Matérias » Personagem

"O que eu faço tem classe": As alfinetadas entre Madonna e Janet Jackson

Na indústria da música, rivalidade entre artistas é mais que comum, gerando polêmicas notáveis ao longo de suas carreiras

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 27/01/2021, às 18h47

As artistas Madonna e Janet Jackson
As artistas Madonna e Janet Jackson - Wikimedia Commons

Discussões e intrigas entre artistas são tão antigas quanto a própria indústria musical. Ao longo dos anos, músicos entraram em conflitos por diferenças musicais, de estilo, opinião e, até mesmo por motivos que ninguém sabe quais são. A verdade é que briga não falta no mundo das celebridades.

Especialmente quando elas possuem grande expressão no universo da música, isso parece aflorar cada vez mais. Em músicas, premiações e em declarações polêmicas, podemos facilmente identificar uma alfinetada devido a uma rivalidade não resolvida entre os artistas em questão.

Essas rivalidades que podem durar décadas e até mesmo suas carreiras inteiras. O fato é que algumas das mais importantes figuras, principalmente do pop, não se dão bem tanto por gostos pessoais divergentes, competições e até mesmo por insultos quase gratuitos.

Madonna foi e continua sendo uma das mais importantes cantoras da história. Talvez por esse mesmo motivo tenha sido alvo de muitas críticas, polêmicas e, inclusive, escândalos com outros artistas. Elton John é conhecido por ter uma relação não tão amigável com ela. Janet Jackson é outra.

A cantora começou a ter mais relevância no cenário da música no final dos anos 1980 e começo dos anos 1990, período em que Madonna já estava estabelecida no sucesso, conseguido por meio de seus álbuns e performances inovadores e arriscados. Com ‘Like a Prayer’, por exemplo, lançada em 1989, a artista estabeleceu sua marca como uma das mais importantes da história.

Madonna nos palcos em 2006 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Janet seguia uma linha diferente em sua carreira. No seu álbum de 1986, ‘Control’, fica claro a abordagem que ela pretendia seguir: uma “moça comportada, mas no controle da situação”. E isso era essencialmente diferente do que propunha a Material Girl, que ficou conhecida por suas controvérsias.

Ainda que tivesse conseguido um notável sucesso no começo de sua carreira, Janet nunca se tornou tão expressiva quanto Madonna, que era considerada sua concorrente na indústria da música. Mas isso não impediu as duas cantoras de se tornarem quase rivais, com alfinetadas constantes ao longo de suas carreiras.

Algumas afirmações de Jackson em entrevistas, principalmente depois do seu sucesso com o álbum ‘Rythm Nation 1814’, marcaram essa relação conturbada. Ela falava claramente sobre Madonna. “Eu acho que o que eu faço tem classe” e “Eu poderia tirar a roupa e pedir carona na estrada, e as pessoas olhariam para mim também. Mas isso me tornaria uma artista?” são alguns exemplos importantes.

As declarações mais polêmicas da artista eram em relação ao livro ‘Sex Book’ de Madonna, de 1992, e seu álbum ‘Erotica’, do mesmo ano. Ambos falavam sobre liberdade sexual, expondo fetiches, sonhos sexuais e os mais variados comportamentos ligados à sexualidade. 

Janet Jackson / Crédito: Wikimedia Commons

 

Assim como com Elton John, a Material Girl não era de responder às provocações feitas pelo artista concorrente. Em 2012, por exemplo, ela estava concorrendo ao Globo de Ouro de melhor canção original, e o artista também estava na mesma categoria. No tapete vermelho, ele afirmou: “Não há nenhuma chance de Madonna ganhar esse prêmio”. Ela apenas rebateu, dizendo “que vença o melhor”. 

Com Janet, porém, ela deixou uma farpa sair quando estava prestes a se apresentar no seu Super Bowl em 2012. Durante a entrevista, ela disse: “Nada de mamilos na minha performance“. A fala fazia referência ao episódio em que Jackson teve seu mamilo exposto “acidentalmente” por Justin Timberlake no mesmo evento, porém em 2004.

Se a rivalidade entre as duas artistas chegou ao fim, não é possível saber. A verdade é que, muitas vezes, essas intrigas não têm nem mesmo motivo para acontecerem e acabam se esvaindo com o tempo.

Com carreiras consolidadas no mundo da música, as duas devem estar mais focadas em seus projetos do que em soltar farpas uma para a outra. 


+Saiba mais sobre a História da música por meio de obras disponíveis na Amazon:

O livro da música clássica, de Vários Autores (2019) - https://amzn.to/2UXEqQy

Como Ouvir e Entender Música, de Aaron Copland (2017) - https://amzn.to/3c8V7ht

Falando de música, de Leandro Oliveira (2020) - https://amzn.to/2xkz6O5

Uma história da música popular brasileira: das Origens à Modernidade, de Jairo Severiano (2013) - https://amzn.to/34wM1sj

Uma breve história da música, de Roy Bennett (1986) - https://amzn.to/3a35ylg

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W