante discurso ao Parlamento da Lituânia. Ele informou, na ocasião, que o soldado que cometeu o crime contra o bebê foi preso.

Crimes de Guerra

Segundo a fonte, o líder ucraniano afirmou que a Ucrânia tem investigado possíveis crimes de guerra cometidos pelo Exército russo contra a população.

Refugiados ucranianos cruzam a fronteira com a Polônia / Crédito: Getty Images

"Quase todos os dias novas valas comuns são encontradas. As provas estão sendo coletadas. [São] Milhares e milhares de vítimas. Centenas de casos de tortura brutal. Cadáveres humanos ainda são encontrados em bueiros e porões. Corpos amarrados e mutilados", denunciou Zelensky.

"Há aldeias bastante grandes que ficaram quase sem habitantes. Centenas de crianças são órfãs. Ou seja, pelo menos centenas de crianças, porque ainda não sabemos o número exato de vítimas", finalizou.

Operação especial?

Durante o discurso, o presidente criticou o governo russo por chamar a guerra de "operação especial". "Eu me pergunto como o Ministro da Defesa da Federação Russa e outros autores desta 'operação especial' avaliam seus resultados agora? Depois de tais crimes", questionou.

O líder ucraniano durante discurso / Crédito: Getty Images

Um dia antes, a diretora-executiva da ONU Mulheres, Sima Bahous, declarou no Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) que as acusações de estupro e abuso sexual em solo ucraniano devem ser investigadas.

"Uma combinação de deslocamento em massa com uma grande presença de recrutas e mercenários e a brutalidade exibida contra civis ucranianos levantou todas as bandeiras vermelhas", disse Bahous.

Risco de tráfico humano

"O risco de tráfico humano está aumentando à medida que a situação se torna mais desesperadora. Mulheres jovens e adolescentes desacompanhados correm um risco particular", apontou após uma visita à Moldávia, país que teria recebido em torno de 95 mil refugiados ucranianos, enquanto outros milhares teriam transitado pelo país.

A diretora ainda pediu que mais recursos fossem enviados às forças policiais na fronteira entre a Moldávia e a Ucrânia "para que possam garantir o apoio às vítimas de violência e tráfico de gênero". "A resposta sensível ao gênero e centrada no sobrevivente deve estar no centro de toda ação humanitária", defendeu Bahous.